Siga-nos nas redes sociais

3ª Temporada

Kirkman fala sobre o confronto Rick vs. O Governador no episódio “Arrow in the Doorpost”

Publicado há

em

“Não existem muitos momentos em que não há combate nesses últimos episódios”.

Contém SPOILERS do episódio “Arrow in the Doorpost”. Você foi avisado.

O grande confronto entre Rick e o Governador finalmente aconteceu, mas não foi da maneira que nós esperávamos. Em uma dupla de performances impressionantes, Andrew Lincoln e David Morrissey conseguiram segurar esse episódio, que, em sua maioria, centrou-se na conversa entre os dois personagens. O IGN conversou com o produtor da série, Robert Kirkman, sobre os últimos acontecimentos de The Walking Dead.

IGN TV: Esse episódio realmente superou minhas espectativas, em termos do primeiro encontro entre o Governador e Rick, e acho que funcionou muito bem. Porque ir dessa rota de calmaria que precede a tormenta em vez de colocá-los, armados, face a face? O que você acha que esse ângulo oferece em termos de potencial dramático?

Robert Kirkman: É muito legal ver esses dois personagens numa sala interagindo, tendo, até certo nível, uma batalha de inteligências em oposição a uma batalha, de fato. O modo como eles se encontram na série de quadrinhos foi muito rápido, muito cedo na narrativa, e muito explosivo. O fato de eles não terem se encontrado por tanto tempo; o fato de que é o décimo terceiro episódio dessa temporada, pelo tempo em que eles se veem face a face, nós sentimos que precisávamos planejar esse encontro e dar a ele a seriedade necessária. Foi isso que nos levou a tomar essa decisão.

IGN: Em termos de comparar os quadrinhos com a série e como esses personagens se encontraram, você vê a série como uma oportunidade, não de refazer, mas talvez de reexaminar os caminhos que a HQ tomou?

Kirkman: Isso é o que a série tem se tornado, de certa forma. É definitivamente divertido adaptar as coisas diretamente, e nós fizemos isso e continuaremos a fazê-lo. Eu sei que há coisas extremamente memoráveis dos quadrinhos que ainda estão por vir e definitivamente há coisas planejadas para a quarta temporada, mas poder – eu tenho que dizer “remixar”, mas é uma boa maneira de ver isso – poder entrar lá e ver o que está acontecendo nos quadrinhos e recuar e analisar isso com o benefício de poder fazer essa retrospectiva.

Estava escrevendo essas histórias e era o momento exato. Eu sabia que isso aconteceria nessas histórias por anos e anos, mas eu não sabia como exatamente isso aconteceria. Ser capaz de ler as 107 edições dos quadrinhos e conhecer todos os pormenores e observar as coisas que funcionaram muito bem, bem, poder ter mais dessa história e acelerar as coisas para tornar tudo mais intenso, é muito divertido ser capaz de reposicionar a história e alterar as coisas, numa certa extensão. E, com sorte, melhorar a narrativa, ou, pelo menos, torná-la um pouco diferente, de um modo interessante.

IGN: Uma grande fenda desse episódio é que é apenas Rick e o Governador sentados numa mesa, ainda que isso nunca pareça rotineiro. Você tem alguma reserva sobre esse episódio de um ponto de vista logístico, ou você estava confiante de que Andrew Lincoln e David Morrissey conseguiriam?

Kirkman: Acho que é isso, realmente. Após ver o que o Andrew fez no curso dos anos, nas três temporadas, e o que o David Morrissey fez no curso dessa temporada, nós sabíamos que ter esses dois personagens conversando seria o suficiente para preencher os 13 episódios, quanto mais um episódio.

