Siga-nos nas redes sociais

Walking Dead Brasil

Especulando sobre a saída do showrunner de The Walking Dead

Publicado há

em

A AMC anunciou na sexta-feira que tomou a decisão, sem surpresa alguma, de que The Walking Dead terá uma quarta temporada. Após agradar aos fãs com essa nada inesperada notícia, eles fizeram um anúncio mais surpreendente: a rede de TV estava à procura de um novo showrunner para substituir o chefe Glen Mazzara, que estaria indo embora, de maneira “amigável”, após “diferenças de opinião a respeito da direção que o show deveria seguir”. Espere! O quê? Em sua terceira temporada, o drama de zumbis não poderia ser maior, atingindo enormes índices de audiência e não apenas para os padrões da TV a cabo. A série fácil e regularmente alcançou os adultos entre 28 e 49 anos do que seus concorrentes de outras emissoras. Além do mais, Mazzara é creditado pela fiscalização de uma reviravolta criativa; críticos que queixavam-se da segunda temporada de The Walking Dead por terem quase se enraizado na fazenda, comemoravam o ritmo mais rápido e sangrento desta temporada. Então, por que razão os fãs parecem ter ganhado nada mais do que carvão jogado em suas meias de Natal?

Não está claro o que exatamente deu errado. Quando o site Vulture falou com Mazzara pela última vez, enquanto ele concluía a segunda metade da temporada (que retorna em Fevereiro), ele parecia estar genuinamente entusiasmado com o futuro do show. (Seu representante na verdade falou à Vulture que ele atualmente estava ansioso por seu próximo empreendimento”.) Esta bomba foi jogada em uma sexta-feira à tarde, quando a maior parte de Hollywood estava saindo para os feriados, convenientemente tornando possível para todas as partes evitar perguntas difíceis, então só nos resta farejar evidências para as teorias a respeito do que possa ter dado errado.

Retrospectivamente falando, nós provavelmente poderíamos ter visto esse dia chegar: a AMC demorou um bom tempo para dar sinal verde à quarta temporada, mesmo quando a terceira debutou com o enorme número de 10.9 milhões de telespectadores (5.8 milhões entre 18-49 anos). Ano passado, Dead ganhou sua terceira temporada imediatamente após a quebra de recorde da première da segunda temporada (7.3 milhões no total, 3.8 na faixa de 18-49 anos ) – apesar de que isso ocorreu após de eles terem demitido Darabont e chamado Mazzara. Talvez o atraso indicasse que os executivos esperavam algum tipo de novo acordo com Mazzara ao mesmo tempo da renovação, mas esse acordo nunca foi alcançado. ( Recentemente, quando o showrunner de Hell on Wheels, John Shiban, foi desligado do show, após ele ter sido renovado para uma terceira temporada, a AMC voltou atrás e declarou que o sinal verde estaria na dependência de encontrarem alguém para seu lugar).
(Enquanto a alta cúpula da AMC e Mazzara citam “diferenças criativas”, isso provavelmente tenha a ver com dinheiro. A emissora tem uma história de ser dura e inflexível quando o assunto é dinheiro. Seguindo-se às tensas negociações entre os executivos e o criador de Mad Men, Matthew Weiner, ele eventualmente ganhou 30 milhões de dólares por mais três anos, em troca de ceder um pouco mais de tempo de cada episódio para publicidade. Se Mazzara pensou que ele merecia mais – e The Walking Dead tem pelo menos cinco vezes mais audiência que Mad Men – é possível que a AMC não tenha desejado abrir a mão novamente.

Walking Dead é o show mais rentável da AMC – e, ao contrário das demais séries da emissora, que são propriedades e produzidas por outros estúdios, Dead é totalmente deles. É o show que paga todos os demais shows da AMC. Mais uma vez, não temos ideia se um problema nas negociações foi a causa verdadeira dessa ruptura, mas se Mazzara queria uma parte (ou uma parte maior) dos recursos, qualquer um pensaria que, com todo esse lucro, por que não recompensar o homem à frente do show quando todos os índices passaram de ótimos para dominantes? Talvez os executivos tenham decidido que o show já sobreviveu à saída de Frank Darabont, o showrunner original, e Robert Kirkman, que escreveu os quadrinhos nos quais o show é baseado, ainda está por perto. Talvez alguém acredite que Mazzara não é tão intrínseco a The Walking Dead como Weiner é para Mad Men.

Finalmente, Mazzara talvez não tenha estado na melhor posição para barganhar. Quando as negociações ficaram contenciosas entre o chefe de Breaking Bad, Vince Gilligan e a emissora, ele teve o benefício da proteçãoo vinda do patrocinador do show, Sony. Em algum ponto, o estúdio ameaçou levar a final de Breaking Bad para outra emissora. Como a AMC é o estúdio no caso de The Walking Dead, Mazzara não teve esta alavancagem.

Mas, por enquanto, estas são apenas especulações educadas. Os executivos estão aninhados comodamente em suas camas, enquanto visões de ameixas doces e/ou taxas de publicidade dançam em suas cabeças, e até que eles (ou alguém de fora) comece a vazar detalhes, podemos apenas fazer hipóteses. Mas se foi uma questão monetária, isso levará aos criadores de shows a repensar o mundo da tv a cabo, que sempre se baseou na promessa de que eles pudessem fazer o show que quisessem, em troca de se exigir menos dinheiro. Agora que os níveis de audiência para shows como The Walking Dead estão subindo, a ponto de ultrapassar os índices da TV aberta, os escritores para TV começam a questionar suas discrepâncias salariais, quando comparadas TV a cabo e TV aberta.

Robert Kirkman, criador dos quadrinhos de The Walking Dead e produtor executivo da adaptação da AMC para a TV, rompeu o silêncio a respeito da controvérsia que está atingindo a série de zumbis. Ele publicou sua própria nota, expressando seu “total apoio” à decisão, mas até ontem (24/12) ele não havia respondido ao clamor liderado por críticos como Shawn Ryan e Kurt Sutter.

Após o criador de “Sons of Anarchy” ter seguido seu ataque abastecido por “profanações” em seu blog com outra condenação em seu Twitter hoje, Kirkman revidou.

“@sutternik é brilhante e Sons é meu show favorito na TV. Ainda assim, é chato vê-lo discursar sobre coisas das quais ele nada sabe”, escreveu Kirkman, menos de uma hora após as críticas na véspera de Natal:

“A AMC me enviou uma cesta de presentes contendo sabores azedos, frutos proibidos, promessas quebradas e a língua marinada utilizada para lamber o c* do sr. Kirkman”, disse Sutter, cujo drama de motociclistas vai ao ar na FX.

Kirkman tentou colocar panos quentes, no entanto, com uma resposta irônica:

“Exceto pela língua marinada… isso é incrível. Feliz Natal!”

O que você acha da saída de Glen Mazzara? Você acha que a série será prejudicada de alguma maneira? Teria Robert Kirkman alguma ligação com a demissão do showrunner? Deixe suas opiniões nos comentários abaixo.


Fonte: Vulture e Zap2it
Tradução: @BinaPic / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA