Siga-nos nas redes sociais

Entrevista

Mestre de maquiagem pula para a cadeira de diretor

Publicado há

 

em

Diretora Donna Davies de “Nightmare Factory” conversa com o criador dos quadrinhos de The Walking Dead, Robert Kirkman, enquanto o membro da equipe, Dan Stewart, prepara a gravação. Transformar seres humanos em carnes frescas, zumbis para o monstruoso sucesso da AMC “The Walking Dead” envolve um pouco de mágica de Hollywood, com certeza. Mas o mestre de maquiagem Greg Nicotero orquestrou sua própria transformação marcante com o pulo para a cadeira de diretor para o seriado na Segunda Temporada.

O assistente de efeitos especiais – cujos diversos projetos de filme incluem “Bastardos Inglórios ou Sacanas Sem Lei” (“Inglourious Basterds”), “À Espera de um Milagre” (“The Green Mile”), “Sin City”, “The Pacific”, e a série “Kill Bill” – dirige um próximo episódio que marca um novo marco em sua carreira macabra.

O apelo para a ampliação do terror e para a tarifa de fantasia está ajudando geeks de terror como ele achar notoriedade no objetivo final, e até mesmo pegar projetos de altos perfis por conta própria, ele diz.

“O que eu acho interessante sobre isso é que (nós estamos) numa situação onde gente que amam e respeitam o gênero quando eles estão mais novos estão bem colocados na indústria de filmes atualmente,” disse Nicotero numa entrevista recente do set de “The Walking Dead.”

“Entre (os diretores) Sam Raimi e Frank Darabont e Quentin Tarantino, Robert Rodríguez – todos nós tivemos a mesma “dieta” quando nós crescemos, e essa “dieta” foi amar assistir os antigos filmes de Ray Harryhausen e ler a revista “Famous Monsters” (Monstros Famosos). Foi esse tipo de esquisitice que compartilhou a existência que tivemos quando nós éramos mais novos.”

Nicotero e sua empresa de efeitos profílicos, “KNB EFX Group”, estão trabalhando num novo documentário da cineasta canadense, Donna Davies, chamado “Nightmare Factory” (Fábrica de Pesadelos). Ele mostra um grupo de artesãos que “derramam” seus corações e almas em próteses detalhadas, mesmo quando grande parte da indústria cinematográfica está cada vez mais se voltando para cenas geradas por computadores.

“Eles podem às vezes levar seis meses para construir um efeito que estará na TV por três segundos,” disse Davies para Nicotero e seus parceiros.

“Estes são escultores, pintores, artistas, artesãos de linha – não é somente sobre se sentar e apertar um botão e pronto. E eu acho que você pode sentir isso quando assiste os seriados.”

Davies, a qual tem outros projetos de TV inclusos como “Zombiemania” e “Pretty Blood: The Women Horror,” era fascinada pela reverência que tem pelos efeitos dos artistas para os cineastas que vieram antes deles. Ela diz que Nicotero aprendeu seu ofício com o “assistente sanguinário” dos anos 80, Tom Savini (“Sexta-feira 13”, “Dia dos mortos-vivos”).

“Eu amei a ideia que tem uma linhagem vinda do primeiro maquiador de efeitos, desde o começo do filme,” ela diz. “É um processo onde você aprende abaixo da direção de outro mestre e isso não existe tanto na indústria cinematográfica, ou em qualquer outra indústria das artes também.”

Nicotero diz que ele chegou à cadeira de diretor quando ele se encontrou num intervalo de seis semanas entre projetos que incluem “The Book of Eli” (“O Livro de Eli”), “Bastardos Inglórios ou Sacanas Sem Lei” (“Inglourious Basterds”), e “Piranha”. Ele usou o tempo livre para fazer um curta-metragem cômico sobre uma agência de talentos que administram um filme de monstros. AMC gostou tanto que colocou na rede.

“Então o que eu acho que aconteceu foi quando ‘The Walking Dead’ veio e nós estávamos trabalhando no seriado, e eles não me olharam só como um cara que faz efeitos especiais,” diz Nicotero.

“Eles estavam, ‘Você conhece o gênero, você entende a história e você viu todo filme de zumbi já feito que faz sentido da gente tirar proveito da riqueza de conhecimento que está armazenado no seu cérebro.”

Nicotero foi nomeado então como Produtor Executivo para a Segunda Temporada do seriado, e fechou um acordo que o deixaria desenvolver futuros projetos televisivos para a AMC.

O episódio que ele dirige não está previsto para entrar no ar até 2012, e é realmente uma das parcelas menos horripilantes na série, ele completa.

“Foi meio que irônico que meu episódio foi muito mais dramático que o peso de efeitos especiais,” diz Nicotero, que valoriza seus colegas de Canuck incluindo Sean Sansom (“Resident Evil: Recomeço”, “Scott Pilgrim Contra o Mundo”), Kyle Glencross (“Splice – A Nova Espécie”), Charles Porlier (“The Killing”), e Mike Fields (“Crônicas de Nárnia”, “X-Men – O Confronto Final”).

“É claro que existem alguns efeitos nele, mas foi uma ótima oportunidade porque me deu a chance de trabalhar com todos esses ótimos atores e ter a sorte de que todos esperem algo de mim, além de fazer algo um pouco diferente.”

“Nightmare Factory” vai ao ar quinta-feira na “The Movie Network” enquanto “The Walking Dead” vai ao ar aos domingos na AMC.

Fonte: CTV
Tradução: Davi Kawasaki / Staff WalkingDeadBr

Publicidade
Comentários

EM ALTA