O fato de que houve uma enorme intimidação entre os dois; no momento em que eles se encontraram nesse episódio, o Governador tinha essa ideia mítica desse cara que tomou a prisão que estava dominada por walkers e levou seu povo pelo descampado. Ele não sabe nada sobre esse cara, fora todas essas histórias sobre suas conquistas. E então Rick tem todas essas informações sobre esse cara que se intitula “O Governador”, e recebeu essas informações de outras pessoas. Então ele sabe tudo sobre suas terríveis atitudes, mas ele não conhece o outro cara. É preciso muito tempo para que essas duas pessoas percebam uma a outra e vejam que essa história funciona e vejam o que faz esses personagens ficarem irritados; vê-los se conhecendo um pouco.

IGN: Quantas dessas cenas foram alçadas pelo diretor e pelos atores em oposição ao roteiro?

Kirkman: Posso definitivamente dizer que muito da intenção nas palavras deles, muito disso advém da atuação. E a direção de David Boyd nesse episódio é realmente espetacular. Nós estávamos preocupados que pudesse ficar meio chato e que não sairia da maneira que planejamos. Mas quando o episódio foi trazido à vida tão lindamente, e fazendo duas pessoas sentarem na sala, conversando, interessante como o episódio foi, foi uma façanha.

IGN: Outra coisa que considerei muito interessante nesse episódio foi como o resto do grupo que foi junto de Rick e do Governador para o encontro se deu muito bem no fim do dia. Eu acredito que isso fala dos egos, tanto de Rick quanto do Governador em algum grau; embora o Governador seja claramente psicótico, parece que, se esses dois não estivessem em conflito, seus respectivos grupos seriam capazes de coexistir pacificamente. Você acha que os líderes estão causando mais problemas a eles do que encontrando soluções, nesse sentido?

Kirkman: Sim, certamente é possível. Grande parte do que está acontecendo é devido ao fato de que o Governador está manipulando essas pessoas para segui-lo nessa busca ensandecida. Ver a interação entre Martinez e Daryl Dixon mostra realmente que essas duas pessoas estão colocando fé em Rick e no Governador, mas, caso contrário, eles se dariam bem. Creio que Hershel e Milton com certeza seriam grandes amigos se não tivessem em lugares distintos.

Então, sim, muito disso vem da busca ensandecida do Govenador e como ele convence as pessoas fazerem isso. Acho que isso afirma a busca de Andrea. Acredito que ela vê isso e está lutando para descobrir como salvar essas pessoas que estão sendo iludidas por esse cara. Hershel, nesse episódio, diz para ela, “Volte comigo”. E o fato de ela não poder voltar é devido a ela reconhecer isso e ver essas pessoas pela bondade que há nelas e tentar salvar suas vidas.

IGN: Nós veremos mais desse tipo de caso, conforme construimos o climax da temporada? Os dois grupos interagindo em uma situação em que não há combate?

Kirkman: Posso afirmar que o próximo episódio é bastante centrado na Andrea, mas não existem muitas situações em que não há combate nesses três últimos episódios da temporada. Eles serão cheios de combate pesado!

IGN: Acho interessante que esse acordo que o Governador oferece com Michonne acontece após o reencontro de Rick com Morgan. Nós conversamos na semana passada sobre como esse reencontro mudaria as decisões de Rick. Você acha que, se o Governador tivesse oferecido o mesmo acordo antes dos eventos da semana passada, haveria menos deliberação da parte de Rick?

Kirkman: Possivelmente. Rick está em cima do muro em relação a esse acordo. É uma decisão impossível para ele, desistir de uma vida humana para dar chance à paz. Isso é algo que pesará nele e, certamente, sua vivência com Michonne no episódio anterior afetará essa decisão, mas eu tenho que pensar que essa seria uma decisão para ele, independente de qualquer coisa. No seu âmago, Rick é uma boa pessoa, o que, na maioria das vezes, é uma força, mas, em algumas vezes, nesse mundo, é uma grande fraqueza. Isso estará relacionado à decisão que ele tomar no final.


Fonte: IGN
Tradução: Lalah / Staff Walking Dead Brasil

Publicidade
Comentários

EM ALTA