Siga-nos nas redes sociais

Curiosidades

Walking Dead Brasil invade a Wizard World Philadelphia Comic Con 2013

Sabrina Picolli

Publicado há

em

Esse é um breve relato, em linhas gerais, da minha experiência durante a Wizard World Philadelphia Comic Con de 2013, acompanhando o elenco de The Walking Dead durante as atividades, o que, sem dúvida alguma, foi uma experiência e tanto.

A Comic da Philadelphia não é a maior e tampouco a mais famosa, mas, na opinião de todos os presentes foi a melhor deste ano até o momento. O ritmo é frenético, a quantidade de opções de atividades e de atrações não deixam espaço sequer para respirar. Isso sem mencionar o fato de que a vontade de comprar tudo o que se vê pela frente é irresistível! Cosplayers e não cosplayers convivem pacificamente, assim como todas as “tribos” presentes – heróis de HQ, criaturas diversas, vampiros, zumbis. Porém, indubitavelmente, The Walking Dead, ao lado dos heróis de Stan Lee, dominou a convenção.

Tive a oportunidade de conversar com quatro queridos atores do elenco de The Walking Dead: Michael Rooker (Merle Dixon), Norman Reedus (Daryl Dixon) e Nick Gomez (Tomas) e Jon Bernthal (Shane). Um ponto em comum para os quatro atores: TODOS, ao ouvir falar em Brasil, entraram automaticamente em modo ativado de entusiasmo! Nenhum deles esteve aqui ainda, e todos disseram que seu sonho é vir para cá. Assim como todo americano hoje em dia, eles também tem uma ideia paradisíaca do Brasil, como um país rico e em crescimento constante, repleto de praias e lugares lindos para se conhecer. Ser brasileira abriu várias portas por aqui, por incrível que pareça… Eles tem um carinho e um respeito enormes por nosso país.

O primeiro com quem conversei foi Michael Rooker, a quem chamo agora carinhosamente de Taz – ele é um furacão! Não para quieto um segundo, chega reorganizando tudo o que os voluntários haviam organizado previamente, provoca a plateia na fila, distribui sorrisos e simpatia. A primeira frase que ouvi dele foi: “FINALMENTE ALGUÉM DO BRASIL VEIO ME VER!!!” Ele conta com um entusiasmo quase infantil e com um semblante iluminado sobre a vinda dele pra Immortal Con. Passa 110% do tempo brincando, fazendo trocadilhos, trollando, contando histórias, abraçando, beijando, contando mais histórias, trollando mais um pouco. É o legítimo One Man Show. Não raro, eu estava distraída fazendo alguma outra coisa durante a Con e era surpreendida (no sentido de tomar susto mesmo) por ele correndo em nossa direção para dizer alguma gracinha ou pedir nossos doces e sair correndo depois de volta para a sua mesa!

Inicio > Extras > Wizard World Comic Con Philadephia (By Sabrina Picolli – Walking Dead Brazil) > Painel com Michael Rooker, Jon Bernthal e Norman Reedus (01/06/13)

A seguir, conversei com Jon Bernthal. Ele está encantado com o mundo das convenções, embora, dentre todos, seja o que está menos acostumado. Jon é uma pessoa extremamente gentil e simpática e dá a impressão de ser absurdamente tímido. Ficou bastante entusiasmado quando recebeu os presentes enviados pelo staff do Walking Dead Brasil e foi o primeiro a posar com a camiseta junto ao peito. Comoveu-se ao receber presentes onde constavam a foto dos seus filhos – ele é extremamente apegado à crianças e, cada vez que ouvia um chorinho na fila, ele dizia o quanto sentia falta dos seus garotos, com uma doçura de partir o coração. Também falou sobre sua vontade de conhecer o nosso país em algum momento (alô, MK Eventos!!!) e o quanto ficava feliz em ter notícias de nossa terra. É um dos poucos que coloca dedicatórias nos autógrafos, além da assinatura. Aquele “to the sweetest girl in Brazil” nunca será esquecido!

Em seguida, fui conhecer Nick Gomez, o Tomas da primeira parte da terceira temporada de The Walking Dead. Ele é um poço de entusiasmo e de simpatia e, assim que chegamos à mesa dele, começou a mostrar, orgulhoso, as fanarts que havia recebido e os donuts que fizeram para ele, oferecendo também a nós. Ele é do tipo que sai de trás da mesa para conversar com você de perto, como velhos conhecidos, e também é do tipo que personaliza seus autógrafos com dedicatórias. Passeia pelos corredores da Con conversando com todos e tem uma memória inacreditável, chamando cada um dos fãs pelo nome e sempre se mostrando incrivelmente afetuoso e bom de papo. Fica realmente feliz quando não apenas o reconhecemos pelo seu trabalho em The Walking Dead, como também quando comento que mal posso esperar para revê-lo em Dexter. Ele realmente fica gratíssimo pelo reconhecimento!

Por fim, Norman Reedus – e, inicialmente, com a péssima notícia de que seria proibido tirar fotos na mesa dele (devido à grande quantidade de pessoas na fila). A primeira conversa foi maior com o agente dele (Sean Clark) do que propriamente com ele, a quem mais cumprimentei e me dei a reconhecer. Mais tarde retornei para conversarmos melhor – desta vez, com a regra sendo quebrada por ele, fotos permitidas e inclusive solicitadas pelo próprio. Norman está cada vez mais doce, mais humilde, mais adorável! Para ele, o contato físico é uma forma de se comunicar e ele não sabe ficar sem abraçar, beijar, segurar nas mãos, roubar seu celular para tirar fotos, ouvir e responder com atenção e, ao lado de Rooker, foi um dos mais entusiasmados ao ouvir a palavra BRASIL, quase pulando para o outro lado da mesa e quase implorando para que o levássemos para lá algum dia (alô, MK Eventos de novo!!!!)

O painel de The Walking Dead aconteceu somente no dia seguinte (leia-se terceiro dia da Convenção, uma vez que o elenco só estava presente a partir do segundo dia) e foi um painel com algumas peculiaridades: em momento algum tivemos Norman, Jon e Michael juntos na mesa e ao mesmo tempo, em função das enormes filas nas mesas de autógrafos. Era bem claro que os fãs nas mesas eram a prioridade de todos e, por isso, houve um revezamento para a sessão de perguntas e respostas. O painel foi conduzido pelo extraordinário Marc B. Lee, experiente moderador em convenções, com cerca de 30 anos de experiência e que conhece muito bem o elenco. Ele soube animar a plateia (ou seria a horda de fãs?), contou histórias sobre cada um deles em convenções anteriores e, bem, deixou Chris Hardwick no chinelo!

Inicio > Extras > Wizard World Comic Con Philadephia (By Sabrina Picolli – Walking Dead Brazil) > Variadas (31/05 a 02/06)

Como regra geral, era proibido fazer perguntas pessoais ou sobre a quarta temporada de TWD, pois os atores estavam proibidos de responder.

Cada um a seu tempo, Michael Rooker, Jon Bernthal e Norman Reedus exibiram ostensivamente seus estilos ao adentrar o palco e responder às perguntas dos fãs. Rooker não ficou sentado por mais de dez segundos e, quando o fez, foi sobre a mesa! Caminhava de um lado ao outro e fazia comentários como “este é um painel onde me fazem perguntas e eu não respondo – ao menos não como querem que eu responda!” Ele brinca o tempo todo, e a cada resposta uma gargalhada – o One Man Show se manifesta de maneira surpreendente e arranca aplausos de todos. Bernthal é o mais “politicamente correto”, esbanjando simpatia e respondendo detalhadamente às perguntas feitas, somente se desconcertando quando uma menina de aproximadamente 9 anos vai ao microfone e dispara: “minha mãe quer saber se você é casado!” O auditório vem abaixo! Norman Reedus é uma criança no palco! Antes de qualquer outra coisa ele filma a plateia e tira fotos de todos. Também não consegue ficar parado por muito tempo, sendo um exato meio-termo entre a explosão de energia de Rooker e o moço bem comportado Jon. Demonstra o tempo todo o seu fraco por crianças, sendo absolutamente atencioso às perguntas delas e inclusive recebendo presentes no palco.

O painel deveria ter a duração de 45 minutos mas foi a mais de uma hora. Nada foi dito a respeito da quarta temporada de TWD, exceto por uma frase de Norman, dando a acreditar que ela está ficando surreal e que vai surpreender a todos. Sobre a inserção dos irmãos Dixon nos quadrinhos, Rooker é categórico ao dizer que isso não deve acontecer – ao menos Kirkman nada disse a ele a respeito. Algo que foi perguntado a eles também foi sobre os “jantares da morte” – como eles são feitos em locais públicos e não com casa fechada para o elenco, eles tentam disfarçar ao máximo esses jantares, fazendo parecer um evento absolutamente normal e corriqueiro, uma vez que todos vivem na cidade durante as filmagens.

Durante o resto do dia e o dia seguinte, as atividades foram centradas nas mesas de autógrafos e nos PhotoOps (sessões de fotos oficial do evento, com fotografo profissional). As PhotoOps tem um ritmo acelerado, e tudo tem que estar pronto em, no máximo, meia hora. Ainda assim, em algumas delas, quase que fui arrancada de dentro do recinto pelos voluntários da convenção – assim como vários outros fãs – pois todos eles simplesmente não deixavam ir embora! E o coração dividido entre não atrapalhar o andamento da atividade/prejudicar os outros fãs e ficar por ali? Houve momentos em que, sinceramente, e sem vergonha nenhuma de admitir, meu ímpeto foi optar pela segunda opção.

Na festa oficial de confraternização dos vips da convenção apenas Nick Gomez apareceu. Rooker tinha outro compromisso e Norman não saiu do centro de convenções antes das dez da noite (o evento terminava às sete), atendendo os fãs, e estava exausto. Gomez mais uma vez mostrou-se acessível e muito simpático, conversando e interagindo com todos os presentes.

A parte mais difícil é o final. Quando acontecer a Immortal Con vocês irão entender o quanto dói deixar para trás esta vida de sonho, as experiências vividas, as amizades formadas e todo um final de semana que parece ter saído de uma realidade paralela. Agora é sentar e planejar a próxima…

E que tenhamos mil anos de convenções com The Walking Dead pela frente!

Por @BinaPic, Junho de 2013.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Curiosidades

AMC anuncia especial de Natal de The Walking Dead

Atores antigos e atuais de The Walking Dead vão se reunir virtualmente para o especial de natal “The Walking Dead Holiday Special” da AMC.

Avatar

Publicado há

em

Personagens reunidos em uma mesa cheia de comida em um futuro alternativo de The Walking Dead

Você consegue imaginar a união entre o apocalipse zumbi e o Natal? Pois pode começar a imaginar como seria essa mistura. Isso porque, pela primeira vez, The Walking Dead foi incluída no especial de Natal da AMC dos Estados Unidos, “Best Christmas Ever”. O evento contará com uma reunião virtual com membros do elenco e o apresentador de Talking Dead, Chris Hardwick.

Anunciado exclusivamente para o serviço de streaming AMC+ (o pacote de streaming sob demanda da rede que oferece acesso antecipado e visualização sem anúncios), o evento festivo é um dos vários especiais de feriado que vão ao ar em dezembro. Vale lembrar que episódios selecionados de Talking Dead, o tradicional programa que vai ao ar após os episódios na emissora, já vão ao ar exclusivamente pelo streaming após novos episódios de Fear the Walking Dead e The Walking Dead: World Beyond. Devido à pandemia, o programa é gravado virtualmente.

The Walking Dead Holiday Special será transmitido no domingo, dia 13 de dezembro, uma semana após o fim da primeira temporada de The Walking Dead: World Beyond, o segundo spinoff da série original que promete dar pistas sobre o destino de Rick Grimes e sobre a misteriosa CRM.

LEIA TAMBÉM:
Última temporada de The Walking Dead pode ser dividida em três partes

Arte feita por fã de The Walking Dead com Rick, Michonne, Carl e Judith comemorando o Natal

Participações no especial de Natal de The Walking Dead

Estrelas do passado e do presente de The Walking Dead têm presença garantida no especial de Natal da AMC. Estão confirmadas as participações de Lauren Cohan (Maggie), Melissa McBride (Carol), Josh McDermitt (Eugene), Khary Payton (Rei Ezekiel), Eleanor Matsuura (Yumiko), Cooper Andrews (Jerry), Cassady McClincy (Lydia), Lauren Ridloff (Connie), Cailey Fleming (Judith) e dos “falecidos” IronE Singleton (T-Dog) e Emily Kinney (Beth Greene). Também participam das festividades Scott M. Gimple, diretor de conteúdo do Universo The Walking Dead, e a showrunner Angela Kang.

Os atores se juntam ao apresentador Chris Hardwick durante o programa, que terá uma hora de duração, para falar sobre essa temporada de férias e repassar estes 10 anos de franquia, completados em 2020. Além da retrospectiva de The Walking Dead, os espectadores terão momentos festivos, incluindo uma apresentação de “Up on the Housetop” de Kinney e uma paródia de “Twelve Days of Christmas” realizada por Payton, Andrews, Matsuura e McClincy.

O especial também apresenta um vídeo exclusivo da leitura de “Diverged”, um dos seis novos episódios que estendem a 10ª temporada até 2021. O especial apresentará os novos atores: Robert Patrick (Mays), Okea Eme-Akwari (Elijah) e Hilarie Burton Morgan (Lucille), que vão aparecer ao lado das estrelas Norman Reedus, Jeffrey Dean Morgan, Seth Gilliam, Ross Marquand e Paola Lázaro.

Segundo a AMC, nos capítulos que prorrogam a 10ª temporada de The Walking Dead, “encontramos nossos sobreviventes tentando se levantar após a destruição que os Sussurradores deixaram. Os anos de luta pesam sobre eles enquanto traumas passados vêm à tona, expondo seus lados mais vulneráveis. Todos questionam o estado da humanidade, de sua comunidade e de suas próprias mentes. Eles encontrarão a força interior para perseverar com suas vidas, amizades e grupo intactos?”.

O streaming AMC+ não está disponível no Brasil. Ainda não sabemos se o canal disponibilizará o especial em suas redes sociais para o resto do mundo.

Continue lendo

Curiosidades

Todos os nomes dados aos zumbis do universo de The Walking Dead

Confira uma lista completa de todos os nomes utilizados pelos sobreviventes do universo The Walking Dead para descreverem os zumbis.

Avatar

Publicado há

em

Os Vazios (zumbis) em imagem de The Walking Dead World Beyond

Durante as 10 temporadas de The Walking Dead e as 6 temporadas de Fear the Walking Dead, o Universo The Walking Dead viu muitos sobreviventes, comunidades e zumbis. No mundo fragmentado pós-apocalíptico, sem um governo ou sistema de informação comum – como, digamos, a Internet – os laços que unem o mundo foram rompidos, e isso inclui a linguagem.

Embora alguns desses personagens vivam a poucos quilômetros de distância e falem a mesma língua, eles desenvolveram diferentes convenções de nomenclatura. Isso é especialmente verdadeiro para os fenômenos mais recentes em seu mundo: os cadáveres andando por aí, causando estragos e comendo seus amigos. Enquanto o bando de sobreviventes de Rick decidiu-se pelo termo ‘caminhantes’, existem inúmeras outras maneiras de descrever os mortos-vivos, mesmo dentro das áreas geográficas limitadas para as quais seu grupo se espalhou na Geórgia e Virgínia.

Na mais nova série de TWD, The Walking Dead: World Beyond, que se passa em Nebraska, não é surpreendente que haja uma nomenclatura totalmente diferente para os mortos. Eles os chamam de ‘vazios’. Com isso em mente, coletamos todas as maneiras criativas como os personagens do Universo The Walking Dead descrevem os monstros comedores de carne mais conhecidos como ‘caminhantes’ em todas as três séries para uma breve atualização. Confira a lista:

Walkers (Caminhantes)

Quem usa esse termo?
O grupo original de sobreviventes de Rick cunhou o termo e o carregou com eles aonde quer que fossem (ou colonizassem, dependendo de sua perspectiva).

O que o termo significa?
Os zumbis estão andando por aí. Eles não deveriam estar caminhando, então… caminhantes.

É um termo preciso?
Não completamente. Caminhantes rastejam. Eles flutuam. Eles rolam.

O termo pegou?
Sim. Enquanto o grupo de Rick vagava pela Geórgia, e eventualmente se estabelecia na Virgínia, eles seguiram seu caminho descrevendo os mortos a quem encontrava com eles. Agora esta é a maneira dominante de descrever a ameaça dos mortos-vivos dentro de uma variedade de comunidades que antes usavam outros termos.

LEIA TAMBÉM:
Quem morreu no 16º Episódio da 10ª Temporada de The Walking Dead?

The Infected (Os infectados)

Quem usa esse termo?
Pessoas da ciência, incluindo Dr. Edwin Jenner, e quase todo mundo no início de Fear the Walking Dead.

O que o termo significa?
Bem, as pessoas pegam um vírus, morrem e se tornam mortas-vivas.

É um termo preciso?
Definitivamente.

O termo pegou?
Na verdade não. No início, era assim que algumas pessoas chamavam os zumbis, mas parece ter desaparecido rapidamente. Faz sentido que, com o colapso da sociedade, os usos mais clínicos morram e sejam substituídos por termos mais terrosos.

Empties (Vazios)

Quem usa esse termo?
Residentes do Campus Colony em The Walking Dead: World Beyond.

O que o termo significa?
Jesus usou o termo nos quadrinhos e, de acordo com o produtor executivo Matt Negrete, os andadores estão vazios e isso faz um bom paralelo com o show porque Iris se sente vazia por dentro.

É um termo preciso?
Absolutamente. Os caminhantes não são nada senão cascas vazias.

O termo pegou?
Veremos. Mas, como World Beyond está definido no futuro do apocalipse zumbi e o termo está em uso generalizado em uma sociedade desenvolvida como a Campus Colony, a resposta provavelmente é sim.

Roamers (Perambulantes)

Quem usa esse termo?
Quando Aaron e os alexandrinos originais liderados por Deanna apareceram, era assim que eles se referiram aos zumbis. Até aquele ponto, eles haviam feito um trabalho incrível em mantê-los fora de sua comunidade.

O que o termo significa?
Este é bastante óbvio, já que a maioria dos zumbis vagam por aí, caçando comida (também conhecida como pessoas).

É um termo preciso?
Nem sempre. Tal como acontece com os caminhantes, muitos dos mortos-vivos não são exatamente perambulantes, mas ainda são bastante perigosos. A precisão da linguagem é importante ao rotular uma ameaça como um morto-vivo.

O termo pegou?
De modo nenhum. Assim que o grupo de Rick apareceu, esse termo foi jogado pela janela.

Stinker (Fedorento)

Quem usa esse termo?
Connie, Kelly, Luke, Magna e Yumiko referem-se aos zumbis dessa forma quando eles encontram os sobreviventes em The Walking Dead.

O que o termo significa?
Presumivelmente porque cadáveres em decomposição, como os mortos-vivos, cheiram mal. Isso sugere que os caminhantes cheiram tão mal quanto qualquer outro cadáver, o que dá uma visão inteiramente nova dos horrores do apocalipse.

É um termo preciso?
Se o que foi dito acima for realmente verdade, então, definitivamente.

O termo pegou?
Não. A dominação cultural do grupo de Rick continua.

Lurkers (Espreitadores)

Quem usa esse termo?
Uma variedade de sobreviventes, principalmente no início do surto, especialmente em Woodbury.

O que o termo significa?
Refere-se a um tipo específico de morto-vivo que fica sentado imóvel, parecendo um cadáver (ou seja, sem andar ou perambular) e então ataca.

É um termo preciso?
100%.

O termo pegou?
Espreitadores parece ter morrido no início do surto, mas deve voltar porque descreve um tipo particular de andador, ou não-andador para ser mais exato.

Floaters (Flutuadores)

Quem usa esse termo?
O grupo principal, com o primeiro caso conhecido sendo na fazenda de Hershel, quando eles encontram o infame e grotesco Zumbi do Poço.

O que o termo significa?
Esse termo descreve os caminhantes ligados à água.

É um termo preciso?
Muitas vezes, embora os flutuadores possam fazer outras coisas, como golpear, morder e ser dilacerados em pedaços grotescos e inchados.

O termo pegou?
Já faz um tempo que o grupo usou esse, mas é possível que eles simplesmente não tenham tido a oportunidade de fazer isso, pois é um caso altamente específico.

Geeks

Quem usa esse termo?
Alguns personagens dos membros originais do grupo de Rick: primeiro Daryl, depois Glenn, Shane e T-Dog.

O que o termo significa?
Essa é uma questão em aberto. Daryl poderia estar zombando dos zumbis ao chamá-los de geeks como um vilão em um filme do colégio dos anos 80. Também é possível que isso se refira a um arcaico artista de carnaval que arrancaria a cabeça de um animal vivo durante sua apresentação.

É um termo preciso?
Isso realmente depende do que Daryl está se referindo aqui.

O termo pegou?
Definitivamente não. Daryl mudou para coisas maiores e melhores, e todos os outros que usaram esse termo estão mortos.

Biters (Mordedores)

Quem usa esse termo?
Os residentes de Woodbury.

O que o termo significa?
Os mortos-vivos têm um trabalho. E é morder.

É um termo preciso?
Sim. Este é um dos melhores termos para descrever os zumbis, para ser honesto.

O termo pegou?
Não. Depois que Woodbury foi destruída, os “mordedores” parecem ter morrido tão rápido quanto Governador quando Michonne sua katana nele.

Lame-Brains (Cérebros Falho)

Quem usa esse termo?
Dave e Tony, dois caras que se cruzaram com o grupo de Rick no início do apocalipse, tentaram dominá-los e falharam.

O que o termo significa?
Os caminhantes não são espertos (embora pareçam ter dominado a terra, então…).

É um termo preciso?
Talvez.

O termo pegou?
Definitivamente não. Este termo morreu com Dave e Tony. Eles tentaram matar Rick e companhia uma vez que descobriram que os sobreviventes tinham um lugar seguro para pendurar seus chapéus (a fazenda de Hershel) e foram mortos imediatamente, levantando assim a questão “quem exatamente é o cérebro falho?”

Creepers (Rastejadores)

Quem usa esse termo?
Merle diz isso antes de fazer sua coisa e matar um bando de mortos-vivos.

O que o termo significa?
Na grande tradição de caminhantes e errantes, o termo descreve a natureza cambaleante dos mortos-vivos.

É um termo preciso?
Sim e não. Os mortos-vivos passam muito do seu tempo se mexendo, mas fazem muito mais.

O termo pegou?
Não. Merle infelizmente se foi e este foi com ele e seu gancho: para o túmulo.

Rotters (Podres)

Quem usa esse termo?
Os policiais que dirigem o Hospital Grady Memorial.

O que o termo significa?
Os mortos nada mais são do que cadáveres que estão se decompondo, embora lentamente. Consequentemente, podres.

É um termo preciso?
Sim. Porém, como observado acima, é uma questão em aberto o quanto esses cadáveres estão apodrecendo e qual pode ser a resposta olfativa que os acompanha. Mas, o termo foi usado no início do surto e eles eram policiais, não cientistas com uma quantidade infinita de tempo em suas mãos.

O termo pegou?
Como tantos outros grupos, este termo entrou em conflito com o grupo de Rick, foi merecidamente rejeitado e, pelo que sabemos, sua terminologia nunca foi além do hospital.

Deadheads (Cabeças mortas)

Quem usa esse termo?
Pelo que sabemos, apenas Nicholas, que se desviou do idioma local de seu grupo, que usava o termo ‘errante’, usou o termo.

O que o termo significa?
Embora seja possível que Nicholas fosse um grande fã do Grateful Dead, a explicação mais óbvia é provavelmente a verdadeira.

É um termo preciso?
Sim.

O termo pegou?
Não.

The Wasted (Definhados)

Quem usa esse termo?
O grupo de Brandon, os amigos assassinos do surf party de Fear the Walking Dead, e também alguns membros do Reino.

O que o termo significa?
Os corpos dos mortos-vivos estão, literalmente, se definhando.

É um termo preciso?
Definitivamente. Esta é uma maneira muito boa de descrever os mortos-vivos, o que é surpreendente para um grupo de cabeças-duras liderado por Brandon, embora nem tanto para os membros do Reino. É provável que o grupo de Brandon tenha gostado de como soa a palavra porque gostava de ficar bêbado.

O termo pegou?
Surpreendentemente, não. Quando o Reino, Alexandria e Hilltop se fundiram, este termo nunca mais foi ouvido novamente.

The Passed (Os passados)

Quem usa esse termo?
John Dorie.

O que o termo significa?
Aqueles que já faleceram e ainda estão andando por aí… e comendo gente.

É um termo preciso?
De certa forma. Pessoas mortas comuns também podem ser passadas.

O termo pegou?
Como tantas coisas acontecendo, este termo parece ser exclusivo de John Dorie, um dos personagens verdadeiramente singulares do Universo TWD. Ele provavelmente não se importaria que tivesse pegado.

Hissers (Assobiadores)

Quem usa esse termo?
Amelia, uma mulher com um filho a quem Negan tenta ajudar antes que Brandon (outro Brandon, mesmo resultado) a mate.

O que o termo significa?
Esta é uma referência ao som de marca registrada do morto-vivo.

É um termo preciso?
Absolutamente preciso.

O termo pegou?
Não, mas é difícil dizer por que não. Essa é uma das assinaturas dos zumbis. Outras nomenclaturas para os mortos-vivos se concentram na maneira como eles se movem, cheiram e parecem, mas poucos estão focados na maneira como soam, embora seja uma das melhores maneiras de identificá-los. Amelia pode ter sido um gênio.

Growlers (Rosnadores)

Quem usa esse termo?
Molly, uma salvadora que leva Carol e Maggie como reféns.

O que o termo significa?
Como assobiadores, isso se refere ao som dos mortos-vivos.

É um termo preciso?
Sim, é. Embora assobiadores seja provavelmente melhor. Seu cachorro rosna, e você sabe como soa.

O termo pegou?
Bem, Molly é espancada até a morte por Maggie, e os salvadores estão praticamente aniquilados, então não.

Cold-Bodies (Corpos Frios)

Quem usa esse termo?
Martin, um dos membros do Terminus. Não está claro se esta é uma linguagem comum entre sua comunidade ou se eles simplesmente se referem aos caminhantes como não-comestíveis.

O que o termo significa?
Este termo se refere à temperatura corporal dos mortos-vivos.

É um termo preciso?
De certa forma. Os corpos dos zumbis estão frios. Mas os cadáveres que não são caminhantes também estão, portanto, não é um termo claro.

O termo pegou?
Não. E com uma boa razão. Ninguém quer ouvir um canibal.

Rippers (Estripadores)

Quem usa esse termo?
Virgil, o cara que manteve Michonne como refém, inadvertidamente levando-a a evidências de que Rick está vivo.

O que o termo significa?
Deve ser porque os zumbis rasgam a carne… Brutalmente.

É um termo preciso?
Sim.

O termo pegou?
Não está claro. Nós realmente não sabemos quem mais, além de Virgil, conhece o termo, ou onde ele esteve. Portanto, é possível que ele tenha aprendido esse termo de outra sociedade.

Continue lendo

Curiosidades

The Walking Dead e Magic: The Gathering fecham parceria para nova coleção de cartas

The Walking Dead será tema de algumas cartas da nova coleção de Magic: The Gathering – “Secret Lair”. Lançamento será em 4 de Outubro!

Dhebora Fonseca

Publicado há

em

imagem promocional de um zumbi com cartas de Magic para celebrar a parceria entre The Walking Dead e Magic: The Gathering

No início de setembro foi revelada a programação de lançamento completa do jogo de cartas colecionáveis Magic: The Gathering para 2021. Entre os anúncios, veio a novidade: o jogo terá uma colaboração com a série dramática de terror da AMC, The Walking Dead. A próxima edição “Secret Lair – Drop Series” terá The Walking Dead como tema em algumas cartas.

A publicadora de jogos Wizards of the Coast ainda não apresentou nenhum detalhe sobre o lançamento, mas revelou uma nova ficha de zumbi, gerada pelas cartas Campo do Mortos – que foi banida – e Liliana, General da Horda Medonha. A ficha é personalizada com uma imagem da “Garota da Bicicleta”, um dos zumbis clássicos de The Walking Dead, e a frase dita por Rick Grimes momentos antes de mata-la: “I’m sorry this has happened to you” (Eu sinto muito que isso tenha acontecido com você).

Esse tipo de colaboração entre propriedades está se tornando cada vez mais comum para Magic: The Gathering. Os monstros de Godzilla apareceram na coleção Ikoria: Lair of Behemoths, que foi lançada no começo do ano. Uma coleção oficial de Dungeons & Dragons, um clássico entre os jogos de RPG, será lançada em 2021.

Os lançamentos da série Magic: The Gathering’s Secret Lair Drop são lançamentos impressos especiais e limitados dos cards de Magic: The Gathering, com arte, temas e designs exclusivos diferentes do que os fãs normalmente esperam em um conjunto típico de cartas do jogo. Isso incluiu lançamentos com foco em gatos, colaborações com artistas de rua e agora colaborações entre marcas.

O perfil oficial de The Walking Dead no Twitter anunciou hoje (27) que o lançamento das cartas com o tema da série vai acontecer juntamente com a estreia do último episódio da 10ª temporada, no dia 4 de Outubro:

“Há mais uma estreia de #TWD neste domingo que ninguém previu… Os sobreviventes mais fortes chegam ao melhor jogo de cartas. @MTGSecretLair. 4 de outubro. Apenas uma semana.”

Mais detalhes sobre Secret Lair: The Walking Dead estão na loja oficial e no Twitter.

Continue lendo

EM ALTA