Siga-nos nas redes sociais

Curiosidades

12 Características para se diferenciar um Vivo de um Morto-vivo

Publicado há

 

em

1. Cheiro de amor – Os zumbis sabem diferenciar os vivos dos mortos pelo cheiro. Se você passar no meio de uma manada de zumbis, um conselho: certifique-se de estar fedendo como eles. Uma boa dica é pegar qualquer parte de um morto-vivo e esfregar no seu corpo para que os aromas se misturem. Só cuidado pra não pegar chuva. A água tira o odor e você poderá ser percebido numa hora bem inconveniente, como aconteceu com Rick, o personagem principal da revista em quadrinhos The Walking Dead.

2. Condicionamento físico – Quem já viu um zumbi correndo está contando uma mentira. Tirando o remake de Madrugada dos Mortos (Dawn of the Dead, 2004), Zumbilândia (Zombieland, 2009) e outros filmes mais recentes, em que os zumbis correm desesperadamente atrás de comida – unindo tensão e adrenalina -, esses seres não têm o menor condicionamento físico, você pode passar por eles à toda, sem medo de ser agarrado. Só não se deixe ficar cercado…

3. Inteligência rara – Os zumbis, segundo a definição, são seres humanos dados como mortos, mas, reanimados por morte cerebral, permanecem em estado catatônico. Eles não pensam, agem apenas por “instinto”. No entanto, em Terra dos Mortos (Land of the Dead, 2005), do glorioso George Romero, um morto-vivo em particular desenvolve uma linha lógica de raciocínio para chegar à fortaleza em que estão ilhados os últimos sobreviventes. O mesmo acontece em Celular (Cell), livro de Stephen King lançado em 2007 no qual todos que estavam ao celular em determinada hora viram zumbis.

4. Como virar um morto-vivo – Os mortos-vivos sempre estão cheios de carinho pra dar. A transmissão é feita pela passagem do vírus para o sangue da pessoa a ser transformada. Ou seja, mordidas – tradição em qualquer filme do gênero – e escarramento em algum orifício aberto do corpo humano – como em Extermínio (28 Days Later, 2002) – são as melhores formas de se passar desta para uma pior ainda.

5. Andar sonambúlico – Normalmente, os zumbis apenas possuem as articulações um pouco mais enrijecidas. São mais conhecidos pelo andar sonambúlico: braços estendidos para a frente e lerdeza nas pernas. O mais legal é que, apesar de não conseguirem apostar uma corrida, eles conseguem alcançar os personagens dos filmes por mais longe que estejam…

6. Aquafobia – Dependendo da natureza dos zumbis – e do filme, livro, HQ – eles podem ou não entrar na água. Em Extermínio, os mortos-vivos ficam isolados. Já em Terra dos Mortos, o líder da turma descobre que água não mata e, decidido a todo custo a acabar com a raça humana – mesmo sem ter plena consciência disso -, atravessa um rio andando com seus seguidores. Era um rio raso, porque daí a saber nadar crawl é outra história. Além disso, andar dentro da água já é difícil pra quem tem todas as partes do corpo…

7. Fotofobia – Os mortos-vivos de Eu sou a lenda (I Am Legend, 2008) – embora sejam considerados apenas vítimas mutantes de um vírus que vazou de laboratórios secretos em Nova York – não saem de dia, pois os raios solares queimam a cútis delicada dos bichanos. O mesmo acontece no livro de Stephen King, em que os sobreviventes aproveitam o dia para caçar e criar armadilhas. No mundo em que vivemos, nem precisam existir mortos-vivos para ter medo de vaguear à noite pelas ruas da cidade…

8. Moda das trevas – Não espere que os mortos saiam da cova vestidos de Gucci ou Versace. Podem ser até enterrados assim, mas uma vez que voltam à “vida” as roupas de grife logo se transformam em velhos maltrapilhos, rasgados, sujos e comumente sujos de sangue – dele e das vítimas.

9. Instinto assassino x Magali – Também é uma característica que varia de zumbi para zumbi. Alguns querem acabar com a raça humana simplesmente para dominar o mundo, outros só desejam saciar a fome interminável e incontrolável. Mas uma coisa é certa: carne fresca é sempre a melhor pedida.

10. Conexão com a vida passada – Os mortos, quando retornam, não se lembram de nada do que eles passaram em vida. Não é o que acontece no livro O Cemitério (Pet Sematary), de Stephen King. O mortos, enterrados do cemitério de animais de feitiçaria indígena, não são zumbis: eles ressuscitam com o lado negro de sua personalidade mais aflorado. Ou seja, ainda se lembram das pessoas vivas com quem conviveu. Já se a sua querida irmãzinha virou um zumbi, deixe de lado todo o sentimentalismo: mate-a ou saia correndo. Ela não é mais sua irmã. Se ela sorria pra você em vida, agora lhe dará uma bela de uma mordida. E não será de amor.

11. Como matar – É bom ter tacos de beisebol, machados, facões e armas sempre à mão. Não perca tempo, habilidade ou munição metralhando o corpo de um zumbi: eles se locomovem e mantêm-se mortos-vivos ainda que tenham apenas a parte de cima do tronco e a cabeça. O segredo está aí. Atire, amasse ou enfie a faca no cérebro morto dos zumbis para que eles encontrem a escuridão de uma vez.

12. Cura – Uma vez zumbi sempre zumbi. Só matando… de novo.

por Bernardo do Paperblog.

Publicidade
Comentários

EM ALTA