Siga-nos nas redes sociais

Entrevista

Michael Rooker fala sobre Pennhurst, sua estréia como diretor!

Publicado há

em

Rooker da detalhes de sua estréia como diretor em Pennhurst, em entrevista ao Dread Central. Confiram!

Dread Central: Para não mudar o assunto de uma forma tão brusca, como todos nós amamos falar sobre o Merle e “TWD”, mas estou curioso a respeito de seu último projeto, Pennhurst, e como você foi parar na cadeira do diretor. Para aqueles que não sabiam sobre Pennhurst, aí vai uma sinopse:

Durante décadas, o hospital psiquiátrico Pennhurst tem sido perseguido por turbulentas forças sobrenaturais. Quando um reality show da TV local embarca em uma missão para capturar essa atividade paranormal, eles descobrem algo completamente inesperado. Como as almas inquietas do passado atormentam os membros da tripulação, eles temem por suas vidas e um por um são cruelmente assassinados. Em uma revelação surpreendente, eles descobrem algo mais aterrorizante do que fantasmas.
Michael Rooker: Pennhurst é um projeto interessante que foi filmado no verdadeiro Hospital Psiquiátrico e Escola Estadual Pennhurst nas proximidades da Filadélfia.

DC: Por que você escolheu sua estréia como diretor no gênero de terror (nao que alguém esteja reclamando)?

MR: Eu comecei minha carreira em um descontraído terror com o Henry. E o projeto me caiu bem. Eu já estava ligado ao projeto quando fui perguntado se queria dirigi-lo. E eu NÃO sabia quantas besteiras um diretor tem que lidar! Eu nunca dei mais trabalho a nenhum diretor depois que vi como é! Diretores tem que ter “guarda-costas de ideias” pra não ter os produtores com suas ideias ensinando como uma cena deve ser feita. Como ator, eu só me retirava do meu trailer até ser chamado ao set novamente. Diretores tem que estar praticamente 24 horas, 7 dias por semana. Ainda assim, foi um projeto divertido: assustador, terrível e violento.

DC: Violento, hein?! Que tipo de classificação os fãs podem esperar num filme dirigido por Rooker?

MR: Eu não concordo com as classificações da MPAA. Estou fazendo o filme da forma que quero, não para ser classificada por outro. Esse filminho independente foi feito com dedicação e amor por todos os envolvidos, e se há cenas sangrentas que ficam demasiadamente horripilantes, bem, essa é justamente a forma que tem que ser.

DC: Você tanto atua quanto dirige o filme. O que você pode nos dizer a respeito de seu personagem?

MR: Meu personagem é um sobrevivente de Pennhurst. Ele tem seus pequenos negócios na cidade e visita Pennhurst de vez em quando. Um reality show paranormal, desesperadamente atrás de uma boa historia, vai a Pennhurst pegar cada evidencias, e ele manda aos infernos.

DC: E em que status o filme esta agora? Tem uma previsão de estréia?

MR: Agora o filme esta na pós-produção. Não sou especialista em pós-produção, mas o filme esta sendo editado embora eu reserve ao direito de (espero) filmar algumas cenas e adicionar mais sangue. Depende de dinheiro e amigos que vão fazer alguns favores a essa altura. Mas uma vez sabendo a data de estréia, você será o primeiro a saber, meu caro.

DC: Eu estou contando com essa promessa, Rooker. E sobre o elenco? Eu li que Haylie Duff e Beverly Mitchell de Jogos Mortais II estão dentro. Alguns outros nomes?

MR: Atores são que nem gado pra mim – gado bonito [RISOS]. Não, nos temos uma penca de pessoas do teatro entre o elenco com Amanda Dunn (lembre-se dela em Bolden e Louis do Dan Pritzker), o talentoso Rob Pruitt que me fez rir cada vez que abria sua boca para falar “motherfuckin” e seu parceiro, Jimmy Palumbo. Michael McKiddy e J LaRose de Jogos Mortais III fazem parte do elenco. Eles são muito bons para trabalhar e trouxeram uma nota “A” ao meu filminho. Há muito potencial em “pequenos” filmes.

DC: E como você se sente em um próximo passo como diretor novamente?

MR: Eu iria dirigir novamente SOMENTE por MUITO dinheiro [RISOS]!!!

Tradução: Caparroz / Equipe WalkingDeadBr

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA