Siga-nos nas redes sociais

HQ

Robert Kirkman Fala Sobre Sua Nova História em Quadrinhos

Publicado há

em

O novo projeto de Kirkman, “Thief of Thieves” (Ladrão dos Ladrões), é uma tentativa de fazer de sua vida um pouco menos absurda. “Vai ser bem fixa ao mundo real,” ele diz a respeito da HQ, que chega às prateleiras dia 8 de Fevereiro nos EUA. “Nada de zumbis, nada de alienígenas do espaço, nada de super-heróis. Só vai ser personagens humanos reais fazendo algumas coisas horríveis para uns aos outros.”

ENTERTAINMENT WEEKLY: Então o que mais você pode nos contar a respeito de “Thief of Thieves”?

ROBERT KIRKMAN: Bem, é uma ótima HQ, se for dizer para mim mesmo. É algo sobre crime em quadrinhos, sobre um ladrão profissional chamado Conrad Paulson. Ele é um dos melhores ladrões que já viveram, mas ele atinge um ponto em sua vida onde percebe que ele escolheu sua vida profissional ao invés de sua vida familiar, o qual lamenta profundamente. Ele tem um filho adulto que de certa forma segue seus caminhos, mas fazendo um trabalho horrível, e ele tem uma mulher afastada que ele ainda está muito apaixonado por. Nossa história se desenrola quando ele está tentando desistir de sua profissão e reatar sua relação com sua mulher, e ainda tentar consertar a sua situação horrível com o filho.

Você disse que como você trabalhou nisso foi inspirada por sua experiência na sala de escritores de “The Walking Dead”… Eu quase disse “Grateful Dead” (Graças aos Mortos) logo, o qual talvez pode ter sido ainda mais interessante…

[Risos] Passam somente três semanas sem entrevistas nossas, toda semana, sobre o seriado para que você esqueça o nome!

Sim, perdoe-me. Mas você poderia elaborar melhor em o que você queria dizer com isso?

Claro. Passei muito tempo na sala de escritores desde a Primeira Temporada de “The Walking Dead” e de certa forma fiquei encantado pelo processo. É uma coisa muito legal em ter os escritores trabalhando duro para aperfeiçoar a história juntos como um grupo. Não é algo que acontece geralmente nos quadrinhos. Então eu tive a ideia de fazer a história desse modo, em ter uma história como um todo e então conseguir juntar na sala dos escritores pessoas para ajudar a mapear o que vai acontecer com os personagens e suprimir a história aqui e ali. É um tipo de experiência bem legal.

Para esclarecer, o processo envolveu mais pessoas além de somente você e [escritor colaborador de “Thief of Thieves”] Nick Spencer?

Sim, sim, sim. Existem algumas pessoas envolvidas, mas nós ainda não anunciamos ainda seus nomes. Mas as primeiras seis edições foram escritas por Nick, baseadas no meu esboço inicial da história e em um pouco de conversas entre nós dois. Isso faz com que comece a história e estaremos passando de arco para arco com vários escritores no nosso grupo.

Por que você quis escreve uma HQ “não-fantasiosa”?

Para seguir à frente na minha carreira, eu acho que farei isso mais fundamentado, com histórias realistas. Eu me diverti bastante escrevendo grande ações de ficção científica em coisas como “The Infinite”, em histórias infantis engraçadas em “Super Dinosaur”, e em coisas de super-heróis em “Invincible”. Mas “Thief of Thieves” e algumas outras coisas que estou desenvolvendo são um pouco mais fundamentadas e representa um pouco mais do “mundo real”, algo mais consistente com o qual eu tenho feito com “The Walking Dead”. É esquisito, mas eu acho que “The Walking Dead” foi o mais fundamentado, a história mais realista que eu fiz até agora. Eu acho que eu vou fazer mais dessas coisas enquanto estou indo adiante.

The Walking Dead está de volta dia 12 de Fevereiro. O quê você pode dizer a respeito das próximas bateladas de episódios do seriado?

Eu segui em frente! Eu não estou pensando em “The Walking Dead” agora!

Ah, vamos lá.

Bem, estamos bem de volta à segunda metade da temporada seguindo em todas as questões que os telespectadores têm a respeito da situação do celeiro. O quê Hershel sabe? Será que ele estava escondendo coisas deles? Será que ele sabia que a Sofia estava no celeiro? Estamos levantando poeira ao correr de lá. É bem um catalisador que levará a muitos acontecimentos legais.

O membro do elenco, Norman Reedus, disse em uma entrevista que a segunda metade da temporada exibiria mais ação do que a primeira metade.

Eu vou dizer que a segunda metade da temporada é algo como uma aglomeração e tem muitas coisas fodas. Então eu acho que posso confirmar isso! Mas, é claro, eu assiste na realidade somente os episódios 11, 12, e 13, e todos em uma noite, revisando alguns cortes novos. É um monte de episódios insanos. Existem muitas coisas agrupadas neles e têm um pouco de cenas de ações. Então é de certa forma em um ritmo mais acelerado que a primeira metade da temporada.


Fonte: Entertainment Weekly
Tradução: Davi Kawasaki / Staff WalkingDeadBr

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA