Siga-nos nas redes sociais

4ª Temporada

Os chefões de The Walking Dead falam sobre as ameaças da quarta temporada, novos personagens e velhos inimigos

Publicado há

em

Quando The Walking Dead retornar no próximo outono, Rick (Andrew Lincoln) & Cia. ainda estarão vivendo na prisão – mas isso não significa que estamos tranquilos enquanto o grupo reaprende a viver em comunidade. Depois de tudo, ainda há a sempre presente ameaça do Governador (David Morrissey), que abandonou Woodbury e deixou seus moradores para serem resgatados por Rick. Mas como Rick está lidando com este mundo onde quase todos de quem ele se aproximou morreu e seu filho está a caminho de se tornar um monstro? O TV Guide falou com o produtor executivo e criador da HQ Robert Kirkman e o novo showrunner Scott Gimple a respeito da nova temporada e que elementos da HQ poderão ser introduzidos este ano.

Como você se sente indo para a Comic-Con não apenas para celebrar o show da AMC mas também os dez anos dos quadrinhos?

Robert Kirkman: É bizarro. Estamos chegando ao décimo aniversário e não parece que se passaram 10 anos. Certamente é uma sensação estranha.

Como vocês estão tão adiante nos quadrinhos, alguma vez você considerou introduzir algumas histórias mais cedo, como trazer o vilão Negan?

Kirkman: É realmente tentador, quando você está adaptando um show. Algumas vezes é uma verdadeira batalha, por que eu sinto que há coisas legais esperando nos quadrinhos e que poderíamos usar mais cedo no show. Mas estas coisas apenas funcionam por causa de tudo o que veio antes. Temos que construir isso adequadamente. Negan não será algo legal se não construirmos este caminho, e mais isso e isso. Queremos mostrar Negan e parece que todos no show querem o Negan também, mas temos coisas a fazer antes disso.

Scott Gimple: Lendo o livro agora e vendo Negan como um personagem, eu fico como “Cara, há tanta coisa a ser feita antes de chegar nele!” Uma das minhas edições favoritas com ele recentemente foi a história de Carl/Negan. Eu acho que daria um episódio incrível, mas temos muito a fazer antes de chegarmos lá.

O rumo que a série tomou é tão diferente dos quadrinhos. No final da segunda temporada, pelo menos tivemos alguma indicação do que viria a seguir, com a apresentação da Michonne e o vislumbre da prisão. O que podemos esperar na próxima temporada?

Kirkman: Espere muitas surpresas. Os fãs dos quadrinhos que acharam que a série se distanciou dos quadrinhos terão uma grata surpresa na quarta temporada. Honestamente, algumas das adaptações mais próximas aos quadrinhos acontecem justamente na quarta temporada. Há várias coisas legais que lá acontecem e que serão adaptadas quase que diretamente, algo que eu não era muito a favor. Mas Scott Gimple é capaz de me convencer de algumas coisas vez ou outra.

Gimple: Acho que é algo que eu sempre fiz e sempre quis fazer. Alguns dos momentos que escrevi no show e que me fez sentir realmente obstinado por eles, como Sophia saindo do celeiro ou Rick no telefone durante o episodio “Hounded” são inspirados nos quadrinhos. Sophia nunca saiu do celeiro nos quadrinhos, mas a família de Hershel saiu, e afetou-o da mesma maneira como aconteceu no show. A maneira como eu abordo isso é como se fosse um remix dos quadrinhos, mas sendo fiel àqueles momentos de maneiras diferentes. Como um fã, pode ser realmente excitante, pois você reconhece esses momentos e você os conhece, mas de uma maneira que vai surpreender a todos, que não serão capazes de prever o que estava por vir.

Kirkman: A dinâmica é sempre assim: Scott dizendo “Espere! Isso foi legal nos quadrinhos,” e eu dizendo “Não! Enchi o saco disso! Vamos fazer algo novo!”. Ele ganhou algumas vezes durante a quarta temporada. Haverá coisas que as pessoas irão diretamente se referir aos quadrinhos, já no inicio da quarta temporada. Eu acho que os fãs da HQ não sabem o que esperar, e isso é o melhor de tudo.

Scott, qual foi a sua primeira reação quando soube que iria dominar os reinos de The Walking Dead?

Gimple: Eu tenho uma relação saudável com o medo. Tenho medo de fazer o jantar para minha esposa e estragar tudo. Eu amo todos no show e eu amo todos os fãs, e quero apenas fazer a coisa certa para eles. Eu posso dizer que recebi muito apoio do pessoal do show, de quem o faz, da AMC. Eu sabia que teria muita ajuda.

O título da premiere, “30 Days Without an Accident” (30 Dias Sem Acidentes), sugere que Rick e os sobreviventes estão bem?

Kirkman: Acho que você pode presumir isso. Sempre gostei da maneira como nossas temporadas são estruturadas, há sempre uma variação. Esses personagens chegam a um ponto em que eles estão OK, onde sabem o que estão fazendo e para onde estão indo. São períodos que ocorrem entre as temporadas. Quando a m… começa a bater no ventilador e as coisas começam a ficar legais de novo, essas são as partes que você vê.

Nós ainda veremos as consequências das mortes de Andrea e Merle na nova temporada?

Gimple: Eu não diria que imediatamente, mas isso ainda está ressoando entre eles. Eles não estão tão endurecidos a ponto de não sentir essas coisas. A morte de Andrea afetou a todos profundamente – Michonne talvez em grau maior, e foi algo muito importante para Rick. Rick deixou as pessoas se aproximarem no final. Aquilo foi gigantesco, para quem, antes, havia mandado Tyreese embora, e Tyreese parecia ser um cara realmente legal. Outro grande ponto que ressoa diretamente em Rick é o fato de que seu filho atirou no rosto de alguém. Alguém que estava se rendendo. Dale falou no episódio 11 da segunda temporada: “É isso que você quer para seu filho? Você quer que ele atire primeiro?” É um alerta para Rick. Isso afetará ele muito, muito, nesta temporada.

Os relacionamentos de Rick serão diferentes nesta temporada, após a inclusão de Tyreese no grupo?

Gimple: Eu estou muito, mas muito entusiasmado com as histórias que Tyreese terá nesta temporada. Em relação a Rick e seu relacionamento com esses personagens, eu acho que eles continuam muito, muito próximos. O grupo inteiro é muito unido. Eu direi que Michonne nunca fez parte de grandes grupos, e temos visto ela não ser muito boa com isso. Então, esta transição para ela tem sido grandiosa.

Vocês podem falar sobre alguns dos sobreviventes novos que Rick resgatou no final da última temporada?

Kirkman: Algum tempo passou e há novos grupos, novos personagens que vieram à prisão neste mês de intervalo. Há alguns personagens, como Bob Stookey, que não são muito capaz ou úteis, e então há outros personagens como Tyreese e Sasha, que estão progredindo muito. Karen, outra personagem que veio de Woodbury, será essencial para a temporada. Há muito sangue novo e muitos rostos novos. O elenco realmente se expandiu, o que normalmente ocorre no inicio de cada temporada, reduzindo-se no final. Esta temporada também será assim.

O Governador ainda está lá fora e David Morrissey é um regular na próxima temporada. Os sobreviventes estarão sentindo esta ameaça constante que pode retornar a qualquer momento?

Kirkman: Se nós tivermos feito nosso trabalho direitinho, vocês estarão vendo cada cena da quarta temporada dizendo “Cara, eu não acredito que isso está acontecendo! O Governador ainda está lá, eu havia esquecido! Oh, lá está a ameaça que pode cair sobre eles a qualquer momento!” Sabemos que ele está lá fora, o público também sabe, e há definitivamente algo vindo no horizonte. Você nunca sabe o que irá acontecer ou quando. É uma ameaça desconhecida, mas você pode estar certo que aquele cara não foi embora.

Você pode contar qual será a tônica da próxima temporada? Ano passado foi sobre os humanos serem mais perigosos do que os zumbis.

Kirkman: Há um esforço considerável para lembrar as pessoas do quão grande é a ameaça representada verdadeiramente pelos zumbis. Eu não acho que nós tenhamos fugido disso, mas nós desviamos o nosso foco para o antagonismo humano na terceira temporada. Na quarta temporada nós estamos definitivamente enfocando nos zumbis, mostrando-os como uma ameaça clara e os trazendo de volta à linha de frente, de uma certa forma. Eles serão um perigo enorme e bem presente, com o qual todos terão que lidar. Mas ao mesmo tempo nós gostamos de trazer também os humanos como uma grande ameaça na terceira temporada. Estaremos trazendo mais uma ameaça, que seria a natureza em si. Eu não quero entrar em detalhes, mas direi que há uma terceira ameaça incontrolável, quase indestrutível, que surgirá no show quando os personagens estiverem mais vulneráveis. Será algo com o qual eles terão momentos difíceis tentando lidar.

Gimple: Eu digo que amo quando fizemos alguns momentos mais leves no show, e nós temos estes momentos, mas haverá uma quantidade enorme de histórias sombrias nesta temporada. Há coisas mais leves interessantes, mas isso é The Walking Dead; não é Seinfeld. As coisas ficam sombrias. As coisas ficam difíceis, assustadoras e muito legais. Mas há um certo equilíbrio com humor também.

O mundo se abrirá mais nesta temporada?

Kirkman: Tudo é possível. Qualquer um que esteja preocupado por estarmos somente na prisão e não explorando o mundo não precisa se preocupar. Haverá muita exploração nesta temporada. Não será algo contido entre as grades da prisão, para ser bem honesto.

Algumas fotos vazaram na rede que mostram — SPOILER ALERT — que Rick pode perder sua mão, como nos quadrinhos. O que você pode dizer a respeito?

Kirkman: Direi que Scott Gimple é um grande fã dos quadrinhos e possivelmente possa tentar me convencer a fazer o show mais próximo do que ocorre nos quadrinhos. Mas também algumas pessoas podem estar interpretando mal estas fotos. Quem sabe?

Gimple: Talvez eu o tenha convencido. Possivelmente. Não saberemos.

O que o deixa mais ansioso para a próxima temporada? Deixe sua opinião nos comentários abaixo. A quarta temporada de The Walking Dead estreia em Outubro na AMC e o trailer oficial será divulgado durante a Comic Con de San Diego, na sexta-feira (19/07).

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para mais informações sobre a quarta temporada.


Fonte: THR
Tradução: @BinaPic / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA