Siga-nos nas redes sociais

Entrevista

Entrevista com C. Hardwick, Apresentador do Talking Dead

Publicado há

em

O apresentador do Talking Dead – um programa ao vivo que discute os episódios de The Walking Dead com os fãs e com o elenco do seriado — exibido pela AMC, discute seu novo livro sobre cultura nerd, imagina o que Mark Twain diria sobre The Walking Dead e explica o que a série de zumbis tem em comum com seu antigo programa de namoro da MTV, “Singled Out”. Confira:

P: Como você acabou sendo o apresentador do Talking Dead?

R: Eu não sei se essa é uma estória excitante. Eu era fã de The Walking Dead, Robert Kirkman estivera no meu podcast, e eu soube que a AMC estava pensando em fazer um programa. O tempo congelou por um segundo e eu fiquei tipo, “O quê?”. Liguei mediatamente para o meu empresário e basicamente disse, “Você tem que conseguir esse trabalho par mim!” Não sei como você pode representar esse tom no texto, mas…

P: Você teve que fazer algum tipo de campanha?

R: Eu senti que o meu teste era moderar o painel de The Walking Dead na Comic Con. Eu pensei, bem, se eu estragasse, eu provavelmente não iria conseguir o trabalho. Então, funcionou e eu, felizmente, não estraguei o painel e então eles me deram o trabalho.

P: Há alguém que você fantasia em ter no show?

R: Eu acho que Mark Twin seria um deleite.

P: Ok, eu meio que estava pensando em pessoas que ainda estivessem vivas… Mas o que você acha que o Mark Twain diria sobre The Walking Dead?

R: Sabe, agora que você me fez querer sentar e escrever um falso discurso de Mark Twain a respeito de The Walking Dead, repleto de adjetivos coloridos e de sapos saltando. [Risos] Não sei, ele provavelmente diria que o número de sapos capturados no show não é suficiente.

P: Houve um episódio inteiro sobre capturar sapos!

R: É verdade, houve mesmo! Ele teria particularmente amado o episódio sobre pegar sapos.

P: Seu novo livro, The Nerdist Way, estabelece você como a maior autoridade nerd do mundo. Como você chegou a escrevê-lo?

R: O livro foi baseado em um artigo que eu escrevi para a revista Wired sobre a religião da auto-ajuda. Filosoficamente, foi a idéia de que, quando eu estava crescendo, não era legal estar envolvido na cultura nerd. Tudo aquilo que eu amava, eu não mantinha em segredo, mas não dizia em público, porque as pessoas nos anos 80 eram umas merd*s e costumavam julgar muito. E então [a cultura nerd] passou a ser muito mais aceitada porque, agora, os nerds são esses mestres sociais que controlam a tecnologia e a cultura pop.

P: Você já se sentiu um protetor da cultura nerd contra o sistema?

R: É muito melhor do que do outro jeito. Não, eu não quero voltar ao modo que era. Além disso, uma das coisas a respeito dos nerds – e o Talking Dead é o exemplo perfeito disso – é que nós tentamos entender as coisas a partir de um nível granular. Então, ainda que haja as pessoas meio burras ou que consumam passivamente a cultura pop nerd, ainda há lugar para os nerds para se aprofundarem cada vez mais em regiões em que as pessoas jamais tocarão. Ainda há catacumbas nerds nas quais os habitantes da superfície não entrarão. [Risos]

P: Como o embaixador dos nerds, o que você diria aos não-nerds para os convencer a assistir a The Walking Dead?

R: Eu não sei se possui uma tática boa que não seja repreendê-los. [Risos] “Porque é que vocês não estão assistindo a esse seriado? Qual é o problema de vocês? Porque detestam coisas boas?”

P: Será que os nerds estão melhor equipados para sobreviver a um apocalipse zumbi?

R: Bem, mentalmente, estão sim. Mas ainda precisam aprender melhor a usar o facão para conseguir. É engraçado, especialmente depois de The Walking Dead, muitas vezes eu estou em público e faço essa coisa durante cinco segundos, na qual olho ao redor e procuro as saídas e imagino o que poderia usar como uma boa arma. [Risos] Eu realmente me encontro, de verdade, tentando imaginar como seria, e aí eu fico “Espera. Que porr# é essa que eu tou fazendo?”

P: Se os personagens de The Walking Dead estivessem caracterizados em um episódio do Singled Out, da MTV, quem você acha que seria colocado como um par?

R: [Risos] Bem, olha. Não importa porque ninguém naquele show se dá bem. Eu acho que não importa quem seria um casal, o Shane terminaria f*dendo todo mundo, incluindo com a [co-apresentadora] Jenny [McCarthy]. [Risos]

P: Espera aí. Você está dizendo que nunca houve uma conexão amorosa no show?

R: Ninguém sequer foi aos encontros. Nosso índice de sucesso foi muito baixo.

P: Isso é tão decepcionante.

R: [Risos] Me desculpe. Eu acho que The Walking Dead realmente é uma versão social de Singled Out. Seres humanos estão sendo reduzidos e você é meio que abandonado com alguém, e é melhor que você goste desse “alguém”. Estamos colocando as pessoas em pares para ganhar, como se fosse uma competição de snowboards. As apostas estão cada vez mais altas agora.


Fonte: AMC
Tradução: Lalah / Staff WalkingDeadBr

Publicidade
Comentários

EM ALTA