Siga-nos nas redes sociais

4ª Temporada

Robert Kirkman: Eu posso fazer 1000 edições de The Walking Dead

Publicado há

em

Na expectativa de estreia da nova temporada de The Walking Dead no domingo, 13 de outubro, a Rolling Stone vai publicar uma entrevista exclusiva com o novo elenco ou equipe de produção a cada dia da semana. Ontem, o sobrevivente rústico (e favorito dos fãs) Daryl Dixon (Norman Reedus) listou os graves ferimentos que ele levou no set. Amanhã, o Governador (David Morrissey) explica o preço que você paga pela segurança durante um apocalipse zumbi.

Quando você começou a pensar em escrever quadrinhos?

Meu sonho era escrever e desenhar minhas próprias histórias em quadrinhos, porque os meus livros favoritos foram escritos e desenhados por roteiristas e artistas, caras que fizeram a coisa por eles mesmos. Quando eu cresci e percebi que era um artista terrível e não era bom o suficiente para realmente fazer isso, eu estava um pouco frustrado. Então eu percebi que a parte escrita é mais divertido, e, você sabe, menos demorado.

Você foi para a faculdade?

Não. No meu último ano do ensino médio, eu não fiz nada. Eu era um estudante de arte, então eu dizia ao meu professor de Inglês, “Eu estou indo trabalhar no meu projeto de arte.”. Então eu saia para comer no Long John Silver’s. Quero dizer, eu passei com Bs e Cs, mas eu sabia que a vida escolar não era pra mim.

Depois que você começou a publicar histórias em quadrinhos quanto tempo passou até você poder ganhar a vida com isso?

Isso aconteceu muito rápido, mas na época que eu comecei a ganhar dinheiro, eu estava, tipo, com US $ 40.000 em dívidas e ganhando US $ 200 por ano.
Eu tinha uma editora, então eu fazia uma história em quadrinhos, e esse quadrinho custava US $ 3.000 para fabricar. Mas eu tinha pré-vendido, e eu ia ganhar, tipo, US $ 3.500 por ele. Então, eu pagava pela impressão no cartão de crédito, obtinha US $ 3.500, ganhava US $ 500, o que é tecnicamente lucro para as pessoas que trabalhavam nisso, e então viver dos 3 mil dólares que eu tinha no cartão de crédito.

Walkers - The Walking Dead HQ

Oh, wow. Há um problema de contabilidade ai, eu acredito.

[Risos] É assim que eu estava vivendo. Acabei fazendo as contas: Em um momento eu tinha 12 cartões de crédito e foi com US $ 3.000 por mês apenas para pagar os pagamentos mínimos. Eu pensava “Sim, isso é muito ruim.”

Quando você começou o The Walking Dead em quadrinhos, até que parte da história você mapeou na sua cabeça?

Nesse momento, muitos dos meus livros tinham falhado, então eu não estava realmente em uma posição onde eu poderia dizer: “Esta história em quadrinhos é o filme de zumbi que não acaba nunca, e ele vai durar anos e anos e anos”. Mas eu tinha anos de enredos planejado quando a primeira edição saiu. Eu sabia que eles estavam indo para chegar à prisão. Eu sabia que eles iam para a área onde eles estavam indo para ficarem seguros e eles estavam indo começar a construir uma pequena civilização.

Que tipo de coisas você estava lendo e assistindo quando estava criando este mundo?

Eu fiz várias pesquisas sobre a Segunda Guerra Mundial e sobre o Holocausto, porque isso era o equivalente ao mais moderno de como seria sobreviver em um cenário apocalíptico. Vários lugares na Europa foram completamente bombardeados, e várias coisas horríveis que aconteceram com as pessoas. Eu olhei tudo aquilo para ter uma noção de como é quando as pessoas são empurrados para seus limites.

Você achou que isso era algo que poderia funcionar na TV?

