Siga-nos nas redes sociais

Curiosidades

Walking Dead Brasil invade a Wizard World Philadelphia Comic Con 2013

Publicado há

em

Esse é um breve relato, em linhas gerais, da minha experiência durante a Wizard World Philadelphia Comic Con de 2013, acompanhando o elenco de The Walking Dead durante as atividades, o que, sem dúvida alguma, foi uma experiência e tanto.

A Comic da Philadelphia não é a maior e tampouco a mais famosa, mas, na opinião de todos os presentes foi a melhor deste ano até o momento. O ritmo é frenético, a quantidade de opções de atividades e de atrações não deixam espaço sequer para respirar. Isso sem mencionar o fato de que a vontade de comprar tudo o que se vê pela frente é irresistível! Cosplayers e não cosplayers convivem pacificamente, assim como todas as “tribos” presentes – heróis de HQ, criaturas diversas, vampiros, zumbis. Porém, indubitavelmente, The Walking Dead, ao lado dos heróis de Stan Lee, dominou a convenção.

Tive a oportunidade de conversar com quatro queridos atores do elenco de The Walking Dead: Michael Rooker (Merle Dixon), Norman Reedus (Daryl Dixon) e Nick Gomez (Tomas) e Jon Bernthal (Shane). Um ponto em comum para os quatro atores: TODOS, ao ouvir falar em Brasil, entraram automaticamente em modo ativado de entusiasmo! Nenhum deles esteve aqui ainda, e todos disseram que seu sonho é vir para cá. Assim como todo americano hoje em dia, eles também tem uma ideia paradisíaca do Brasil, como um país rico e em crescimento constante, repleto de praias e lugares lindos para se conhecer. Ser brasileira abriu várias portas por aqui, por incrível que pareça… Eles tem um carinho e um respeito enormes por nosso país.

O primeiro com quem conversei foi Michael Rooker, a quem chamo agora carinhosamente de Taz – ele é um furacão! Não para quieto um segundo, chega reorganizando tudo o que os voluntários haviam organizado previamente, provoca a plateia na fila, distribui sorrisos e simpatia. A primeira frase que ouvi dele foi: “FINALMENTE ALGUÉM DO BRASIL VEIO ME VER!!!” Ele conta com um entusiasmo quase infantil e com um semblante iluminado sobre a vinda dele pra Immortal Con. Passa 110% do tempo brincando, fazendo trocadilhos, trollando, contando histórias, abraçando, beijando, contando mais histórias, trollando mais um pouco. É o legítimo One Man Show. Não raro, eu estava distraída fazendo alguma outra coisa durante a Con e era surpreendida (no sentido de tomar susto mesmo) por ele correndo em nossa direção para dizer alguma gracinha ou pedir nossos doces e sair correndo depois de volta para a sua mesa!

Inicio > Extras > Wizard World Comic Con Philadephia (By Sabrina Picolli – Walking Dead Brazil) > Painel com Michael Rooker, Jon Bernthal e Norman Reedus (01/06/13)

A seguir, conversei com Jon Bernthal. Ele está encantado com o mundo das convenções, embora, dentre todos, seja o que está menos acostumado. Jon é uma pessoa extremamente gentil e simpática e dá a impressão de ser absurdamente tímido. Ficou bastante entusiasmado quando recebeu os presentes enviados pelo staff do Walking Dead Brasil e foi o primeiro a posar com a camiseta junto ao peito. Comoveu-se ao receber presentes onde constavam a foto dos seus filhos – ele é extremamente apegado à crianças e, cada vez que ouvia um chorinho na fila, ele dizia o quanto sentia falta dos seus garotos, com uma doçura de partir o coração. Também falou sobre sua vontade de conhecer o nosso país em algum momento (alô, MK Eventos!!!) e o quanto ficava feliz em ter notícias de nossa terra. É um dos poucos que coloca dedicatórias nos autógrafos, além da assinatura. Aquele “to the sweetest girl in Brazil” nunca será esquecido!

Em seguida, fui conhecer Nick Gomez, o Tomas da primeira parte da terceira temporada de The Walking Dead. Ele é um poço de entusiasmo e de simpatia e, assim que chegamos à mesa dele, começou a mostrar, orgulhoso, as fanarts que havia recebido e os donuts que fizeram para ele, oferecendo também a nós. Ele é do tipo que sai de trás da mesa para conversar com você de perto, como velhos conhecidos, e também é do tipo que personaliza seus autógrafos com dedicatórias. Passeia pelos corredores da Con conversando com todos e tem uma memória inacreditável, chamando cada um dos fãs pelo nome e sempre se mostrando incrivelmente afetuoso e bom de papo. Fica realmente feliz quando não apenas o reconhecemos pelo seu trabalho em The Walking Dead, como também quando comento que mal posso esperar para revê-lo em Dexter. Ele realmente fica gratíssimo pelo reconhecimento!

Por fim, Norman Reedus – e, inicialmente, com a péssima notícia de que seria proibido tirar fotos na mesa dele (devido à grande quantidade de pessoas na fila). A primeira conversa foi maior com o agente dele (Sean Clark) do que propriamente com ele, a quem mais cumprimentei e me dei a reconhecer. Mais tarde retornei para conversarmos melhor – desta vez, com a regra sendo quebrada por ele, fotos permitidas e inclusive solicitadas pelo próprio. Norman está cada vez mais doce, mais humilde, mais adorável! Para ele, o contato físico é uma forma de se comunicar e ele não sabe ficar sem abraçar, beijar, segurar nas mãos, roubar seu celular para tirar fotos, ouvir e responder com atenção e, ao lado de Rooker, foi um dos mais entusiasmados ao ouvir a palavra BRASIL, quase pulando para o outro lado da mesa e quase implorando para que o levássemos para lá algum dia (alô, MK Eventos de novo!!!!)

O painel de The Walking Dead aconteceu somente no dia seguinte (leia-se terceiro dia da Convenção, uma vez que o elenco só estava presente a partir do segundo dia) e foi um painel com algumas peculiaridades: em momento algum tivemos Norman, Jon e Michael juntos na mesa e ao mesmo tempo, em função das enormes filas nas mesas de autógrafos. Era bem claro que os fãs nas mesas eram a prioridade de todos e, por isso, houve um revezamento para a sessão de perguntas e respostas. O painel foi conduzido pelo extraordinário Marc B. Lee, experiente moderador em convenções, com cerca de 30 anos de experiência e que conhece muito bem o elenco. Ele soube animar a plateia (ou seria a horda de fãs?), contou histórias sobre cada um deles em convenções anteriores e, bem, deixou Chris Hardwick no chinelo!

Inicio > Extras > Wizard World Comic Con Philadephia (By Sabrina Picolli – Walking Dead Brazil) > Variadas (31/05 a 02/06)

Como regra geral, era proibido fazer perguntas pessoais ou sobre a quarta temporada de TWD, pois os atores estavam proibidos de responder.

Cada um a seu tempo, Michael Rooker, Jon Bernthal e Norman Reedus exibiram ostensivamente seus estilos ao adentrar o palco e responder às perguntas dos fãs. Rooker não ficou sentado por mais de dez segundos e, quando o fez, foi sobre a mesa! Caminhava de um lado ao outro e fazia comentários como “este é um painel onde me fazem perguntas e eu não respondo – ao menos não como querem que eu responda!” Ele brinca o tempo todo, e a cada resposta uma gargalhada – o One Man Show se manifesta de maneira surpreendente e arranca aplausos de todos. Bernthal é o mais “politicamente correto”, esbanjando simpatia e respondendo detalhadamente às perguntas feitas, somente se desconcertando quando uma menina de aproximadamente 9 anos vai ao microfone e dispara: “minha mãe quer saber se você é casado!” O auditório vem abaixo! Norman Reedus é uma criança no palco! Antes de qualquer outra coisa ele filma a plateia e tira fotos de todos. Também não consegue ficar parado por muito tempo, sendo um exato meio-termo entre a explosão de energia de Rooker e o moço bem comportado Jon. Demonstra o tempo todo o seu fraco por crianças, sendo absolutamente atencioso às perguntas delas e inclusive recebendo presentes no palco.

O painel deveria ter a duração de 45 minutos mas foi a mais de uma hora. Nada foi dito a respeito da quarta temporada de TWD, exceto por uma frase de Norman, dando a acreditar que ela está ficando surreal e que vai surpreender a todos. Sobre a inserção dos irmãos Dixon nos quadrinhos, Rooker é categórico ao dizer que isso não deve acontecer – ao menos Kirkman nada disse a ele a respeito. Algo que foi perguntado a eles também foi sobre os “jantares da morte” – como eles são feitos em locais públicos e não com casa fechada para o elenco, eles tentam disfarçar ao máximo esses jantares, fazendo parecer um evento absolutamente normal e corriqueiro, uma vez que todos vivem na cidade durante as filmagens.

Durante o resto do dia e o dia seguinte, as atividades foram centradas nas mesas de autógrafos e nos PhotoOps (sessões de fotos oficial do evento, com fotografo profissional). As PhotoOps tem um ritmo acelerado, e tudo tem que estar pronto em, no máximo, meia hora. Ainda assim, em algumas delas, quase que fui arrancada de dentro do recinto pelos voluntários da convenção – assim como vários outros fãs – pois todos eles simplesmente não deixavam ir embora! E o coração dividido entre não atrapalhar o andamento da atividade/prejudicar os outros fãs e ficar por ali? Houve momentos em que, sinceramente, e sem vergonha nenhuma de admitir, meu ímpeto foi optar pela segunda opção.

Na festa oficial de confraternização dos vips da convenção apenas Nick Gomez apareceu. Rooker tinha outro compromisso e Norman não saiu do centro de convenções antes das dez da noite (o evento terminava às sete), atendendo os fãs, e estava exausto. Gomez mais uma vez mostrou-se acessível e muito simpático, conversando e interagindo com todos os presentes.

A parte mais difícil é o final. Quando acontecer a Immortal Con vocês irão entender o quanto dói deixar para trás esta vida de sonho, as experiências vividas, as amizades formadas e todo um final de semana que parece ter saído de uma realidade paralela. Agora é sentar e planejar a próxima…

E que tenhamos mil anos de convenções com The Walking Dead pela frente!

Por @BinaPic, Junho de 2013.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA