Siga-nos nas redes sociais

2ª Temporada

A Série Consegue Sobreviver Após a Saída de Frank Darabont?

Rafael Façanha

Publicado há

em

A primeira temporada de The Walking Dead chegou ao fim com inúmeros mistérios, mas ao chegar na sua segunda temporada, só existe uma pergunta a ser respondida: a série consegue sobreviver após a saída do produtor executivo Frank Darabont?

Darabont, que passou anos desenvolvendo as HQs de Robert Kirkman para a televisão, foi liberado de seus deveres como showrunner no meio da produção da segunda temporada e subtituído pelo seu #2, Glen Mazzara (The Shield). Ainda mais confuso, a mudança chegou dias após Darabont aparecer na Comic-Con para promover a série. Mas assim como os sobreviventes ao apocalipse zumbi, o elenco da série e a equipe continuam em frente.

“Com certeza está sendo um processo difícil, perder Frank do jeito que perdemos,” diz Kirkman ao TvGuide.com. “Enquanto Frank era o cara que aparentava entender The Walking Dead mais do que qualquer outra pessoa, tivemos sorte de conseguir Glen para seguir seus passos… Ele estava lá trabalhando comigo e com Frank desde o início dessa temporada. Então tem sido uma transição bem leve. Sinto que a série está em boas mãos”

“É um problema por-trás-dos-bastidores bem interessante, mas estou feliz em comunicar que vai ficar bem atrás dos bastidores,” Kirkman prossegue. “Quando você estiver sentado assistindo a um episódio, você não vai perceber nenhuma mudança.”

Mazzara diz que sua primeira ordem foi evidenciar ainda mais o personagem principal, o xerife Rick Grimes (Andrew Lincoln). “Eu queria focar a série no herói central,” ele diz. “Rick é um líder nato, mas está passando por uma crise de fé e tem encarado circunstâncias inacreditáveis. O problema do Rick é que ele precisa levar seu grupo à segurança, e a verdade é que não há lugar seguro nesse mundo.”

Kirkman acrescenta: “Rick vai descobrir se ele é capaz de liderar essas pessoas. As decisões que toma são corretas? Isso é algo que pesa para ele bem no ínicio da temporada.”

A crise pessoal de Rick também vai pressionar o relacionamento secreto entre sua esposa Lori (Sarah Wayne Callies) e o melhor amigo Shane (Jon Bernthal), que começaram a dormir juntos quando acharam que Rick estava morto. “Ambos escolheram acreditar no que queriam,” diz Mazzara. “Mesmo se a audiência tiver certa noção de como as coisas aconteceram entre esses dois personagens, Lori e Shane continuam a rever a história. [Mas] todos esses segredos não podem continuar segredos por muito tempo. Quando há um pequeno grupo de pessoas, todos sabem sobre todos. E, certamente, coisas serão reveladas quando as pessoas não desejarem.”

Curiosamente, é Shane quem pode escolher se remover da situação inconfortável. “Vejo [Shane] como essa figura muito trágica,” diz Kirkman. “Ele basicamente tem se dado mal em todas as situações e veremos isso pesar sobre ele. Ele se importa imensamente com Lori e com o melhor amigo, mas… isso está deixando-o louco. Então iremos vê-lo tomando decisões estranhas por culpa dessa pressão.”

E Shane pode achar uma companhia em Andrea (Laurie Holden), que está com rancor de Dale (Jeffrey DeMunn) por convencê-la a ficar para trás para morrer no Centro de Controle de Doenças. A determinação do grupo em sobreviver irá, eventualmente, se quebrar.

“Certas pessoas se perguntarão ‘Por que continuar vivendo em um mundo tão sem esperança?'”, diz Kirkman. “E esse é um tema central para essa temporada: como continuamos a ter esperança apesar desses acontecimentos horríveis.. e qual o motivo disso tudo? Depois de algum tempo, sobreviver por um fundamento se torna uma questão tão duvidosa que você começa a pensar em outras alternativas, não importa o quão sombrias sejam.”

Mas o grupo não vai enfrentar só conflitos internos. Uma emergência médica vai levá-los até a fazenda do vegetariano Hershel Greene (Scott Wilson), onde outro grupo de sobreviventes não estarão a fim de dar boas-vindas a novatos. “É como ir a um planeta completamente diferente”, afirma Kirkman. “[Rick & Cia] estão enfrentando pessoas que enfrentaram zumbis de outra forma. A população é menos densa, é uma ameaça mais manuseável, e eles tem outra visão de como lidar com essas coisas. Vai haver um tremendo conflito ao tentar coexistir, mas também ao ter essas imensas diferenças fundamentais em como prosseguir com suas vidas.”

Mazzara acrescenta: “Nós realmente queríamos colocar Rick em uma situação em que se pega tentando fazer a coisa certa para Hershel e para seu grupo. Pelo ponto de vista de Hershel, Rick e o grupo são uma praga. A vida de Hershel seria muito mais fácil se Rick seguisse em frente.”

Mas assim como na primeira temporada, Mazzara diz que os telespectadores não devem esperar que a parte da fazenda de Hershel siga estritamente a versão original da HQ. “Temos muitos truques na manga”, ele diz. “Constantemente escolhemos coisas que surpreendem Robert Kirkman, e ele nos surpreende com seus papos… Não sentimos a obrigação de seguir fielmente a versão original. Na verdade, isso nunca foi parte do jogo. Achamos que a série é mais bem sucedida quando desviamos um pouco dos gibis.”


Fonte: TV Guide
Tradução: Débora Moreira / Staff WalkingDeadBr

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA