Siga-nos nas redes sociais

Walking Dead Brasil

Coluna Z #7 – Assista ao primeiro episódio da série Zombieland (e tire suas próprias conclusões!)

Publicado há

em

Coluna Z é um quadro semanal que aborda a temática zumbi em geral. Curiosidades, filmes, livros, jogos ou praticamente qualquer coisa que envolva este universo, estaremos sempre trazendo uma análise detalhada sobre o assunto para vocês. A coluna é escrita pela nossa colaboradora Nathalia Price, uma aficionada pelo universo zumbi e seus inúmeros desdobramentos.

Tema da semana: Coluna Z #7 – Assista ao primeiro episódio da série Zombieland (e tire suas próprias conclusões!)


Ok, agora que você já assistiu, vamos às considerações.

Para quem nunca viu o filme de mesmo nome, essa pode ser uma boa série cômica sobre a sobrevivência no mundo pós apocalipse zumbi. Em pouco menos de 30 minutos, consegue arrancar algumas boas risadas e ainda nos presenteia com meia dúzia de mortes interessantes/inesperadas. A maquiagem parece ser propositalmente tosca, mas depois que nos acostumamos com os walkers de The Walking Dead ou até mesmo os infectados em Resident Evil e de Extermínio, fica um pouco difícil se contentar com qualquer coisa. Ainda assim, esse foi só o episódio piloto, ainda não dá para formar uma opinião muito sólida.

Para os que assistiram ao filme, entretanto… Bem, é quase impossível não comparar os personagens, já que eles são o ponto forte da história. Atualmente, com o desgaste do gênero zumbi, os filmes precisam ter um segundo apelo – além das criaturas em si – para que possam se sobressair de alguma forma. E este apelo, em Zombieland (filme e série) é o fator cômico que existe no relacionamento de seus quatro personagens principais.

amazon_zombieland_series_pilot_l

Não se pode ignorar, pois, que os atores escolhidos para o filme tinham uma química e um carisma indiscutíveis. O favorito dos fãs, Tallahassee, foi interpretado por um ator que já tinha uma super bagagem, o Woody Harrelson. Seu primeiro papel cômico de destaque foi na série Cheers, que ficou no ar por onze anos! Entre os papéis mais recentes podemos destacar o conselheiro bêbado de Jogos Vorazes e o operador de telemarketing cego de Sete Vidas. E quem lembra do louco barbudo de 2012? Enfim, o cara é bom mesmo. Não foi à toa que o papel de Tallahassee caiu como uma luva para ele. Infelizmente não podemos (ainda) dizer o mesmo de Kirk Ward, que parece apenas muito bobo e sem nenhuma empatia. Ou eu posso apenas estar sentindo muita falta do Tallahassee original, mas vamos esperar o próximo episódio para cofirmar essa opinião.

Emma Stone (a Wichita) e Jesse Eisenberg (Columbus, o personagem principal) não tiveram papéis realmente significativos antes de Zumbilândia*, e mesmo depois os trabalhos de ambos não geram uma lista lá muito extensa. No filme eles não deram tanta identidade assim a seus personagens, fato que pode ser comprovado ao assistirmos Maiara Walsh e Tyler Ross ocupando seus lugares: não dá nem para amar, nem para odiar. Precisaremos dar mais tempo aos dois também.

Falando em tempo, dos quatro personagens certamente o que mais vai precisar dele é o de Izabela Vidovic, a nova Little Rock. No episódio piloto a menina não teve absolutamente nenhuma chance de mostrar a que veio, sendo assim não há a menor possibilidade de avaliar sua participação; entretanto, superar ou mesmo se igualar a Abigail Breslin é uma missão minimamente injusta. Abigail tem aquela cara de inocente e ao mesmo tempo cínica, que nos confundia e dava o tom perfeito a Little Rock. Resta apenas esperar que Izabela não nos decepcione!

Sobre o roteiro, que conta a história deles logo depois dos acontecimentos do filme: não há nada surpreendentemente muito bom, o que não o impede de ser divertido. No filme eles estão atrás de uma determinada barra de chocolate; na série eles estão em busca de novos amigos para se juntar à “família”. O romance entre Columbus e Wichita é meio chato, mas talvez eles ainda estejam tentando achar o ponto certo.  Numa análise geral, a série manteve o ritmo e o clima do filme, e me parece ter bastante potencial. Pelo menos essa é a minha opinião – e a sua, qual é? Não deixe de comentar!

A Amazon é a responsável pela produção – o que indica que a série deve seguir tanto para o formato online quanto para a TV dos EUA. A aventura cômica terá episódios de 30 minutos.

(*) O nome do filme em português é Zumbilândia, porém não existe nome oficial para a série em português, visto que ela não saiu oficialmente no Brasil.

Caso queira sugerir um tema para o quadro “Coluna Z”, por favor envie um e-mail para [email protected]

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA