Siga-nos nas redes sociais

2ª Temporada

Jon Bernthal Fala Sobre o Chocante Acontecimento

The Walking Dead BR

Publicado há

em

Mais uma semana, mais um acontecimento chocante de deixar todos de queixo caído. Então, pare de ler agora mesmo se você ainda não tiver assistido ao episódio de domingo (11/03) do drama de zumbis.

Quando você  compara até onde o personagem chegou nos quadrinhos, nos quais o seriado se baseou, Jon Bernthal, na verdade, teve um prazo muito bom como Shane Walsh. Assassinado pelo jovem Carl na sexta edição da série em quadrinhos, Shane sobreviveu até o décimo oitavo episódio da série televisiva… só para, novamente, ser assassinado por Carl. Dessa vez, entretanto, isso aconteceu após Rick ter esfaqueado Shane até a morte e ele ter reencarnado como zumbi.

Conversamos com Bernthal para saber o que ele acha da morte chocante de Shane, espiando no mato seus companheiros do elenco quando tudo já tinha terminado, e se ele pediu para sair da série após a demissão do produtor executivo, Frank Darabont.

ENTERTAINMENT WEEKLY: Então, após passar quase duas temporadas tentando matar zumbis, como você se sentiu ao mudar de lado e lutar pelo outro time, ainda que apenas por alguns segundos?

JON BERNTHAL: Sabe, cara, foi uma loucura. Eu nem sequer percebi que estava interpretando um zumbi até fazer isso. Houve muita discussão, ficamos indo e voltando, houve muita discussão sobre como seria aquela última cena – entre eu mesmo e Andy e os roteiristas. E todos meio que tinha alguma coisa a dizer sobre como, na verdade, seria aquela última cena. Mas então, no finalzinho, eu percebi, “agora você tem que interpretar um zumbi!”. Eu nunca tinha sequer pensado a respeito disso. Então, repentinamente, estou com essas lentes de contato, não consigo ver nada, e sou um zumbi. E eu fiquei pensando, “Eu não sei como fazer isso! O que eu faço?”

Então, você nem mesmo praticou seu andar de zumbi nem nada do tipo?

Nem um pouco. Eu tentei convencer [o produtor exectivo e o guru em maquiagem de zumbi] Greg Nicotero a ser o único zumbi com uma fala, tipo, “Riiiiiick.” Mas ele não aceitou.

Eu sei que você e Andrew Lincoln fizeram testes para esse seriado juntos e foram os primeiros atores regulares do elenco, então como, agora, completar essa jornada? Leve-me para dentro das gravações daquele último confronto e as emoções enquanto vocês estavam gravando.

Nós passamos a noite inteira gravando essa cena. E todo o elenco veio e passou a noite toda no campo para estar lá para a última cena, e Jeff DeMunn(Dale), na verdade, já tinha ido embora. Ele mora em uma fazenda em New York, e ele viajou e me surpreendeu, estando presente na minha última cena, o que me emocionou. E, como eu disse, houve muito sentimento em relação àquela cena. Os roteiristas queriam que ela fosse de um jeito, os atores queriam de outro jeito, os produtores queriam de outro jeito, eu acho que todo mundo meio que tinha sua idéia de como deveria ser aquela cena, e fomos só Andy e eu no mato andando juntos, e Andy e eu nos viramos um para o outro e dissemos, “Sabe, cara, somos você e eu. Vamos fazer isso por você e por mim.” Não posso imaginar um ator melhor, um parceiro melhor, com quem fazer isso, e foi uma honra na minha carreira de ator atuar junto de Andrew Lincoln. Ele é meu irmão, o melhor amigo que fiz no mundo da atuação, e poder sair do jeito que eu saí e sair com quem eu saí – foi, e ainda é, muito emocionante.

A sensação que eu tive durante a gravação da última cena foi a de que Shane esteve processando tipo 10 milhões de coisas diferentes ao mesmo tempo e tentando entender tudo isso. Ele está pensando na sua relação com Rick, Lori e Carl, na segurança do grupo. Falando do estado mental de Shane nesse sentido, pelo que você tentava passar?

Existe todo um lado do personagem que eu acho que algumas pessoas podem ou não entender, mas eu acho que há uma parte do próprio Shane que sabe que ele não se encaixa para estar entre as pessoas. Ele sabe como está em perigo. Ele sabe disso agora que matou outro ser humano, e eu acho que uma parte disso encontra-se quando ele está realmente estimulando e desafiando e fazendo que Rick dê um passo a frente e possa abranger o que Shane possui e expulse Shane. Eu acho que é um certo sabor suicida, que realmente diz, “Vamos, cara, eu estou desafiando você a ser o homem que se encaixa para cuidar da mulher que eu amo e da criança que eu amo e do meu filho que nascerá. Vamos, vá em frente, erga sua arma.” E há uma parte dele que quer muito desesperadamente que Rick seja esse homem, e quando Rick finalmente faz isso, há um elemento de uma espécie de alívio.

Rick tomou a attitude certa? O que você teria feito, se estivesse no lugar dele?

Acho que sim. E eu acho que, independente de qualquer coisa, alguém iria morrer naquela noite. E Shane realmente planejou tudo para matar Rick, e pela conversa, no final da cena, ele sabia que um dos dois precisava morrer. Eu acredito que ele fez, sim, a coisa certa.

Você é, obviamente, muito próximo do Frank Darabont e foram muito claros sobre o quanto você ficou chateado quando o forçaram a sair. Então, naturalmente, vem a questão: Você pediu para ser retirado do seriado?

Não. Eu não pedi. Esse sempre foi o plano. Sempre foi o plano que isso aconteceria desse modo. [Contudo] Quando Frank saiu, houve algumas discussões de que seria de uma maneira diferente. Uma das coisas pela qual eu estava muito, muito ansioso para saber é que Frank sempre disse que iria escrever e dirigir a nossa última cena – a última cena que eu e o Andy faríamos juntos. E eu serei honesto: isso trouxe todos aqueles sentimentos à tona, porque, no fim do dia, isso começou com Andy, Frank e eu. Frank continua, eu sei, a viver no coração do Andy, assim como ele vive no meu, e eu acho que ele estava lá naquela última cena. O fato de que agora vou trabalhar com ele novamente [na futura série da TNT, L.A. Noir] é algo que me deixa tremendamente animado.

Obviamente, Shane morre logo nos quadrinhos. Quando você recebeu o papel, isso foi dito nos termos de quanto tempo ele iria durar?

Quando a série começou, eu fui testado primeiro para o papel de Rick. Eu acho que a maioria dos atores que vieram foram todos testados para Rick, e então o modo com que Frank lidou com isso foi juntar todos os atores para fazerem testes para os dois papéis.  Para mim, logo de cara, eu realmente quis interpretar o Shane, e eu lembro da conversa inicial com o elenco, e eles disseram, “Sabe, o Shane não vai ficar na série por muito tempo. Ele morre nos quadrinhos.” Mas essas coisas realmente não são importantes no fim do dia. Essa é uma história incrível de participar. Eu sei que parece brega dizer isso, mas eu quero ser útil para a história, e eu sempre disse que Shane tem que ir, e se isso serve para a história, então, eu, evidentemente, aceito isso. Meu maior medo, e a coisa com a qual estava mais preocupado, especialmente quando Frank foi demitido, era, “Isso agora vai ressoar?” Frank iniciou essa história, e isso pertencia ao Frank. E eu acho que o que os roteiristas tentaram fazer foi honrar o que o Frank tentou, originalmente, fazer. Mas olhe, eu não acho que já houve um caminho claro para ele. Eu sabia que havia rumores sobre ele morrer no final da temporada, e então no início da segunda temporada. Não tinha conhecimento de exatamente quando eles se livrariam do Shane, mas fico agradecido que o Frank tenha sido muito claro comigo no iníco da segunda temporada – será assim quando você morrer, será assim que acontecerá. Então isso me deu uma chance de criar um arco.

Você comoveu todos durante aquela cena, mas conte um pouco sobre como foi se despedir do elenco e da equipe.

Cara, isso realmente foi muito, muito triste. Eu amo aquele elenco e aquela equipe com todo o meu coração, e significou o mundo que todos tenham estado lá naquela noite. E você sabe, geralmente quando algué grava sua última cena, o diretor assistente diz algumas palavras, e todos começam a aplaudir. Mas eu fiz ele me prometer que não faria isso. Por algum motivo, eu não queria que fizesse isso, e quando a cena acabou, era quase seis horas da manhã, e o sol estava começando a nascer. Todo mundo estava congelando, eles tinham passado a noite inteira lá, e nós nos abraçamos, quase como um grupo de zumbis. Ninguém falou nada, todo mundo caminhou junto em silêncio. Eu fiz um discurso e estava chorando um pouco e falei que estava muito orgulhoso de todos, de como tinham ficado juntos, e por termos passado por tudo o que aconteceu.

É engraçado, porque eu prometi a todos que voltaria e meio que diria meu último adeus. E eu vim quando eles estavam gravando o próximo episódio e andei pelo set e vi todo o elenco e toda a equipe trabalhando, e percebi que não fazia mais parte daquilo. E realmente não sabia o que fazer. Esse era o meu seriado! Esses são todos os meus amigos, minha família. E o que eu fiz foi ficar no mato e me esconder e observar eles gravarem por duas horas e meia, enquanto ficava sentado lá. Parecia o maior esquisito do mundo, mas eu não me despedi. Não consegui. Eu só queria assistir. E ninguém sabia que eu estava lá, eu simplesmente voltei para o carro e fui para casa com meu cachorro, Boss. Mas esse foi o melhor trabalho que já tive. Nunca conhecia pessoas que se importassem tanto assim comigo, e foi uma grande honra participar disso, e sentirei muito a falta deles.


Fonte: Entertainment Weekly
Tradução: Elayne Gonçalves / Staff WalkingDeadBr

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA