Siga-nos nas redes sociais

6ª Temporada

The Walking Dead 6ª Temporada: Perguntas e Respostas com Andrew Lincoln (Rick Grimes)

Publicado há

 

em

ATENÇÃO: Esta matéria contém spoilers do nono episódio da sexta temporada de The Walking Dead, S06E09 – “No Way Out” (Sem Saída). Leia por sua conta e risco. Você foi avisado.

Andrew Lincoln, que interpreta Rick Grimes em The Walking Dead, fala sobre o novo mundo de Rick e cumprir o desejo de Deanna no leito de morte.

Você já havia andado por uma horda coberto por entranhas antes, foi mais fácil da segunda vez? Do que essas entranhas são feitas?

Andrew Lincoln: É sempre mais fácil da segunda vez, mas foi tão desagradável quanto. [risos] O único bônus é que dessa vez tínhamos todas essas pessoas novas que estavam igualmente desconfortáveis. Você teria que perguntar aos magos na KNB EFX do que os ponchos de carne são feitos, mas depois de cinco horas suando, poderia realmente ser carne de zumbi.

Como foi reencontrar Lennie James no set nesta temporada e filmar com ele como parte do grupo pela primeira vez?

Andrew Lincoln: É maravilhoso. Lennie sempre tem uma presença forte no set e é um líder por conta própria. Ele é extremamente talentoso. É bom ter alguém que é um aliado, mas também alguém que desafia Rick. É uma relação incomum. Rick não foi desafiado publicamente desde Shane, o que não terminou particularmente bem… para Shane… [risos].

the-walking-dead-s06e09-no-way-out-031

Nós perguntamos a Lennie se ele acha que Morgan poderia encarar Rick em uma briga com suas novas habilidades de luta com o bastão. Em quem você apostaria?

Andrew Lincoln: Eu acho, sem dúvida, que Morgan daria uma surra em Rick com aquele bastão. Quero dizer, Lennie acabou com praticamente todo dublê com aquele bastão. Ele é letal. [risos] Ele vai ficar tão bravo que eu falei isso! É uma piada engraçada, no entanto. Eu estive contando o número de dublês que ele acertou e já estou nos dedos do pé agora. Ele é como um demônio da Tasmânia.

Onde Sam e Jessie serem devorados fica no seu ranking entre os momentos mais dolorosos para Rick?

Andrew Lincoln: Quando eu li o roteiro, eu apenas ri. Sam é morto, Jessie é mordida, Ron aponta a arma pra mim e acaba atirando no olho do meu filho e então Michonne o mata com a espada. Você está brincando?! Era loucura! Nós poderíamos ter feito aquela cena ao longo de quatro episódios! Foi um dia horrível. Toda a sequência levou oito ou nove horas porque o episódio todo é muito grande. Dizer adeus a grandes atores e amigos é sempre doloroso, mas com esse relacionamento em particular entre Jessie e Rick – ela desbloqueia uma parte dele que não havia sido tocada desde a morte de Lori. Ela era muito importante na reconstrução de Rick e seu futuro em Alexandria. Além disso, o que Alexandra Breckenridge criou com esse personagem em um tempo relativamente curto foi brilhante. Era difícil em tantos níveis. Nós continuamos recebendo artistas brilhantes na nossa série e, infelizmente, nós continuamos matando eles.

É divertido filmar os momentos insanos de Rick, como quando ele saiu na matança de zumbis logo depois que Carl leva um tiro?

Andrew Lincoln: Na minha experiência com esse cara, ele não consegue aguentar quando não tem controle sobre a situação. Ele teve que entregar o que ele acha ser seu filho à beira da morte e isso é insuportável para ele. O trauma e o luto após Jessie se transformaram em ira absoluta. Ele está tão destruído pelo luto. É a única maneira de se livrar dessa paralisia. Ele a transformou em raiva e o que ele faz é insano.

Eu fiquei um pouco preocupado por um minuto…

Andrew Lincoln: Hey, não fique preocupado com Rick! Fique preocupado com aqueles zumbis! [risos]

the-walking-dead-s06e09-no-way-out-043

Você ficou surpreso que os alexandrinos saíram e ajudaram Rick em sua luta contra a horda?

Andrew Lincoln: Os alexandrinos se provaram para Rick. Eles salvaram sua vida e salvaram a comunidade. Pela primeira vez, todos se uniram na luta por Alexandria. É abastecida pelo trauma e o único homem sozinho diante deles se une a ele. O desafio de Deanna para Rick começa a dar frutos. Ela disse “Eles agora são o seu povo” e de fato todos ficaram lado a lado para recuperar a comunidade.

Depois que Carl leva um tiro, Rick divide conosco seu desejo de mostrar a Carl “o novo mundo”. No que você acha que consiste o mundo novo dele?

Andrew Lincoln: Eu acho que é a primeira vez que ele realmente vê um futuro viável. É a primeira vez que ele sente esperança desde antes do apocalipse – não é falado, mas está lá. Ele sente que pode começar de novo e a comunidade pode construir uma civilização real. É tudo aquilo de que Deanna falava – e que ele não acreditava até que todos se uniram e se mostraram guerreiros. É pura esperança. Todo o resto foi pura sobrevivência. Ele também percebe que esteve errado. É um grande ponto de virada em sua evolução como líder.

Nós voltamos pra ler nossa primeira entrevista com você, onde você mencionou algumas das coisas que levaria durante um apocalipse – uma raquete de tênis, sua sunga e uma arma. Suas escolhas mudaram agora que você sabe como é lá fora nesse mundo?

Andrew Lincoln: Eu definitivamente levaria meus tacos de golf ao invés da raquete de tênis. É a única coisa que eu mudaria.

Então a sunga ainda é essencial?

Andrew Lincoln: Speedos e minhas botas de cowboy são dois itens essenciais.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: AMC

Publicidade
Comentários

EM ALTA