Siga-nos nas redes sociais

3ª Temporada

Chad L. Coleman fala sobre Tyreese e sobre aprender suas próprias técnicas de sobrevivência

Publicado há

em

O ator Chad L. Coleman, que interpreta Tyreese em The Walking Dead, fala sobre aprender suas próprias técnicas de sobrevivência e porque ele é um mediador natural entre o povo de Rick e o povo do Governador.

Você é um dos muitos personagens novos esse ano. O que o ajudou a pegar o ritmo?

Bom, Danai [Gurira] e eu trabalhamos na Broadway juntos, em Joe Turner’s Come and Gone de August Wilson no Lincoln Center em Manhattan. Então já tínhamos um relacionamento e isso ajudou. Mas todos são pessoas muito boas, então foi fácil. Muitos eram fãs de “The Wire” e ajuda quando as pessoas apreciam o que você faz e conhecem seu trabalho.

Quem você gostaria de ter ao seu lado durante um apocalipse? Cutty, seu personagem em The Wire, ou Tyreese?

Se eu tivesse que escolher, escolheria Tyreese. Cutty teve a chance de se achar, mas ele conhece suas próprias limitações. Com Tyreese, eu sinto como se o céu fosse o limite. Cutty me passa a impressão de que tudo o que ele pode fazer é ficar no ginásio e ajudar quem aparecer. Ele conhecia certas restrições sobre ele mesmo e eu não vejo isso no Tyreese, que é um líder natural e que se adapta em qualquer situação.

Suas técnicas de sobrevivência podem ser comparadas as de Tyreese?

Eu passei quatro anos no exército dos Estados Unidos, entre 1985 e 1989, e com certeza aprendi a como sobreviver na mata. Servi no Pentágono e em Fort Leavenworth, trabalhava como câmera e isso me levou para lugares como Coréia, Japão, Alasca, Alemanha e Holanda. Mas para o meu treinamento eu aprendi de tudo: atirar com M-16, trabalhar com granadas, ficar em acampamentos abertos, primeiros socorros, disfarces, andar arrastado, trabalhar em volta de arame farpado, escalada. O que você pensar, nós fizemos.

Você tem uma irmã? Se sim, vocês são similares a Tyreese e Sasha?

Eu tenho quatro irmãs. Elas são todas muito fortes. Quando se trata da minha irmã mais nova, sim, ela é muito geniosa e posso ver alguns aspectos dela no personagem. Ela vai se impor e eu vou, gentilmente, corrigir. Agora, Sonequa [Martin-Green] também é uma mulher independente e eu adoro isso. Se você assistir, vai ver um cuidando do outro, não a trato como irmã mais nova, somos um time. Tenho um laço natural com ela desde o começo.

Tyreese passou um tempo em ambos os acampamentos com os sobreviventes. Você é o tipo de pessoa que se dá bem em grupos diferentes de pessoas?

Eu me acho em situações assim o tempo todo. Sempre fui o tipo de pessoa que tenta construir pontes, não paredes. Seja com a minha ex-mulher e meu enteado, ou minha filha e minha ex. Sou o cara que fica no meio para ter certeza que todos vão ficar juntos. Acho que quando você cresce em um lar adotivo, de certa forma você aprende a observar, você começa a entender muito sobre o comportamento humano. Para mim, é muito importante que as pessoas consigam conviver de maneira pacífica. Você vive para lutar outro dia e vive para lutar de uma maneira diferente.

Tyreese é um ex-jogador de futebol. É outra coisa que você compartilha com ele?

Quando me formei no ensino médio, eu tinha 1,73 e pesava 63 kg. O talento estava lá e eu tinha feito um bom trabalho nas aulas de teatro. Mas eu corria naquela época, e você pensa que, como é pequeno, precisa correr distâncias longas. Mas para Tyreese, eu não precisava me preocupar muito com a aparência física, se você olhar nos quadrinhos, eu me pareço bastante com ele.


Fonte: AMC
Tradução: @nataliaskbr / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA