Siga-nos nas redes sociais

2ª Temporada

Jon Bernthal Fala Sobre Shane, 2ª Temporada e Mais

Publicado há

em

Como um ator em The Walking Dead você nunca saberá quando seu personagem estará prestes a ser mordido, ou quando subtamente você é retirado da série. Para Jon Bernthal (Shane), isso é particularmente verdade e seu personagem não viveu até o passar do primeiro volume dos quadrinhos, aonde a série é baseada. Se isso o preocupou, o que será então da segunda temporada? E como foi a primeira para ele? Confiram uma entrevista exclusiva que o ator deu ao TV.com.


TV.com: Dado que The Walking Dead é de um gênero bem específico você já se surpreendeu como tão popular está sendo?

Jon Bernthal: Esse gênero é bem específico e tem gente que é fã não apenas do gênero mas também das histórias em quadrinhos. Mas o que eu acho muito legal na série são os personagens. Estar na AMC da américa nos colocou nessa companhia de aclamados personagens de outras séries como Mad Men e Breaking Bad. É uma companhia muito preciosa. Uma coisa sobre nossa série é que nos realmente tentamos ir de acordo com opinião da audiência. Não sei se isso vale como um gênero. Uma das coisas mais convincentes dessa série, especialmente na área de escrever, é a constante atenção que damos aos personagens, a atmosfera e a textura. Não quero parecer como aqueles caras que vendem carros usados, mas eu acho que existe realmente algo que prenda todos á essa série. As pessoas que odeiam horror podem no final amar a série; eles só assistem a muitas partes disso através de suas mãos, o que eu acho ser muito divertido.

TV.com: Teve algumas partes que você achou particularmente inseguro para gravar?

JB: A primeira vez que vi zumbis foi no almoço. Isso me assustou demais. Eu trouxe meus dois pit bulls, Boss e Venice, comigo para Atlanta e quando eles viram os zumbis, eles enlouqueceram completamente. Isso foi realmente estranho, ver tudo isso em vida real. Quando você vê o trabalho de Greg Nicotero – ele é o cara que faz os zumbis e faz todo os efeitos de maquiagem e outros – são realmente obras de arte. Não diria muito bem que as coisas me deixam inseguro. Eu me lembro especificamente de uma cena, olhando para Andrew Lincoln e só dizendo “Não há nenhum jeito disso aparecer na TV” e ele disse a mesma coisa também. E sem mais nem menos, aconteceu tudo ao contrário.

TV.com: Como está indo as filmagens da segunda temporada?

JB: Começaremos daqui a uns dois meses. Nós temos que esperar para ter certeza que Atlanta é tão quente que nós temos que suar, literalmente, a cada cena feita. Nós não começamos até que esteja a estação mais quente do ano.

TV.com: Parece adorável! Você já leu o roteiro?

JB: Ainda não, eu acho que eles ainda estão no processo de escritura. Cada um dos atores já foi convidado para ir na sala dos roteiristas. Isso realmente ajuda com a colaboração natural dessa série, quando atores estão sendo convidados para uma sala de roteiristas. É um ambiente especial que esses caras criaram.

TV.com: Está tendo uma grande inspeção na equipe de roteiristas desde a primeira temporada. Será que isso teve muito efeito na produção da série e na atmosfera entre todos vocês?

JB: Não, não realmente. Eu acho que todos que trabalham na série são incrivelmente talentosos e muito bem orientados. Os roteiristas eram muito separados da gente ano passado; nós estavamos em Atlanta e eles em LA. Isso é realmente o projeto do Frank, eu acho que tem muitos colaboradores inacreditáveis que trabalham nisso, mas no final do dia Frank supervisiona e continua vendo cada palavra que está sendo proferida na tela. E, como você sabe, não estávamos realmente a par de qualquer uma dessas decisões. Eu nem sei qual que é a verdade. Eu ficaria fora pra falar sobre tudo isso.
Uma coisa que todos deveriam saber é que, como um gênio da direção e do roteiro que Frank é, e como um grande artista também, ele é tão bom como um ser humano. Ele é um tipo de pessoa que nunca tinha conhecido. E eu sei que qualquer decisão que tenha sido tomada, foram feitos com absoluta graciosidade. Algumas das coisas que vieram da imprensa, daquelas pessoas sendo demitidas e isso e aquilo, eu simplesmente não acredito. Eu não acredito que isso tudo é como dizem por ai.
Há novos roteiristas também. Eu encontrei alguns deles e eles são muito bons. Eles sabem muito bem como é que são as coisas, o que é muito legal.

TV.com: A primeira temporada não chegou assim tão perto das histórias em quadrinhos. O quão verdadeiro é isso para a segunda temporada?

JB: Eu acho que teremos mais disso futuramente. Nós iremos voltar para isso e então vamos nos orientar depois. Os quadrinhos serão uma linha que temos que seguir; estaremos voltando sempre para a estrada, mas tomaremos alguns desvios no caminho.

TV.com: Ter o criador dos quadrinhos, Robert Kirkman, na equipe deve mesmo ajudar.

JB: É uma verdadeira marca do tipo de artista que é Robert Kirkman. Ele é um dos produtores executivos da série, e um dos roteiristas também. Kirkman usa os quadrinhos para revistar as coisas, dar uma ajeitada ou pra mudar alguma coisa.
Eu amo quando eles mostram algumas coisas dos quadrinhos e nós encenamos isso. E também gosto quando tem lugares, personagens e entre outros que nem existiam nos quadrinhos mas que é parte da série. Mas enfim, ter ele envolvido com a série dá aquele ar que tem nas histórias em quadrinhos.

TV.com: Nos quadrinhos, Shane é morto muito cedo. Quando você pegou na parte original saberia que ele iria viver mais na série?

JB: Oh, não. Eu não saberia. Não há algum conhecimento de até quando você irá estar na série. Eu acho que é parte do ambiente que criamos – qualquer parte pode ser a sua hora.
Eu me lembro que um dos primeiros filmes que fiz foi com um grupo de pessoas que trabalharam em “The Sopranos”. Todos eles disseram que nunca sabiam quando chegariam os seus episódios, por causa da atmosfera que rolava no set. Têm uma grande parte nisso, eu acho. Nós estamos vivendo um apocalipse zumbi, e algumas pessoas tem que morrer.
Eu adoro essa série; eu adoro ser parte dela e de todos que estão envolvidos. Então quero estar o máximo que puder, mas se o personagem tiver que ir e for pra servir pela qualidade de toda a série, de todas as maneiras, isso é o que tem que acontecer e estou legal com isso. Estou muito grato por tudo que me manteve ao longo deste tempo.

TV.com: Se pudesse escolher, como você queria que Shane moresse: por um zumbi ou por um humano mesmo?

JB: Eu escolheria ir do mesmo jeito que ele foi nos quadrinhos.

TV.com: Eu posso imaginar que será bastante interessante ver como o triângulo amoroso vai ser na tela, agora que Shane ficará por mais tempo.

JB: Ah, com certeza. Eu amo o que eles fizeram um personagem que era praticamente uma nota nos quadrinhos e que tenho escrito que ele é incrivelmente complexa. Ele está constantemente indo e voltando sobre ser o mocinho ou um bandido.
Você está lidando com um cara inacreditavelmente solitário e eu acho que existem dois tipos de solidão no mundo: há a solidão que você sofre quando você está longe das pessoas que você ama e não há nada a fazer senão definhar e ficar triste, então há outro tipo de solidão, onde você está preso com as pessoas que você ama. Você vê-los todos os dias e você não pode simplesmente estar com eles da maneira que você quer ser. Isso é realmente o que Shane está passando, e eu acho que esse tipo de solidão realmente afeta o comportamento das pessoas.
Shane só descobriu que não há absolutamente nenhuma lei no mundo que seja. Eu acho que é muito ilustrado na cena em que ele bate no cara na praia e em seguida, aponta a arma em Rick. Ele está percebendo, lento mas seguramente, que ele pode fazer o que quiser ali. Não há nenhuma repercussão, não há lei. E eu acho que quando você tem um cara nesse estado emocional, e perceber que o ambiente que ele está é este sem lei, eu acho que ele pode se tornar uma pessoa incrivelmente perigosa. Dito isso, ele também pode se tornar um aliado inacreditável e um amigo.
Eu acho que há lugares inacreditáveis, onde o personagem pode ir, especialmente com este triângulo amoroso. Eu acho que você está lidando com personagens cujas mentes estão mudando, literalmente, quatro ou cinco vezes por episódio.

Fonte: TV.com
Tradução: Mel / Staff WalkingDeadBr

Publicidade
Comentários

EM ALTA