Siga-nos nas redes sociais

Entrevista

Neil Fala Sobre Guillermo E Habilidades Pós-Apocalípticas

Publicado há

em

O ator de The Walking Dead, Neil Brown Jr (Guillermo), descreve como sua parte veio ser de um extra para um grande personagem em um episódio, e então compartilha – apropriadamente – as habilidades pós-apocalípticas de sua avó.

P: Robert Kirkman escreveu o episódio em que estava. O que ele te disse sobre o seu personagem?

R: Originalmente, meu personagem era um extra. Frank e Robert correram com a idéia de ter um chefe, alguém liderando isso. Isso foi ótimo porque Frank continuou mandando mais páginas de scripts no meio da noite com mais diálogos.

P: E de repente você é o guardião comandando o lugar. Você já teve que lidar com uma situação em que não estava preparado?

R: Muitas vezes. Meu pai fez disso um ponto para mim. Ele era um marinheiro então ele esperou até eu ganhar alguma massa muscular, e disse “Venha cá”. Eu fui e ele disse para mim “Nós estamos indo para aquela casa lá. Preciso que ponhas o cimento para misturar, e monte todos os blocos em uma pilha para que possamos colocá-los” e eu respondi “Pai, não faço isso. Do que você está falando? Eu sou um ator” Mas no final acabei fazendo. Você tem pernas, pés, mãos e um cérebro. Você tem tudo que precisa. É assim que o meu pai é e ele está certo. Eu sou bom em engate.

P: Você já trabalhou com os idosos?

R: Não, mas eu costumava ir com a igreja visitar os doentes quando era criança, toda segunda-feira, para dar a comunhão aos idosos. A minha avó se foi quando nós começamos a filmar a série, o que foi uma espécie de terapia para mim. Ela morava bem na esquina da minha mãe. Eu era muito chegado a ela.

P: Você pensou nela quando a velha senhora entrou para quebrar o impasse?

R: Ela veio e deu um dos sorrisos da minha avó. Minha avó poderia acalmar qualquer situação com um sorriso. Ela era um anjo.

P: Você era acostumado a ser um boxeador. Esses treinos valeram a pena para The Walking Dead?

R: Você poderia ver o quanto Guillermo poderia ser um grande boxeador. Eu lutei por 26 anos. Muito bom. [risos] Ele irá ficar de uma certa maneira, tocar seu queixo de uma certa maneira, e olhar de uma certa maneira. Tem que estar preparado para avançar.

P: Quais são as outras habilidades que você possuí que seria de grande ajuda em um apocalipse zumbi?

R: Minha avó cozinhava de tudo, de sopa de tartaruga a gambá. Ela me ensinou como pegar qualquer animal e cozinhá-lo até o transformar em algo completamente delicioso.

P: Qual é a sua coisa favorita relacionada ao personagem?

R: A maioria das pessoas, quando cogitam algo, logo se retiram. Eu fico “Se Retirar? Droga, mas acabei de chegar”. É luta ou fuga. Os médicos ficaram para fora. Ele é apenas um faxineiro, mas é o cara que está para lutar. Você mistura morais com um cara que pode revidar e você tem um verdadeiro líder. Se ele não souber o que fazer, ele encontrará alguém que faça.

P: Guillermo é chamado de G. Você tem um apelido?

R: Meus amigos me chamam de NBJ. É o nome de uma bebida também. Em 2006, meus amigos começaram a ir a todos os bares e falavam “Me dê um NBJ. Você não sabe o que é isso? É vodka, água e 3 limões baby!” Eles começaram a fazer isso e eu dizia “Isso não vai pegar cara” e então do nada fui a um bar em LA e disse “me dê um NBJ”, e eles souberam o que isso significava e então pegou o apelido!

P: Você esteve em um filme recente sobre invasão alien, Battle: Los Angeles. Então, o que é mais assustador: zumbis, aliens ou humanos?

R: Humanos. A capacidade de maldade do homem é imensurável. Pense sobre isso: o homem veio com os zumbis e aliens.


Fonte: AMC
Tradução: Mel / Staff WalkingDeadBr

Publicidade
Comentários

EM ALTA