Siga-nos nas redes sociais

8ª Temporada

Comparação SÉRIE vs HQ: The Walking Dead S08E01 – “Mercy”

Publicado há

em

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS dos quadrinhos originais e do primeiro episódio, S08E01 – “Mercy” (Misericórdia), da oitava temporada de The Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido ou lido, não continue. Você foi avisado!

Após um ano que dividiu a opinião do público e crítica, The Walking Dead finalmente estreou sua oitava temporada, dando o pontapé necessário para a adaptação de um dos mais famosos arcos dos quadrinhos homônimos, que atende pelo nome de “Guerra Total”.

Com uma dose carregadíssima de muita emoção, explosões e tiroteio, o episódio – intitulado “Mercy” -, acompanhou Rick carregando um extraordinário plano para a exterminação da tirania de Negan, juntamente com a ajuda de Hilltop e do Reino.

Muitos não devem saber, todavia, que boa parte dos elementos mais relevantes do capítulo são transcrições exatas das HQs de Robert Kirkman, desde o velho e barbudo Rick Grimes até o ataque ao Santuário. A partir disso, e com ajuda da Skybound, confira uma comparação exata das duas mídias:

“VELHO” RICK

Desde o lançamento do trailer da oitava temporada, todos estavam perguntando o que significava a impactante cena de um Rick Grimes [brilhantemente] envelhecido acordando em sua cama, ao lado de um arranjo de flores extremamente similar àquele visto no hospital onde teve o primeiro contato com o apocalipse zumbi. Seria toda a série um sonho de Rick? Bem… Não! A sequência? Talvez.

Em breves flashes que permearam o episódio, um Rick debilitado, rodeado pela família e uma comunidade em expansão, apareceu vivendo uma rotina tranquila e se preparando até mesmo para um “festival”.

Pode ser desanimador, mas estes flashes nunca aconteceram nos quadrinhos. Os leitores nunca viram um Rick velho em meio a visões no campo de batalha. Entretanto, a partir da edição 127, que deu início ao arco “Um Novo Começo”, a história seguiu um novo rumo, dando um salto temporal de 2 anos após a grande guerra, e mostrando as comunidades, aos poucos, se readaptando a um novo estilo [quase] tranquilo de se viver em sociedade.

Ironicamente, a edição 142 das HQs mostrou um festival muito parecido com aquele mencionado pela pequena Judith.

Nem mesmo os produtores explicaram o que aquela visão significava de verdade, sempre desviando da resposta em relação ao assunto. Querendo ou não, este pode ser um sinal de que The Walking Dead está prestes a encontrar novos ares para sua narrativa em breve, já que a maioria das teorias parecem se encaixar.

RICK NO SANTUÁRIO

Em um dos mais icônicos quadros das HQs, Rick, acompanhado de seu exército, aparece em frente ao Santuário, atirando para cima, buscando a atenção de Negan.

Em um remix brilhantemente orquestrado pelo diretor Greg Nicotero, o evento é repetido em um tom mais sério, com o personagem de Andrew Lincoln dando o primeiro disparo juntamente a todos os outros membros do grupo, reforçando a união naquele exato momento.

GREGORY

Sumido desde o fim da última temporada, Gregory voltou a dar as caras durante o episódio do último domingo, e ao lado de Negan. O velho “líder” de Hilltop já chegou afirmando estar ao lado da barreira inimiga, assim como ordenando que aqueles que quisessem continuar tendo moradia no Alto do Morro teriam que seguir os mesmos passos. Plano falho, obviamente, que quase lhe custou a vida.

Em comparação, todo o plano de Negan em relação a Hilltop, incluindo uma linha de diálogo brilhantemente escrita para Jesus no momento da “oferta”, veio das páginas em preto e branco da HQs. A ideia de conseguir soldados para o lado contrário também não passou de uma furada, e o covarde “líder” foi empurrado com força de uma das sacadas do Santuário. Algumas das únicas diferenças entre as duas versões foi que, na série, o tal feito contra Gregory veio de Simon, e, ao contrário do que ocorre com 5 moradores da comunidade na versão impressa, todos ficaram ao lado de Rick, Maggie e Ezekiel.

A BATALHA E A GRANDE HORDA

Nas duas versões, como era de se esperar, Negan e Rick não chegam a um acordo, resultando em um grande tiroteio. A grande diferença é que, na versão da série da AMC, foi o lado dos “mocinhos” que gerou os primeiros disparos.

Enquanto os quadrinhos trataram o andar da horda de forma mais rápida e menos expressiva, a série de TV optou por algo mais elaborado, separando boa parte da projeção para a organização de um plano harmonizado por Carol, Daryl, Morgan e Tara. Voltando às transcrições, todo o tiroteio contra as vidraças da fábrica – que tinha como objetivo atrair os mortos-vivos -, tal como os disparos das buzinas dos carros, ocorreram da mesma forma.

PADRE GABRIEL E “CALÇA DE CAGAR”

Em duplicação visual, Negan e os Salvadores se retraem ao ver que o plano de Rick realmente funcionou. Em uma boa mistura de elementos que somente a série de TV conseguiria fazer, o trailer do grupo foi dirigido pela última vez contra as cercas do Santuário, sendo responsável por outra explosão.

Aqui, uma “meia” adaptação: No material fonte, a pessoa responsável por “destruir” as cercas é Holly, que logo em seguida é pega e feita de prisioneira. Todavia, este arco já foi readaptado no fim da sétima temporada, com Sasha Williams realizando tal feito.

Outro ponto “originalmente adaptado” vem com a fuga de Gregory e o abandono de Gabriel no local da guerra. Após o padre quase morrer em meio ao ataque dos zumbis, consegue abrigo trancado em outro trailer disponível no meio do pátio. Até aí tudo bem. A grande surpresa é seu convidado especial: Negan, que também acabou por buscar refúgio no mesmo local durante a invasão dos caminhantes.

A última adaptação da batalha, assim dizendo, vem com o infame (e ao mesmo tempo hilário) diálogo de Negan, “Eu espero que esteja usando fraldas. Porque você está prestes a se borrar inteiro.”, que é dito em situações semelhantes, mas para personagens distintos (leia-se “Dwight” e “Padre Gabriel”).

O DISCURSO DE RICK 

Esta é uma situação mais curiosa. Enquanto a série de TV buscou um tom mais otimista de Rick e os outros para com a guerra, em discursos onde já se autodeclaram “vencedores”, os quadrinhos foram em direção a um lado mais obscuro, com o líder de Alexandria apenas declarando que não existiria tempo de comemoração, já que a guerra estava apenas começando.

Outros momentos importantes, como o curioso sobrevivente que Carl Grimes encontrou em sua busca por gasolina, assim como toda a sequência de Daryl na estrada com os explosivos, nunca existiram nas HQs, dispensando qualquer tipo de comparação.

E quanto a você? Qual foi o melhor momento do episódio na sua opinião? Qual foi sua adaptação favorita? Algum deles não funcionou para você? Compartilhe conosco nos comentários.

The Walking Dead vai ao ar todo domingo, legendado, às 23h30 e toda segunda-feira, dublado, às 23h15, na Fox.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA