Siga-nos nas redes sociais

3ª Temporada

Dissecando The Walking Dead: Robert Kirkman fala sobre a decisão de Rick e o futuro de Andrea

Publicado há

em

Andrea vai continuar em Woodbury? Como Milton vai reagir ao ouvir os planos do Governador? O produtor executivo desmembra o episódio na autópsia semanal do site The Hollywood Reporter.

[Atenção: Esta história contém spoilers do episódio 3×13 – “Arrow on the Doorpost”]

Após os ataques a Woodbury e à prisão, Rick e o Governador finalmente estiveram cara a cara neste episódio.

Rick (Andrew Lincoln), Hershel (Scott Wilson) e Daryl (Norman Reedus) viajaram para Woodbury para seguir a sugestão de Andrea de que um tratado de paz entre as duas comunidades seria viável. Em vez disso, o que Rick encontrou foi um homem dominado pela vingança contra a mulher que matou sua filha zumbi, Penny, e o deixou fadado a usar um tapa-olho por toda a vida.

A decisão do Governador (David Morrissey) não cai bem para Andrea (Laurie Holden), que foi dispensada – junto com sua noção de paz – quase instantaneamente, fazendo-a questionar seu futuro no círculo de “Philip”.

Após retornar de Woodbury, Rick opta por dizer ao seu grupo que o Governador quer apenas guerra – protegendo Michonne (Danai Gurira) do fato de que ela é o centro da vingança do líder do Woodbury.

O Hollywood Reporter conversou com o produtor executivo Robert Kirkman para descobrir o que essas conversas sobre paz significam para todos, com a série se encaminhando para seus três últimos episódios da temporada.

The Hollywood Reporter: Como Andrea reage ao ser dispensada pelo Governador e ver seu plano de paz imediatamente descartado?

Robert Kirkman: Ela está realmente em uma situação difícil na qual seu relacionamento com o Governador – a partir de sua perspectiva – se deteriorou completamente; ela está começando a ver as rachaduras se formarem. Ela tem um pouco de vantagem por ter essa relação já que isso está permitindo que ela trabalhe contra ele e tente salvar o povo de Woodbury.

THR: Andrea questiona o que ela está fazendo em Woodbury e descobre que o Governador agrediu Maggie. Por que ela não aceita a oferta de Hershel de voltar ao grupo?

Kirkman: É uma decisão muito difícil para ela, mas ela está envolvida com a ideia de Woodbury. Apesar de tudo o que o Governador fez, ela vê que essa comunidade tem valor e tem boas pessoas. Por mais que ela possa querer salvar as vidas das pessoas na prisão, é igualmente importante para ela não ver essas pobres pessoas marcharem para uma guerra sem nenhuma razão. Ela está muito envolvida em manter as pessoas em segurança. Isso é o que está mantendo-a lá.

THR: Andrea também não conta a Milton que o Governador dispensou completamente sua tentativa de paz e quer apenas que Rick se renda. Por quê?

Kirkman: Ela não sabe em quem confiar neste momento. Ela gosta de Milton (Dallas Roberts) e poderia até vê-lo como um aliado – mas ela ainda tem dificuldades em decidir o que fazer nessa situação, e ainda está descobrindo as coisas por conta própria. Ela vai manter as rédeas bem curtas neste momento.

THR: Depois de Daryl e Martinez, bem como Hershel e Milton, terem criado um vínculo, como isso vai afetá-los quando eles se enfrentarem em batalha?

Kirkman: Foi muito legal ver esses personagens nesta situação, tendo conversas e se relacionando uns com os outros e se dando bem. Isso vai fazer com que seus confrontos apareçam com muito mais impacto e muito mais história por trás deles. Você vai estar mais envolvido nos personagens que estão sabendo que se não fosse pela missão louca do Governador, e se não fosse por essas duas forças opostas, talvez essas pessoas seriam amigas e talvez eles seriam capazes de se dar bem. Aí está um pouco da tragédia em tudo isso.

THR: Martinez mostrou que ainda tem alguma humanidade. Como é que vamos vê-lo reagir às ordens de ataque do Governador?

Kirkman: Essa é uma questão de seu caráter. Este é um cara que pode ter essas experiências com Daryl Dixon e depois voltar e matar esse cara? Há certamente pessoas no mundo de The Walking Dead que são capazes disso. Se Martinez é ou não um personagem que manteve um pouco de sua humanidade, ou se ele se virou para o lado negro, por assim dizer, e vai ser capaz de fazer isso, é algo que nós temos que esperar para ver.

THR: Rick mente ao grupo, dizendo que o Governador quer a prisão. Será que eles vão descobrir que ele só quer Michonne?

Kirkman: Essa pergunta deve considerar o seguinte: Rick está centrado o suficiente? Será que ele vai ser sábio o suficiente para enxergar através disso e ver o que realmente está acontecendo aqui? Ou será que ele vai cometer um erro grave? É por aí que estamos caminhando daqui para frente. Todo mundo está colocando fé em Rick. É uma decisão um tanto impossível que ele vai ter que fazer. Quem sabe quais serão as consequências de qualquer decisão que ele tome? Elas não vão ser boas.

THR: Será que Rick realmente acredita que não haverá guerra se ele sacrificar Michonne?

Kirkman: Certamente está em sua mente que essa possibilidade existe, mas é como Andrea em Woodbury: Ela acredita que ele é tão perfeito como parece ou ela só quer que ele seja tão perfeito quanto parece? A proposta de que o Governador vai embora e vai deixá-los viver em paz para o resto da vida é um pouco irrealista. O pensamento de que seja possível é atraente o suficiente para sacrificar Michonne? Essa é realmente a questão.

THR: Maggie (Lauren Cohan) observa que Michonne tornou-se parte do grupo e aceitou viver sob seus termos. Como o grupo poderia se sentir quando e se eles descobrirem que ela pode ser a única coisa entre eles e a paz?

Kirkman: Eles poderiam se virar contra ela ou eles poderiam se unir e decidir lutar em sua honra. Essa é realmente a pergunta aqui: Ela já teve tempo para se integrar no grupo ou ela ainda é a intrusa que é facilmente descartada para o bem de todos? Vai ser uma discussão bem difícil, e é uma decisão bem grande para ser feita.

THR: Será que podemos esperar que Milton – que sabe que o governador está planejando matar Rick quando ele voltar – e Andrea tentem fugir de Woodbury para avisar Rick?

Kirkman: Tudo é possível. Eu me orgulho do fato de que quando você se senta para ler uma edição de The Walking Dead, ou para assistir a um episódio da série, você realmente não sabe o que vai acontecer. É muito legal que esses personagens possam mudar de lado e possam fazer coisas que são inesperadas de uma hora para outra. Você realmente não sabe em que direção a história está indo de semana a semana. É esse elemento surpresa que faz a série tão popular. O próximo episódio pode ter um pouco mais disso nele.

THR: Como será o próximo encontro entre Rick e o Governador?

Kirkman: Com The Walking Dead, nós nunca fazemos a mesma coisa duas vezes. O próximo confronto não vai ser a segunda vez vendo-os sentados à mesa conversando um com o outro. Vai ser muito diferente – possivelmente um pouco mais explosivo, possivelmente um pouco mais de ação no pacote.

THR: Quão intensa será a batalha que está por vir? Nos quadrinhos é muito brutal, com a perda da mão de Rick sendo apenas a ponta do iceberg.

Kirkman: Nós todos estivemos forçando os limites sobre o que se pode fazer na televisão. A história sempre dita para onde vamos e quão sombrias as coisas são. Nós fizemos algumas coisas muito horrendas na HQ – coisas que você pensaria que nunca seria capaz de ver na televisão. Eu acho que nós vamos surpreender as pessoas de tempos em tempos. Os próximos episódios tem algumas coisas bem incríveis neles.

O que você achou do encontro entre Rick e o Governador? Foi um pouco decepcionante por não ter havido nenhuma ação, ou foi bom para preparar o terreno para o que está por vir? E quanto a Michonne, você acha que Rick vai acabar entregando-a ao Governador, numa tentativa de salvar o restante do grupo? Deixe suas opiniões nos comentários!


Fonte: THR
Tradução: Nat Price / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA