Siga-nos nas redes sociais

2ª Temporada

Kirkman Fala Sobre Jeffrey DeMunn e o Chapéu de Dale

Publicado há

em

KABOOM!!! Sim fãs, esse último episódio de The Walking Dead acabou com um tiro que pode ser ouvido pelo mundo todo. Ou pelo menos pelo pasto na Georgia.

Contém SPOILERS do episódio 2×11 – “Judge, Jury, Executioner” .

O show terminou com Randall (Michael Zegen) sendo executado pelos sobreviventes? Não! Em uma reviravolta dos roteiristas a vítima foi Dale (Jeffrey DeMunn). O homem que passou o episódio tentando salvar a vida de Randall foi atacado por um zumbi e depois morto por Daryl (Norman Reedus).

Abaixo, veja a entrevista com Robert Kirkman, escritor dos quadrinhos onde ele fala sobre o episódio, sobre Jeffrey DeMunn e o chapéu de Dale.

Entertainment Weekly: Então é “Descase em Paz Dale”.

Robert Kirkman: Sim.

Você poderia nos dizer algumas palavras sobre a partida dele?

Acho que é uma morte monumental para o seriado. O personagem de Dale era a alma e o coração do show. Ele era o compasso moral. Ele era o cara que, mais que qualquer um, estava alertando as pessoas a ter cuidado em como o mundo as muda, e monitorando até onde as pessoas iam pela sobrevivência. Sua morte vai afetar todos os personagens, e isso representa uma reviravolta obscura para o seriado. A morte de Dale foi muito importante.

É horrível perder Jeffrey DeMunn. Ele deu muito de si nessas duas temporadas. É incrível trabalhar com ele e o conhecer, ele é uma pessoa maravilhosa e com certeza sentiremos falta dele.

Por que você decidiu puxar o gatilho em Dale?

É mais sobre como isso afeta os outros. Essa é a razão principal para se matar um personagem: “O que isso nos dá?”. Ter um final incrível e mostrar aos fãs que esse mundo é perigoso, que qualquer um pode morrer vale a pena pelo choque que isso gera. Mas no fim do dia, é mais como ‘Como isso afeta ainda faltando seis episódios? Como isso afeta faltando dez episódios?’. Essa é a questão. Quando começamos a trabalhar nisso e vimos como a morte de Dale afeta Shane, Rick, Daryl, Lori, Andrea e todos os outros, isso nos ajudou a tomar essa decisão.

O episódio pareceu um pouco como um tributo, se considerar que ele foi o que falou mais.

(Risos) Isso é a cara do Dale. Ele tinha coisas importantes pra falar antes de ir. E essas coisas vão pesar nos outros. Isso deu a liga sobre o que vai acontecer no próximo episódio e no outro também. Ele dizia ‘Vamos pensar em nossa humanidade e em como isso vai nos afetar se matarmos esse garoto’. E todos ficaram relutantes. Foi tipo ‘Ah Dale, cala a boca.’”

Acho que a pergunta que todos vão fazer após esse episódio vai ser “O que aconteceu com o chapéu do Dale na vida real?”

Sabe, quando essas perguntas vêm à tona eu fico triste. Porque eu penso em tudo que posso roubar do set e a AMC não liga. Norman Reedus brincou em um painel que roubou um arco e o presidente da AMC mandou uma carta pra ele dizendo ‘Você nos deve um arco! HÁ!’. Ele nem ligou. Eu queria ter roubado aquele chapéu.

A cena que Carl joga uma pedra no zumbi foi arrepiante. Eu me lembrei que serial killers às vezes torturam animais quando criança.

Sim, estamos entrando em lugares escuros. Carl é o personagem mais divertido para se contar histórias nesse mundo. É verdade nos quadrinhos e é verdade na TV. Com o passar do tempo, vamos ver mais desse garoto, e o que é muito legal nisso é pensar em como vai ser crescer nesse mundo. Uma coisa é ter tudo o que você conhece tirado de você e ter que lidar com esse mundo horrível, e outra coisa é mal conhecer esse mundo, como ele funciona e o que esperar, e ainda ter que crescer e amadurecer com esse tipo de coisa. Isso vai fazer ele crescer meio estranho.

Cada vez que Shane faz algo errado eu penso “Bom, isso confirma que ele é uma pessoa ruim.” Mas quando o episódio abriu com Norman Reedus torturando um cara que não fez nada eu pensei “Ah, é só o Daryl sendo o Daryl…”

(Risos) Sim, Daryl tem passe livre. Nós queremos gostar dele. Enquanto isso, Shane está fazendo de tudo pra proteger as pessoas e todos dizem que ele é o vilão. É engraçado.

Em certo ponto Rick disse à Lori que Shane não seria mais um problema, o que me fez pensar que tipo de policial horrível ele devia ser antes do apocalipse.

(Risos) Bom, isso é algo importante e não só uma piada. Ele era um policial de cidade pequena, não um policial de Chicago ou Nova Iorque. Ele não é da LAPD (Los Angeles Police Department). Não é um policial de filmes de ação, ele é só um cara que era policial em uma cidade pequena. Nunca lidou com crises grandes ou tiroteios muito grandes. Ele não é o melhor policial do mundo, mas é tudo que as pessoas têm.

Como teria votado na questão do Randall?

Ah, eu tenho coração mole. O deixaria viver.

Greg Nicotero, o maquiador de efeitos especiais do seriado dirigiu esse episódio. Como foi?

Ele fez um trabalho incrível. Esse é o primeiro episódio que ele dirige inteiro, ele tinha feito algumas partes antes e dirigiu os webisodes esse ano. Mas ele tentou e impressionou todo mundo. Ele escolheu umas cenas maravilhosas e montou um episódio muito bom. Ele sabe o que faz. Ele trabalhou com Robert Rodriguez, Quentin Tarantino e outros diretores famosos por anos. Então acho que ele aprendeu muita coisa e fico ansioso para que ele faça mais coisas assim no futuro.

E ele trabalhou em “Day of The Dead”, o filme clássico de zumbis de George A. Romero. Quando Dale estava tendo o estômago estraçalhado eu meio que esperei ele berrar “Se engasgue com isso!” como Captain Rhodes fez no filme em circunstâncias similares.

(Risos) Vamos fazer uma referência há isso algum dia.


Fonte: EW
Tradução: @natalia7x / Staff WalkingDeadBr

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA