Siga-nos nas redes sociais

Série

The Walking Dead 9ª Temporada – Comentários do episódio 3: “Warning Signs” (COM SPOILERS)

Publicado há

em

Post destinado a comentários do episódio “Warning Signs” da nona temporada de The Walking Dead. Muitos spoilers poderão (e serão) encontrados por aqui. Se você ainda não assistiu e não gostaria de ter as surpresas do episódio “estragadas”, não prossiga. Você foi alertado!

Este post está destinado à exposição de ideias sobre tudo o que pode estar acontecendo na série. Utilize os comentários abaixo para compartilhar conosco suas teorias.

SINOPSE: A visão de futuro de Rick é ameaçada por um misterioso desaparecimento no acampamento que ele lidera.

Escrito por: Corey Reed
Dirigido por: Dan Liu

DISCUSSÃO DE “WARNINGS SIGNS”:

Amém, Angela Kang.

O terceiro episódio da nona temporada de The Walking Dead chegou provando mais uma vez que a nova showrunner revitalizou a série de TV. Com muito mistério, desenvolvimento de personagens e aberturas para futuras e intrigantes novas histórias, “Warning Signs” foi o melhor capítulo até agora.

Dando seguimento aos eventos da semana passada, o episódio inteiro desenrolou-se a partir do desaparecimento dos Salvadores. Não, não era Daryl, Carol, Maggie, Henry ou muito menos Dwight ou Heath, e sim Cyndie e as outras mulheres de Oceanside.

É incrível com o roteiro de Angela Kang tem sido sagaz em construir tensão e ainda assim fazer com que cada elemento credite saldo positivo ou relevância assim que os créditos finais aparecem. Mesmo a partir de um dilema dado a personagens “coadjuvantes” – que, a propósito, rendeu a uma das mais bem dramatizadas cenas da série até hoje -, toda a situação conseguiu ainda jogar possibilidades narrativas para que Rick, Maggie, Carol e Daryl crescessem em torno de seus planos e ideologias, além de engatilhar um novo panorama para Anne/Jadis (e Gabriel) e todo o curioso caso do helicóptero.

Além da história intrigante, o roteiro de Matt Negrette ainda é inteligente o suficiente para enganar o próprio telespectador com prováveis linhas alternativas quanto aos seus mistérios, resultando ou em sequências de prender a atenção ou diálogos bem escritos.

Em termos técnicos, a direção de Dan Liu é sugestiva e parece extremamente mais segura do que aquela do episódio em que trabalhara anteriormente – “Some Guy”, na temporada passada -, fazendo com que o elenco talentoso e o poderoso texto tenham mais atenção do que movimentos de câmera ou poluição visual.

Prestes a entrar no penúltimo episódio de Rick Grimes, The Walking Dead segue dando esperanças de um futuro promissor, graças a boa repaginada sofrida por trás das câmeras. É uma pena que isso tenha demorado duas temporadas para acontecer.

Novamente, amém, Angela Kang.

PS1. Se o intuito do momento em família de Rick, Michonne e Judith era fazer a sensação de partida mais evidente e sofrível eles estão conseguindo.

PS2. O que seria A ou B?

PS3. Aos fãs das HQs, se a comunidade que Jadis falou era a Commonwealth, quem diabos seria Georgie no fim das contas?

PS4. Texto poderosíssimo aquele dado a Arat e Cyndie, hein?

PS5. A maior dor que sinto a cada fim de episódio desta temporada é o pensamento de quão bem trabalhado Carl teria sido caso Kang tivesse assumido o cargo de produtora-executiva antes.

SUA OPINIÃO SOBRE O EPISÓDIO:

 

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA