Siga-nos nas redes sociais

Robert Kirkman

Os chefões de The Walking Dead falam sobre duas grandes mortes: “Não foi uma decisão fácil”

Publicado há

em

[Aviso: Esta história contém grandes spoilers do episódio de domingo de ‘The Walking Dead’, bem como da HQ em que a série da AMC é baseada. Leia por sua conta e risco (de morrer de uma maneira horrível por causa de mordida de zumbi). Você foi avisado!]

Sério mesmo?!

Esse deve ter sido o consenso geral após o episódio de domingo de The Walking Dead ter chegado ao fim. Isso não só porque T-Dog (IronE Singleton) sacrificou a própria vida para o bem do grupo, mas também por Lori (Sarah Wayne Callies), que escolheu a vida de seu filho nascituro sobre a dela própria, instruindo Maggie (Lauren Cohan) a cortá-la em uma linha de cesariana improvisada, o que custou à matriarca do grupo sua vida, em uma sala suja de caldeira. É isso mesmo, tanto T-Dog quanto Lori estão mortos.

E antes que você pense que Carl (Chandler Riggs) ter atirado na cabeça de sua mãe fora da tela signifique uma chance de ela ainda estar viva, esqueça isso. Os produtores executivos Robert Kirkman e Glen Mazzara confirmam que Lori é, de fato, um caso perdido – algo que Callies disse ser necessário para a série poder explorar. Mas foi essa a última cena de Callies em The Walking Dead?

O TV Guide conversou com os chefões por trás da série da AMC para descobrir a razão por trás dessa mudança de jogo com banho de sangue, assim como o que está na estocado para o resto da temporada. E mais: de quem é realmente o bebê?

O que veio junto com a decisão de matar Lori de uma forma tão diferente da HQ?

Robert Kirkman: Nós queríamos que Rick [Andrew Lincoln] e Carl ficassem em cenário diferente no decorrer desta temporada. Nós sempre planejamos que a perda da esposa de Rick seria uma parte central da série, e sempre estávamos indo em direção a isso, mas quando estávamos criando esta temporada, percebemos que havia muito a ser feito com Rick e Carl após esse acontecimento, de modo que o momento foi se aproximando cada vez mais do início da temporada, até que chegou no quarto episódio. Este é o tipo de episódio que a maioria das pessoas iria salvar para o final, mas tê-lo tão cedo na temporada deixa a sensação de “O que pode acontecer a seguir?”. Isso realmente dá muita intensidade a esta temporada. Foi muito chocante, o que eu acho muito legal.

Há quanto tempo vocês sabiam que a morte de Lori seria assim?

Glen Mazzara: Desde muito cedo. Nós sempre pensamos que se nós fossemos fazer que nem a HQ, a morte de Lori ficaria para o fim da temporada. Mas nós sentimos que adiantando isso, muito se refrescaria para nós, de certa forma. Fez-se um novo território. Fez tudo mais assustador para nós, como escritores. Não foi uma decisão fácil. Sarah fez um trabalho fenomenal nestes três episódios. Também foi uma grande surpresa. Foi uma grande virada. Ninguém poderia prever que isso aconteceria no quarto episódio. Ninguém. Isso não somente funcionou para o enredo, como também nos fez sentir que iria ser a maior bola em curva que poderíamos jogar para a platéia no momento.

Ao contrário dos quadrinhos, vocês só mataram Lori, ao invés de ela e o bebê ao mesmo tempo. A AMC foi contra matar mãe e filho? Ou foi uma decisão criativa?

Kirkman: Foi definitivamente uma decisão criativa. Eu não acho que a AMC seja, de forma alguma, contra qualquer tipo de morte de bebês nesta série, então eu não quero pintá-los dessa maneira. Isso nunca foi discutido. Ao longo da temporada, você vai começar a ver por que tomamos decisões como essa. Ela coloca Rick em um lugar interessante, ele tinha que trabalhar com sua esposa para manter seu filho seguro, e agora ele está completamente sozinho tentando manter seu filho seguro, e também tem esse bebê com o qual ele precisa lidar. Como ele estava indo nesse caminho de ficar empurrando as pessoas para longe, se tornando um líder endurecido, focando à frente, ele terá que se abrir um pouco e aceitar a ajuda de um monte de gente ao seu redor.

Achei interessante que Maggie nem sequer tentou salvá-la.

Mazzara: Não tinha como salvá-la. Nós examinamos isso. Nós tentamos torná-lo tão plausível quanto possível. Nossa pesquisa mostrou que ela ia desmaiar durante a operação. Houve uma versão em que ela estava falando durante o processo. Sentimos que isso seria muito estilo TV. Nós conversamos sobre isso, se ela poderia sobreviver. Deveria ela voltar como uma errante? Havia um monte de versões diferentes. Isso foi algo no qual os escritores trabalharam durante meses até acertar. Isso foi algo que nós levamos muito, muito a sério e tentamos fazer tão significativa e tão plausível quanto possível. Estou muito orgulhoso de toda a equipe. Eu acho que é um episódio lindo. Nós acertamos nele. Esse episódio é a epítome do que The Walking Dead pode fazer e que tipo de histórias podemos contar.

O que veio com a decisão de não mostrar Carl atirando em Lori? Parte de mim esperava que isso significasse ela poder estar viva.

Kirkman: Você não quer mostrar muito disso. Eu acho que nós mostramos muitas coisas nesse episódio. Uma série menor teria uma Lori zumbi a espreita na prisão, fazendo todos os tipos de coisas abomináveis. Isso seria uma coisa absolutamente piegas, ridículo de se fazer. Isso não é o que queremos criar. Nós estávamos tentando voltar atrás e fazer isso de uma maneira de um pouco mais de bom gosto.

E pobre T-Dog! Ele foi comido no episódio. Por que vocês mataram dois personagens tão rapidamente nesta temporada?

Kirkman: Nós queríamos mesmo colocar Rick e o grupo pisando em ovos. T-Dog havia se tornado uma parte central da equipe de combate de Rick, por assim dizer. Assim, fazê-lo sair de tal forma heroica também mostra ao público o quão importante e essencial ele era. Agora eles perderam essa outra peça-chave de seu grupo. Nós queríamos dar a sensação de sair desse episódio completamente gastos e sem saber ao certo como continuar seguindo em frente. Perder T-Dog definitivamente ajuda nisso. E mais: nós definitivamente queríamos perder duas pessoas neste episódio. Sentimos que com a morte de T-Dog o público pensaria: “Oh meu Deus, este é um episódio louco. Nós perdemos T-Dog!”. Isso tornou a morte de Lori muito mais inesperada.

Mazzara: A razão para essas mortes, também, é que elas não foram gratuitas. Foram incrivelmente comoventes, emocionalmente satisfatórias, devastadoras. Eu acho que isso define o tipo de série que nós queremos fazer. Nós não queremos fazer algo somente sobre mortes chocantes. Nós queremos fazer mortes que deixem as pessoas sem chão, que o público fique inconsolável. Nós fizemos isso com esses personagens ali [no episódio de domingo], especialmente com um personagem controverso como Lori. O público tinha certa imagem de Lori desde o primeiro dia, e muitos tinham opiniões muito fortes sobre essa personagem, mas eu acho que vai ser muito, muito interessante ver como essas pessoas vão reagir a esta morte, porque eu imagino que eles ficarão tocados e de coração partido, e terão um grande sentimento de perda.

Vocês disseram que queriam que dois personagens morressem. Foi considerado alguém além de T-Dog como a segunda vítima?

Kirkman: Havia um monte de coisas jogadas na sala dos roteiristas. Acho que os atores ficariam com medo de se sentar em uma de nossas sessões. Ficou muito claro que T-Dog era o personagem que precisava ir embora por várias razões. Por razões futuras, essa é uma morte que poderia afetar o grupo de uma grande maneira. Esse é um dos motivos que fez com que nós o escolhêssemos.
Ambas as mortes de Lori e T-Dog refletiam uma à outra, pois as duas aconteceram de forma heróica.

Mazzara: Isso é correto e é por design. São mortes muito simples. T-Dog costumava jogar futebol americano, e havia uma referência à futebol americano na estréia da temporada, que foi cortada com o tempo, e seu treinamento toma posse e ele heroicamente age como alguém na linha de defesa de um jogo, e leva os errantes pra trás. A morte de Lori é heróica porque, no final do dia, ela é apenas uma mulher que morreu no parto. Eu havia dito que queria examinar como retratamos as mulheres na série, e o que é mais heróico do que o ato de parto? É muito surpreendente imaginar que menos de um ano após o colapso da civilização, estamos de volta a um estado primitivo em que as pessoas estão morrendo no parto. A medicina moderna entrou em colapso e o primeiro nascimento que vemos custa a vida de sua mãe. Estamos de volta onde a humanidade ficou na maior parte de sua existência. O heroísmo de uma mulher dando à luz, e pagando um preço, estando focada na sobrevivência de seu filho, é uma história bonita que aconteceu milhões de vezes ao longo dos tempos.

Rick tem agora um lutador a menos e está nesse cenário ruim, depois de perder sua esposa. Como Rick e companhia lidarão com o Governador (David Morrissey), sendo que seu grupo é pequeno e não tão forte?

Kirkman: Isso é muito interessante para nós. Se o Governador tivesse atacado no episódio 1 ou 2, teria sido um resultado muito diferente. Rick estava numa situação muito diferente. Ele era muito mais centrado e não estava lidando com a perda de T-Dog e Lori, com o que isso fez a seu filho, se ele é ou não responsável por tudo isso. Ele não vai ser o líder capaz, por si só, que costumamos vê-lo ser, e isso vai fazer os conflitos que vêm a frente muito mais interessantes.

Mazzara: Nós desenvolvemos nossa equipe em uma máquina de combate bem lubrificada, um grupo de soldados. Agora que eles foram abalados pelos acontecimentos [do episódio de domingo], vai ser muito interessante ver o que acontece quando eles se deparam com o Governador e seu grupo. O nosso grupo de soldados que encontramos na estréia da temporada poderia enfrentar o Governador, mas se eles foram dizimados emocionalmente pelos acontecimentos [do episódio de domingo], é um jogo muito, muito diferente. Nós queríamos ter certeza de que a futura luta entre os dois grupos fosse tão imprevisível e tão emocionante quanto possível.

Será que Axel (Lew Temple) e Oscar (Vincent Ward) poderão entrar para o grupo agora?

Mazzara: Isso foi algo que eu conversei com Andrew Lincoln. O enredo [do episódio de domingo] foi que ele não tinha certeza sobre deixar esses caras entrarem ou não. Eles provaram que podem entrar, é por isso que Oscar toma medidas e mata Andrew (Markice Moore), para que ele possa ter acesso ao grupo. Ao longo de toda a temporada, é um tema importante: quem Rick pode deixar entrar? Não apenas na prisão, mas também emocionalmente. Ele estava se preparando para abrir seu coração e começar um processo de cura com sua esposa. Agora ele foi roubado dessa oportunidade. Ele realmente vai ser afetado de uma forma importante. Rick enfrenta uma estrada escura e ainda, olhe para a situação que ele meteu nosso grupo, mesmo quando eles pensam que estão a salvo, eles ainda tem ameaças. Eu acho que o nosso grupo tem aquela sensação de que é apenas uma questão de tempo até que haja apenas um sobrevivente.

Eu suponho que você poderia voltar para trás, mas vocês nunca deram uma resposta definitiva a respeito de quem é o bebê: de Rick ou Shane (Jon Bernthal)?

Kirkman: Realisticamente, eu acho que seria impossível saber, a menos que eles cheguem a um lugar onde pudessem fazer o teste de DNA, ou algo assim. Eu prefiro manter esse tipo de coisa um tanto ambíguo, mas vou dizer que se você já assistiu a esta série, é muito mais provável que o bebê seja de Shane, mas você nunca terá certeza.

Uma das minhas favoritas, embora louca, partes da HQ foi Rick imaginando-se falar com Lori no telefone depois de sua morte. É algo que vocês estão considerando? E seria essa uma maneira de vermos Sarah Wayne Callies de novo?

Kirkman: Eu não posso afirmar nenhuma das situações. Posso dizer que é uma história que é pouco popular na sala dos roteiristas. Se devemos ou não seguir essa linha, por assim dizer, ainda será visto. Gostaria apenas de dizer que você vai ter que ficar atento.
Devemos esperar mais mortes nesta temporada, considerando tudo o que já temos até agora?

Mazzara: Sim. Você deve sempre esperar mortes em The Walking Dead. Isso é o que nós fazemos. É uma história de sobrevivência e as apostas são altas assim. É parte da composição deste mundo. Nós levamos essas mortes muito a sério. Como já disse, ninguém está a salvo.

O que você achou da morte de Lori e de T-Dog? Você ficou surpreso? Ansiosos para o próximo episódio? Deixe suas opiniões e teorias nos comentários abaixo.


Fonte: TV Guide
Tradução: @PotatoThoughts / Staff Walking Dead Brasil

Publicidade
Comentários

EM ALTA