Siga-nos nas redes sociais

6ª Temporada

Melissa McBride fala sobre o estado de espírito de Carol e o conflito com Morgan

Publicado há

em

ATENÇÃO: Esta matéria contém spoilers do décimo segundo episódio da sexta temporada de The Walking Dead, S06E12 – “Not Tomorrow Yet” (Ainda Não é Amanhã). Leia por sua conta e risco. Você foi avisado.

Onde Carol Peletier tem estado desde a estreia da midseason de The Walking Dead? Aperfeiçoando seus biscoitos de beterraba, aparentemente. Ela está assando um grande lote de doces que são rosa e vegetarianos quando finalmente voltarmos para o seu enredo em “Not Tomorrow Yet”, entregando-os com grandes sorrisos a todos os habitantes da cidade de Alexandria. Ela também está vivendo um pouco de romance com o vizinho Tobin, começa a fumar do nada e mantém um registro das pessoas que ela matou em um pequeno diário preto. Em outras palavras, há várias coisas flutuando na cabeça de Srª. Peletier ultimamente.

A Yahoo TV falou com Melissa McBride para saber a sua opinião sobre a grande montagem de abertura que parecia uma série de comédia da Carol, sobre a culpa que Carol está sentindo em relação a todas as coisas que ela teve que fazer para proteger a si mesma e seus amigos nesse apocalipse, seu novo – romance? – com Tobin, o porquê de Carol começar a fumar, e a dura reação que Carol tem ao surtar sobre a ideia de Maggie ir atrás dos Salvadores.

Nas últimas semanas, os telespectadores tem dito: “Onde está Carol?”

Melissa McBride: Eu sei! Onde está Carol?

Ela está de volta de maneira grandiosa em “Not Tomorrow Yet”, começando com a montagem de abertura que me fez sentir como se estivesse assistindo a um seriado de comédia de Carol.

Melissa McBride: Sim, foi uma estranha abertura, divertida. Foi engraçado, quando eu estava assistindo o episódio, eu pensei: “Espere um minuto. Isso é The Walking Dead?” Eu tinha esquecido como isso começou. Então, pensei: “Existe um comercial antes? Espere um minuto, o que eu estou…? Ah, sim…” E então eu comecei a reconhecer o que estava acontecendo, mas era uma sensação estranha.

the-walking-dead-s06e12-not-tomorrow-yet-023

Você teve a sensação de que era estranha, quando estava filmando essa cena? Será que você teve a sensação de que esta era uma Carol mais leve?

Melissa McBride: Não, e eu acho que é porque… Eu acho que ela realmente quer se aproximar da leveza, porque a escuridão é tão profunda. Há paz no vale, por enquanto. Acordar e pensar que você pode trazer um sorriso aos rostos das pessoas, e apenas ter algum pouco de normalidade em fazer o que você ama, e também, para Carol, cozinhar ajuda a não ter de pensar na dor. Para mim, ela é uma mulher que tem muita tristeza e muita culpa em relação ao que ela fez e as pessoas que ela perdeu.

Eu acho que, desde o início… Voltando para Sophia saindo do celeiro, ela teve que se adaptar muito rapidamente, para fazer o que era necessário para sobreviver e ajudar as pessoas em seu grupo de sobreviventes a viver mais um dia. É estranho porque ela assume outras faces a fim de fazer isso, e também, penso eu, para escapar da dor e horror do que ela está tendo que fazer.

Você acha que Carol ainda está interpretando o papel que ela desempenhou quando chegou a Alexandria, ou também é, pelo menos parcialmente, algo que ela realmente quer ser?

Melissa McBride: Acho que isso é parte de quem ela realmente é. Eu acho que sobraram antes de tudo isso acontecer. E acho que todos esses personagens, em certa medida ou outra, se tornaram ou desenvolveram um outro sentido de existir: um que tem que assumir e fazer coisas horríveis, e, em seguida, a pessoa que tenta esquecer tudo isso para dormir à noite e se sentir como um ser humano que se justifica no que faz. É melhor não pensar sobre isso, porque as coisas são realmente do jeito que são. Rick diz a todos que a vida é assim, e é assim que nós comeremos. Isto é o que faremos para obter alimento. Isto é o que temos que fazer. Acordos estão sendo feitos, e esse é um mundo novo e muito estranho.

the-walking-dead-s06e12-not-tomorrow-yet-029

Carol sempre aceitou isso, que simplesmente há coisas que você tem que fazer para sobreviver, mas parece que isso está começando a incomodá-la neste momento. Morgan a sacudiu um pouco com a sua filosofia, e a fez se perguntar se esse é o caminho certo a seguir? Ela tem mantido o diário com a lista das pessoas que ela matou o tempo todo, ou isso é algo que ela acabou de fazer, porque isso está realmente começando a se acumular dentro dela?

Melissa McBride: Eu acho que é definitivamente algo que está começando a se acumular nela, e acho que Morgan pode ter sido um catalisador para algumas coisas. Porém, acho que é algo que teria acontecido independentemente de sua presença. Apenas a noção de tirar uma vida humana, não é natural. Esta vida em Alexandria em tempo de paz… é como o melhor dia que você poderia ter… é ter um belo dia com um sorriso em seu rosto, fazendo biscoitos, e tentando escapar do fato de que você tem tirado vidas para sobreviver.

Quando você está em torno das mesmas pessoas que estão fazendo as mesmas coisas, não há ninguém dizendo: “O que estamos fazendo?” É por isso que ninguém aborda o assunto, porque nós sabemos que temos que fazê-lo. Por que apontaríamos o dedo para isso? É horrível o suficiente, então o assunto não é discutido. Carol está tendo esses pensamentos, e sim, até certo ponto, Morgan é um catalisador para eles.

Quando Carol e Rosita conversam sobre Morgan, Carol diz que uma das razões pelas quais eles não contaram sobre o que Morgan fez com o Lobo é por causa de Denise, de que as pessoas soubessem sobre Denise. O que isso significa? O que eles vão saber?

Melissa McBride: Eu acredito que ela estava falando sobre Denise ajudar Morgan quando ela cuida do lobo que veio e causou estragos em nosso grupo, e mataram alguns dos nossos. Ela foi cúmplice.

Na sua opinião, essa é a única razão para Carol não querer que todos os outros saibam sobre o que Morgan fez? Ela sabe que sua filosofia não é possível, especialmente em situações como a dos lobos, ou com os Salvadores. Você não pode simplesmente virar a outra face, ou prender todas essas pessoas. Mas, devido a tudo que está assombrando ela agora, há também um certo respeito pela filosofia de Morgan?

Melissa McBride: Ela tem um certo respeito por Morgan, porque ele quer tanto isso. Seu coração é bom. E há outras pessoas que podem matar. Ela está tendo esses sentimentos conflitantes. Ela pode entender por que ele não quer, porque quem quer sangue em suas mãos? É algo que deixa tal cicatriz, e realmente mexe com a sua capacidade de se sentir humano.

Você acha que parte da atração de Carol por Tobin é porque ele também é alguém que disse que não acha que tem a capacidade de matar?

Melissa McBride: Eu realmente não pensei sobre isso. Eu acho que é possível, mas acho que foi mais porque ela estava buscando compreensão e ela queria conforto com as palavras dele para ajudar a justificar essas coisas horríveis que ela tem feito.

Alguma coisa aconteceu entre Carol e Tobin após o beijo na varanda? Ela está indo para esta coisa grande, assustadora e perigosa no dia seguinte, e ela diz: “Não é amanhã ainda.”

Melissa McBride: “Não é amanhã ainda.” Eu não sei. É aberta, então acho que nós podemos pensar o que quisermos.

Você acha que há um potencial romântico real para Carol e Tobin?

Melissa McBride: Bem, eu não sei. Eu acho que, naquele momento… foi o que aconteceu. Você não sabe se eles vão estar vivos amanhã. Ele é gentil, e esse é exatamente o momento em que estamos. Difícil planejar para o futuro em um mundo como este.

Você acha que isso vai partir o coração dos fãs de Carol e Daryl?

Melissa McBride: Eu não vou comentar sobre isso. É o momento antes de embarcar nesta coisa. Ela está saindo. Quem sabe? E isso é o que é. Aconteceu neste momento. Eu estou deixando por isso mesmo.

Carol está fumando neste episódio, e isso foi chocante porque sabemos que ela acha que isso é um hábito terrível. Ela havia tentado fazer a Sra. Neudermeyer parar antes de ser morta pelos lobos. Por que Carol está fumando agora?

Melissa McBride: Eu acredito que é a expressão de alguma culpa, definitivamente… algo da consciência. Ela disse a Sra Niedermeyer, “Você não deve fumar em casa”, e Neidermeyer vai fumar do lado de fora, e sua cabeça é cortada. Acho que Carol quer se punir, de certa forma.

Será que ela ainda se sente responsável pela Sra Niedermeyer e por algumas das outras pessoas que foram mortas em Alexandria, porque confiavam tanto nela?

Melissa McBride: Eu acho que com Carol, ela sente que não pôde fazer o suficiente para salvar a todos. Há um acumulo de tristeza e culpa em Carol. Tristeza de todos quem ela perdeu… ela nunca realmente expressa a tristeza. Ela não se permitiu sentir as coisas, a fim de continuar a fazer o que ela tem que fazer para sobreviver com o seu grupo. Acho que as coisas estão apenas se acumulando.

Carol está muito preocupada, e irritada e assustada por Maggie estar nessa viagem para lidar com os Salvadores. O que há por trás disso? O que especificamente está fazendo com que ela fique tão chateada com isso?

Melissa McBride: Eu acho que ela está projetando suas próprias necessidades de sobrevivência, de certa forma. Dizendo [a Maggie], neste ponto, que “Você tem que ficar tão segura quanto for possível, ficar fora do perigo, e ser a futura mãe que você é, e não colocar-se aqui dessa forma. Você está carregando uma criança. Você tem que ser outra pessoa agora. Você não pode ser a guerreira aqui fora agora.” Ela não quer que Maggie… é difícil o suficiente ter uma criança nesse tipo de mundo, e depois de estar fazendo essas coisas horríveis que absolutamente informar o seu cérebro, e sua filosofia, e sua visão. Eu acho que é difícil tirar uma vida quando você está prestes a trazer outra para o mundo. Estes não são o tipo de pensamentos que Carol gostaria que ela tivesse, ou experimentasse essas coisas. E isso é perigoso. Nenhum lugar é seguro. Eu não acho que nada é seguro.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Yahoo
Tradução: Mydiã Freitas / Staff Walking Dead Brasil

Publicidade
Comentários

EM ALTA