As pessoas me perguntavam: “Não seria incrível se fosse um programa de TV ou um filme?” Eu sempre dizia: “Bem, ele nunca vai ser um show de TV ou um filme”. Nunca houve nada parecido com isso na televisão. Zumbis são, essencialmente, as pessoas que comem outras pessoas, então isso é uma série canibal. Eu estava tipo, “Eu não posso prever a existência de um programa canibal na TV!”

The Walking Dead Serie de TV

Você acha que você é mais ou menos fiel aos quadrinhos do que outros escritores na série?

Até o momento que eu estou escrevendo o roteiro, está completamente separado dos quadrinhos. As verdadeiras mudanças de um quadrinho acontece na sala dos roteiristas quando todos os escritores estão discutindo coisas. Eu sinto que estou menos verdadeiro nos quadrinhos do que várias pessoas, só porque eu estaria incrivelmente entediado se eu estivesse na sala dos roteiristas discutindo sobre coisas que eu escrevi há seis, oito ou 10 anos atrás. Eu quero que as pessoas sejam capazes de dizer: “Isso não funcionou nos quadrinhos,” sem sentir como eu fosse ficar louco.

Você tenta manter uma distância entre você e o elenco, só por saber que você terá que matar alguns deles?

Essa é uma tarefa difícil. Eu sei que as vezes fico desconfortável com atores. Houve uma morte recente na série, e eu estava no set. Foi estranho, porque todo mundo no set estava triste, e o ator estava chateado porque o seu tempo na série estava acabando. Foi algo muito emocionante, e eu meio que sinto como se estivesse preso como um polegar dolorido, porque eu estava na sala dos roteiristas pensando “Essa morte é importante!”. Houve uma discussão sobre esta pessoa que está morrendo, e eu discuti sobre ela! Agora eu estou cercado por todas essas pessoas que queriam que isso não estivesse acontecendo agora mesmo! Mas, sim, às vezes é um pouco estranho. Ter que tirar alguém da família é absolutamente terrível.

Qual é a vibração na sala dos roteiristas?

Eu fico desapontado porque às vezes eu ouço histórias sobre as salas de outros escritores, onde as pessoas estão, tipo, jogando seu almoço contra a parede e surtando. Isso soa interessante para mim! A sala dos nossos escritores é mais parecido com oito pessoas saindo de uma sala de estar, apenas conversando sobre coisas que eles gostam.

Qual é a sua relação com os showrunners da série? Existe tensão sobre quem está dirigindo a história?

Eu tive um relacionamento muito bom com todos os showrunners. Eu me submeto a eles o quanto puder. Minha atitude é: “Eu estou ao seu dispor”. Scott Gimple tem a palavra final. Se Scott quer fazer uma história, e eu não quero, eu posso puxa-lo de lado e dizer algo como “Você realmente quer fazer isso? Talvez devêssemos fazer algo diferente.” Mas reconheço que a série é a série, e os quadrinhos são os quadrinhos, e eu controlo os quadrinhos. Eu posso fazer o que quiser nos quadrinhos.

The Walking Dead HQ

Qual é a sensação de passar por três showrunners diferentes em 4 Temporadas?

Showrunners mudam o tempo todo em tantas séries diferentes, e é por dez mil razões diferentes. E então, você sabe, é lamentável que não há esse enorme holofote sobre The Walking Dead para essa coisa que acontece o tempo todo em diferentes séries. Dexter teve mais showrunners que The Walking Dead teve em praticamente a mesma quantidade de temporadas. Hell on Wheels mudou os showrunners.

Que partes de você está em The Walking Dead?

Coisas estúpidas. Eu trabalhava em uma pizzaria, e é por isso que Glenn trabalhava em uma pizzaria. Uma coisa divertida é que eu não tenho filhos quando eu comecei The Walking Dead. Então, quando eu ia escrever o relacionamento de Rick e Carl, eu era o Carl e meu pai era o Rick. Então, meu filho nasceu na época da edição 30, e agora, quando estou escrevendo isso, eu sou Rick, e meu filho Carl.

A série teve incríveis classificações, mas não é realmente o respeito que a crítica corresponde. Isso te incomoda?

Eu acho que seria bom ter um Emmy só porque eu sou de Kentucky – nenhum dos meus amigos tem Emmys. Mas eu vou tomar as avaliações sobre o Emmy qualquer dia. Além disso, há milhares de grandes séries na televisão agora. Então, eu não posso reclamar sobre The Walking Dead ser desprezado quando eu classificaria 15 séries acima de The Walking Dead, pessoalmente – Breaking Bad, Mad Men, Homeland, The American e American Horror Story.

Por quanto tempo você pode manter a história em quadrinhos?

Estou fazendo as contas sobre isso. Tenho 34 anos de idade. Até o momento eu tenho 65 anos, eu poderia realmente ir muito longe. Se eu não ficar entediado e se as pessoas ainda estão apreciando a história, eu posso fazer mil edições de The Walking Dead. Por isso, é realmente possível contar uma história que segue o colapso da civilização na idade das trevas para o renascimento da civilização, onde as coisas são completamente diferentes. Poderia haver uma edição 700, que seria sobre as pessoas enviando e-mails. Isso é empolgante para mim!

Você tem um fim em mente para a coisa toda?

Eu tenho um fim em mente para os quadrinhos, e na verdade eu escrevi a cena final no outro dia. Eu sei como eu quero que o diálogo final seja. Pode mudar, mas a coisa interessante para mim é que eu nunca posso contar para alguém envolvido na série qual final eu tenho em mente porque os quadrinhos provavelmente vão durar mais que a série. Não posso dar nenhuma pista do que tenho planejado fazendo isso dentro do programa, porque se a série terminar na 12ª temporada mas o quadrinho não durar por 8, 10 ou mais 20 anos, meu final vai ser estragado. Isso me deixaria chateado.

Há uma filosofia ou uma mensagem que você sente que é reforçada pela história?

Ser agradecido pelo que você tem. Às vezes, eu penso como a vida agora não é legal. Nós cometemos um erro em algum ponto de nossa história, há cem anos atrás, quando nós estávamos vivendo nas casas que nós construímos, cultivando a comida que nós comemos, interagindo com nossas famílias e vivendo nossas vidas. Olhando para trás naquela época, isso parecia ser atraente. Essa é uma vida que faz sentido. Agora, nós estamos trabalhando sem prazer para comprar coisas que não precisamos. Eu não quero soar como Tyler Durden, mas parece que estragamos tudo. Não parece ter nenhum tipo de movimento para continuar evoluindo como nós vivemos, quem nós somos e qual o nosso propósito como seres humanos. Isso é lamentável. Então, é divertido olhar o mundo de The Walking Dead e ver essas coisas serem levadas. A vida vai melhorar? Muitas pessoas pensam que a série é muito sombria e depressiva. E é, às vezes. Mas eu consigo ver aonde a história vai chegar nos próximos 10 anos, e eu penso nisso com otimismo. Talvez isso nos torne pessoas melhores no fim de tudo isso.

Então o apocalipse zumbi é como uma grande purificação?

[Risos] Talvez. Mas eu direi isso, eu amo Pizza Hut e assistir DVDs, então não quero que isso aconteça. Mas você não gostaria de estar cultivando uma cenoura agora mesmo, em vez de conversar comigo?

Eu tentei cultivar cenouras uma vez e elas cresceram torcidas, pequenas e tinham gosto de merda.

Eu acho que a grama do vizinho é mais verde.

The Walking Dead, a história de drama mais assistida da TV a cabo, irá retornar com dezesseis episódios na quarta temporada, em 13 de Outubro de 2013 na AMC e 15 de Outubro de 2013 na FOX Brasil. Confira o trailer oficial da temporada e uma análise detalhada dele.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para mais informações sobre a quarta temporada.


Fonte: Roling Stone
Tradução: @Kami Morais/ StaffWalking Dead Brasil

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA