Siga-nos nas redes sociais

3ª Temporada

Glen Mazzara fala sobre o final da midseason e o que esperar a seguir

Publicado há

em

Foi um final de outono cheio de ação intensa, uma prevista reunião descontrolada, a introdução de um novo personagem chave, a matança de seres humanos e zumbis e uma explosão super secreta do passado.

(ALERTA DE SPOILER: Se você ainda tem que assistir ao episódio de domingo passado, eu sugiro que você pare agora, antes que tudo seja revelado. Sério, desvie o olhar!)

Nós fomos até o homem no comando, o produtor executivo Glen Mazzara, em busca de respostas para todas as nossas questões ardentes. A seguir, Mazzara discute sobre a razão de adicionar agora o favorito da HQ, Tyreese, sobre como eles fizeram Jon Bernthal voltar como Shane, sobre a chocante – e cegante! – luta entre Michonne e o Governador, bem como sobre o reencontro tão esperado entre Merle e Daryl Dixon. Além disso, ele nos diz o que esperar quando a série voltar em fevereiro. É como um download de informação essencial para qualquer fã de The Walking Dead.

Uau, eu sinceramente não sei nem por onde começar tendo em vista tudo que aconteceu nesse final de midseason. Deve ter sido a hora de ação mais extrema que você já fez. Eu senti que não tive nem um segundo para poder respirar no episódio todo.

Você nem deveria. Eu sinto que o episódio passado foi muito excitante e eu estava esperando por isso, pelo encontro desses grupos. Lembra quando Rick e companhia estavam na fazenda, e eles eram como uma praga para Hershel e sua família? Agora, aqui está Rick e seu grupo como que atacando a cidade de Woodbury. Eles são terroristas, como o Governador os chama. Eles simplesmente entram e, com todo direito, saem atirando para tirar Glenn e Maggie de lá. Mas para a cidade de Woodbury, eles estão sendo atacados. Foi legal embaçar essa linha entre quem é o mocinho e quem é o vilão, porque Rick e seu grupo parecem muito como caras maus para a cidade de Woodbury.

Vamos começar com a introdução de Tyresse, um personagem muito popular da HQ que se ajuntou ao grupo um pouco mais cedo nos quadrinhos. Por que trazê-lo para a série e por que agora?

Nós queríamos expandir o mundo, e eu acho que é interessante introduzir Tyresse, que é um bom personagem, e trazê-lo em uma época na qual Rick não quer mais ninguém entrando no grupo. Rick está obviamente perdendo a cabeça e quer desligar o mundo. Agora temos esses dois campos claramente delineados: nós temos o grupo da prisão e também temos Woodbury. Agora vamos incluir Tyresse. Vamos introduzir um terceiro fator, e a história de Tyresse vai ser muito, muito interessante durante toda a temporada. Vai ser bem surpreendente para a audiência e vai jogar um novo elemento nessa mistura. É realmente sobre fazer a história do jeito mais complicado e surpreendente possível.

Nós todos estávamos esperando pelo grande confronto entre Michonne e o Governador. Me conte como você quis abordar isso, quando o Governador entra no cômodo e vê Michonne com sua filha zumbi, Penny.

A ideia é que o Governador é vulnerável – ele vê aquela garota como ainda sendo sua filha, e vê Michonne como a pessoa que, de certo modo, fez sua filha de refém. E ele diz “por favor” e põe sua arma no chão. Ele fará tudo para salvar aquela garotinha. Muito diferente da HQ. E foi surpreendente para Michonne ver ele vulnerável desse jeito. Foi mesmo a primeira vez que vimos o Governador vulnerável. E nós sempre focamos em fazer esse personagem com muitas nuances e texturas, o mais complexo possível. E eu acho que David Morrissey faz um trabalho fantástico em conduzir esse personagem pra onde quer que queiramos ir.

Ele realmente me fez sentir pena por um minuto. Eu fiquei com dó dele.

No episódio da semana passada, quando ele fala para Maggie tirar a blusa, foi interessante de ver a reação dos fãs quanto a isso, tinham pessoas dizendo “Ele foi longe demais. Precisamos matá-lo.” Lembre-se, na HQ ele é um estuprador. Estamos apenas definindo isso, dizendo que o personagem tem isso dentro dele, porque nós temos um plano de longo prazo para ele. Então, ter um episódio em que você pensa “Uau, ele é o vilão”, e no próximo episódio nos sentirmos complacentes para com ele, vendo que ele é vulnerável e emocional com relação à própria filha, é novamente mais uma tentativa de fazer esse personagem tão complicado quanto possível, mantendo a audiência ansiosa.

Obviamente, Michonne fez um belo estrago no Governador na HQ. Como vocês decidiram sobre quais partes do corpo dele seriam arrancadas e quais ficariam?

Nós sempre soubemos que ele ia perder um olho nessa luta. E esse é um ponto de virada. É sensato. Então ele perde o olho e foi bom assim, agora temos um Governador mais sombrio e vingativo, que irá atrás deles na segunda metade da temporada. Ele não vai perdoar e esquecer isso. Agora ele sabe que a prisão existe e ele vai tender a destruir essas pessoas, e esse é o arco da segunda metade da temporada.

Então, como David Morrissey fica com um tapa-olho?

Na verdade, ele fica muito bem.

Ele fica bem sempre!

Sim, ele fica bem sempre. Em certo ponto, devo dizer, tem uma cena na metade que vem da temporada na qual ele tem que dirigir, e ele está com o tapa-olho, e nós nunca pensamos nisso, mas ele não consegue ver através do tapa-olho. Tente dirigir com um olho! Não se tem percepção de profundidade. Ele me pediu para não escrever mais cenas dele dirigindo pois ele estava com medo de bater.

Me conte sobre a cena em que Jon Bernthal volta a interpretar Shane, em uma alucinação de Rick. Da onde veio inspiração para isso e como vocês fizeram acontecer?

Nós queríamos incrementar as alucinações de Rick. Nós temos essa coisa da HQ, na qual ele está falando com Lori no telefone e não seria muito realista ter ele de volta a sanidade e ter tudo isso esquecido. Então a ideia de que essas alucinações fossem se escalando e se tornando visuais foi interessante, eu acho. Especialmente debaixo de coerção. Rick tem um tipo de síndrome pós-traumatica com a qual ele está lutando. Então nós mantivemos isso em segredo e chamamos Jon. Ele ficou feliz de voltar, e estávamos ansiosos para ver a reação da audiência, porque às vezes alguns spoilers são revelados, mas carregamos esse fardo de manter esse em segredo.

Eu preciso dizer, pobre Oscar. Eu estava começando a gostar dele. E quem vai ficar com as pantufas agora que ele morreu?

Essa foi uma decisão difícil. O ator [Vincent Ward] fez um ótimo trabalho, mas não poderíamos acabar completamente com o Governador. Ele perdeu a filha, perdeu um olho, sua cidade está abaixo de tiros. Nós tínhamos que dar alguns pontos para o lado dele, então o pobre Oscar teve de ir.

Ele parece aqueles do Starfleet que sempre morrem em missões com Kirk e Spock.

Sim, foi mais ou menos isso, mas foi necessário. E então temos muitos pontos pro lado deles com o surpreendente e suspenso final, pelo qual eu garanto que vou receber muitos e muitos tweets raivosos de fãs do Daryl por causa do hiato, que as pessoas não vão gostar do fato de Daryl ter ficado em perigo na arena com seu próprio irmão.

Obviamente, ter os irmãos Dixons se encontrando pela primeira vez é algo que os fãs estão esperando por dois anos agora, então eu tenho certeza de que foi muito pensado sobre como vocês gostariam de mostrar isso, passo a passo. Me diga como vocês chegaram a esse cenário em particular, de Daryl ter descoberto por meio de Glenn que seu irmão estava por trás de toda essa bagunça e depois os dois estando cara a cara contra toda a cidade.

Acredito que tenha sido nosso co-produtor executivo, Evan Reilly, quem surgiu com essa ideia de ter os dois irmãoes juntos no final da midseason – aquela cena que você viu. E eu amei. Eu fiquei tão chocado com isso e mesmo assim parecia em plausível. Então quando estávamos trabalhando o script, nós tentávamos preservar aquele momento no qual Daryl descobre que Merle está lá, mas não sentiu-se que Glenn ou Maggie não deveriam dize-lo “Este é o Merle”. Estas seriam as primeiras palavras vindas de Glenn, nós sentimos que deveríamos manter a série real, e fazer de um jeito que realmente aconteceria. Então quando estávamos trabalhando nessa cena nós fizemos Glenn dizer isso porque isso é algo que ele faria. Seria artificial se ele não desse essa informação. Seria orgânico.

Por que o Governador se vira contra Merle e diz que ele é um traidor?

Bom, Merle havia voltado e dito que tinha matado Michonne. Então ele mentiu. E ele é o responsável por esses caras estarem ali, pois foi ele quem trouxe Glenn e Maggie. Isso não era serviço seu. Merle mentiu sobre Michonne e isso custou ao Governador sua própria filha, Penny. Então essa é a razão.

O Governador fica o episódio todo tentando impedir Andrea de ver que os caras que estão infiltrando Woodbury são seus amigos anteriores, mas então ele desmascara Daryl no final. Por que?

Ele está transformado. Ele não vai ser dúplice. Ele está focado em vingança. Em fazer as pessoas pagarem. E você ou está com ele, ou não. É onde o Governador se encontra. De certa maneira, ele está rejeitando a duplicidade e a política o que ele vinha fazendo nessa primeira metade da temporada. Agora ele está a caminho de uma estrada bem mais sombria. E o Governador que veremos no retorno da temporada é muito formidável e muito mais sombrio. Nós o levamos a lugares bem assustadores.

Michonne é do tipo solitária, e costumava ficar na dela, mas ela praticamente pede pra ficar com o grupo de Rick no final. Por que? Isso é para acabar com o Governador? Trazer Andrea de volta? Ou ela finalmente achou um time no qual pode confiar?

É uma boa pergunta. Conversei muito sobre isso com Danai e Andy quando gravamos o episódio. Tem um tipo de altruísmo quando ela chega na prisão e diz “Hey, eles estão com seus colegas.” E ela percebe que esse é o grupo de Andrea. Ela não percebe isso imediatamente, mas ela tem essa informação. Ela guarda isso para si porque ela planeja usar Rick e seu grupo para entrar em Woodbury e se vingar do Governador por ter mandado Merle atrás dela. Ela está lá para matar o Governador. Quando ela entra naquela luta com o Governador, veja a vida dela, o estado que ela está. O que acontecerá com ela? Ela vai morrer e ninguém vai sequer saber ou se importar. De certo modo, ela chega ao fundo do poço. E o único jeito de ela se ajudar é se conectando com outro grupo.

Agora ela sente que Rick é um cara bom, e algo que veremos é um relacionamento – não necessariamente romântico – uma amizade, uma conexão humana com Rick na próxima metade da temporada. Eles meio que precisam um do outro. São como dois átomos sendo atraídos um para o outro. Então quando ela volta lá, ela sente que se não se juntar ao grupo de Rick, ela vai se extinguir. Ela provavelmente não sobreviverá lá fora. Em certo ponto algum zumbi ou algum cara mau a pegaria e ninguém daria a minima. Ela está no fundo do poço. Ela não tem nada a perder. Olhe para essa bagunça – o tanque de peixes com cabeças, e esse cara chorando e segurando seu olho, e a menina tem uma espada enfiada na boca, Acho que você não consegue ir mais pra baixo que isso. Então ela está assustada no sentido de que, para onde minha vida está indo? E ela está procurando por um caminho de volta. E o único jeito de fazer isso é por se juntar a Rick e ao grupo dele.

Você sabe que não posso deixá-lo ir sem antes nos deixar algumas pistas da segunda metade da temporada. O que você tem guardado para nós, Glen?

Estamos a caminho de uma guerra. Agora que está tudo à mostra, as pessoas precisam fazer escolhas. Andrea se torna o ponto de foco. Ela é o que conecta. Ela tem de se decider sobre como lidará com isso tudo. Ela está entre uma pedra e uma superfície dura, e ela precisa tomar decisões sobre qual lado tomará ou sobre como juntará os dois lados. Agora temos Merle, que obviamente não pode viver com Rick, pois Rick foi quem o algemou no telhado, e tem Daryl. Então em ambos os grupos, tudo começa a se dividir. Todos formam diferentes alianças. Até mesmo a relação de Glenn e Maggie fica em desordem por causa do que se transpareceu em Woodbury, do que Glenn acha que aconteceu e do que realmente aconteceu. Todos estão traumatizados nesse ponto. Todos estão no seu momento mais frágil, e isso vai começar a desafiá-los e a erguer uns aos outros. E enquanto isso, os dois grupos estão engrenando para a guerra. Estou muito orgulhoso da segunda metade da temporada. É tão intensa quanto a primeira. Tem um episodio no meio do caminho que parece um final de temporada e tem tanta ação quanto esse que você viu. Estamos indo direto para frente. A velocidade não diminui. Não fica mais suave.

E Rick e o Governador ainda nem sequer dividiram uma cena!

Correto! Eles nem sequer se viram ainda! Eles apenas ouviram um do outro. Isto é importante notar. E ainda vai passar um tempinho antes que isso aconteça. E estou muito orgulhoso do episódio que eles se encontram cara a cara.


Fonte: Entertainment Weekly

Publicidade
Comentários

EM ALTA