Siga-nos nas redes sociais

Walking Dead Brasil

Robert Kirkman sobre o futuro de The Walking Dead: “Tudo pode acontecer”

Publicado há

em

O chocante episódio da semana passada de The Walking Dead (3×04 – “Killer Within”) foi a definição de coração disparado – com a morte de dois personagens principais e a fuga de outra. (Se você está atrasado nos episódios, essa talvez seja uma boa hora para parar de ler).

Robert Kirkman, produtor executivo da série e criador da história em quadrinhos que gerou o drama zumbi da AMC, disse que a decisão de matar Lori, de Sarah Wayne Callies, e T-Dog, de IronE Singleton – sem entrar nos detalhes do que especificamente poderia ter acontecido com Carol (Melissa McBride), foram criadas para enfatizar o quão altas as apostas são para os sobreviventes deste mundo duro e implacável – um conjunto de personagens que agora inclui um bebê recém-nascido.

“Foi bastante coisa”, disse Kirkman, em entrevista por telefone. “O que estamos tentando fazer com ‘The Walking Dead’ é manter as pessoas adivinhando, e também mostrar que não somos seu programa típico de televisão. Eu acho que isso é algo que nos levou à popularidade, nós fazemos coisas que você normalmente não vê na televisão. Eu acho que ‘Sons of Anarchy’ é uma das únicas outras séries na televisão que mataria um personagem importante, aparentemente em qualquer momento da temporada.”

As ramificações dos eventos certamente ecoarão em todo o resto da temporada, com Rick Grimes (Andrew Lincoln) já em uma situação precária psicologicamente, após seu confronto com Shane e sua pressuposta abordagem mais autoritária na liderança do grupo. A pura agonia que ele expressou quando percebeu que Lori tinha morrido sugere que não vai ser fácil para ele encontrar qualquer tipo apoio emocional por algum tempo.

“Nós achamos que é realmente importante para a série manter a audiência sem saber”, disse Kirkman. “Eles não sabem o que vai acontecer ou quando vai acontecer. Quando você senta para assistir um episódio, tudo pode acontecer. Embora reconheçamos que é uma coisa muito chocante e é uma perda enorme para a série a ida de dois personagens principais em um episódio – possivelmente três, nós não sabemos o que está acontecendo com a Carol, você nunca sabe, nós queríamos fazer isso para que, conforme você fosse assistindo os episódios 5 e 6 e 7 e assim por diante, você ficaria tipo ‘Oh meu Deus, essa série é para valer’. Tudo pode acontecer.”

Quanto ao que pode acontecer com o bebê, já que sua mãe morreu e seu pai está à beira de um colapso mental, Kirkman reconheceu que não será fácil para o recém-nascido – um bebê chorando certamente atrairá a atenção indesejada de errantes. Ele disse que os escritores da série perceberam que se a criança morrer, pelo menos alguns fãs poderiam se revoltar. Mas Kirkman acredita que permanecer fiel à narrativa do arco da HQ é em última análise o mais importante.

“Se você já viu a HQ, o material de origem percebeu que nós entramos em uma área sombria, na qual eu não acho que nós vamos nos prender fixamente na serie de TV”, disse Kirkman. “Eu diria que, enquanto nós nos preocupamos com o fato de que matar um bebê na TV provavelmente vai alienar algumas pessoas, e seria uma coisa muito dura, eu não sei se isso nos impediria de fazer o que achamos necessário para a história. Então, ninguém sabe o que vai acontecer, mas é certamente divertido ter um bebê no set de filmagem.”


Fonte: Hero Complex
Tradução: @PotatoThoughts / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA