Siga-nos nas redes sociais

7ª Temporada

The Walking Dead S07E09: Greg Nicotero explica o sorriso de Rick

Publicado há

em

ATENÇÃO: Esta matéria contém spoilers do nono episódio da sétima temporada de The Walking Dead, S07E09 – “Rock in the Road” (Rocha na Estrada). Leia por sua conta e risco. Você foi avisado.

Sorriam, pessoal, sorriam! Não, nós não chegamos à Terra da Fantasia, mas vocês estão perdoados por se sentirem dessa maneira ao final do episódios de volta da sétima temporada de The Walking Dead, intitulado “Rock in the Road”. Cercados por um assustador – e muito bem armado – grupo, Rick retaliou com… Um enorme sorriso?

Rick sorrindo, em qualquer circunstância, é uma ocasião importante, mas essa pareceu extremamente curiosa. O que estava por trás do sorriso de Rick? A Entertainment Weekly conversou com o produtor executivo Greg Nicotero – que também dirigiu o episódio – para obter respostas. Nicotero também falou um pouco sobre a incrível cena da estrada, a recusa de Gregory e Ezekiel à proposta de Rick, e o que virá a seguir.

ENTERTAINMENT WEEKLY: Vamos começar falando sobre o desfecho [do episódio]. Rick foi cercado pelo novo grupo, que possui tantas armas, e ao se deparar com isso, ele sorri. Qual o significado do sorriso?

Greg Nicotero: É claro que ele sorriu. É o final perfeito para o episódio. Sabe, nós o vimos no início [do episódio], ele estava muito dedicado a juntar um exército. Ele precisa de pessoas para lutar, então ele vai até Hilltop, e não consegue convencer Gregory, porém consegue algo vindo de Maggie. Depois, vai ao Reino, o Rei [Ezekiel] não está tão disposto a lutar, mas Rick sabe que eles estão lá. Então, ele encontra todos aqueles explosivos na estrada. A conclusão é que o episódio inteiro é baseado nessa série de ganhos e perdas de Rick, mas ele não vai desistir.

Quando eles retornam a Alexandria e percebem que o Padre Gabriel sumiu e coisas estranhas estão acontecendo, e então ele é cercado pelo grupo armado, Rick vê soldados. É por isso que ele sorri. Eu não acho que ele se preocupou, nem por um minuto. Acredito que ele tenha visto a situação, e ele ficou tipo “Ok, eu preciso conseguir algo aqui. Há muitas pessoas, muitas armas, e é disso que eu preciso”. As engrenagens começam a girar e, de repente, BOOM! Estamos fora.

Tudo isso pode estar conectado com o começo do episódio, aonde vemos Padre Gabriel pegar todos os suprimentos de Alexandria, e levá-los embora. Sobre o que foi aquilo?

Greg Nicotero: Vocês terão mais informações se assistirem mais de uma vez [o episódio] porque, se você notar, há um momento aonde Gabriel entra no carro, e vemos outra pessoa ao lado dele. Ele não estava sozinho. O que nós gostamos é de brincar com a ideia de algo incerto. Gabriel ficou louco? O que está acontecendo? Ele bolou um plano para roubar todos os suprimentos? Mas então, assim que ele se afasta, você vê alguém sentado no carro ao lado dele.

Há até algo sutil quando ele está colocando gás no carro. Você pode ver o reflexo de alguém no carro. Então eu acho que, depois de algumas revisadas nessa cena, é meio aparente – especialmente depois de Rick dizer que Gabriel não faria aquilo – que deve ter acontecido algo. Então, eles voltam para onde estava o barco, e eles encontram sinais, então percebem que estão seguindo alguma coisa com alguém, e que a dica de Gabriel os levou a acreditar que quem estava os observando tomou alguma atitude.

É interessante quando a vida imita a arte ou a arte imita a vida. Temos agora um presidente que defendeu o fechamento de nossas fronteiras, manter os refugiados fora e cuidar de nós mesmos primeiro, mesmo que isso signifique ignorar problemas em outros lugares. E então você tem Gregory em Hilltop, que parece estar seguindo esse mesmo script. É uma situação de “separados no nascimento”.

Greg Nicotero: Sim, eu concordo com isso. Claramente, este roteiro… Talvez [o showrunner] Scott [Gimple] tenha uma bola de cristal, mas o roteiro foi escrito em agosto passado, e eu realmente não acho que alguém acreditou que chegaríamos na situação em que estamos agora. Acho que o acordo com Gregory é que ele está descobrindo uma maneira de manter este lugar [Hilltop] vivo, mas a verdade da questão é que – e eu acho Gregory um personagem realmente fascinante – ele tem que ter feito algo certo em algum ponto, caso contrário, todos estariam mortos há muito tempo. Entretanto, uma vez que Rick e seu grupo se apresentam, Gregory já não tem mais o mesmo poder de antes. É só uma questão de tempo, e vemos Maggie lá, e ela está preparada para subir.

Nós já estabelecemos na primeira metade da temporada que ela tem o que é preciso para proteger esta comunidade, e ele não. Eu realmente não entendo muito bem como ele não consegue ver isso, mas ele provou ser um covarde. Quando Hilltop foi invadida no episódio cinco, Gregory se escondeu, e nessa cena, ele está falando com todos eles como se fossem crianças de 2 anos, e então ele diz: “Adeus”, e entra na mansão. E eles estão todos prontos para lutar, e isso é mostrado quando Enid leva o grupo até os moradores que estão dispostos a aprender como fazer isso. Eles estão tipo “”Olhe, nós sabemos onde esta nossa lealdade. Queremos viver. Queremos sobreviver. Achamos que fazer isso é seguir Maggie. ”

Xander Berkeley é ótimo em ser um babaca.

Greg Nicotero: Ele é muito bom. Essa foi a primeira cena que eu já tinha dirigido com ele, e nos divertimos muito. Há muitos momentos bons nesse episódio. Sabe, na primeira metade da temporada, foi pesado, cara. Havia apenas perda, e culpa, e nós vimos nosso herói ser destruído sob o domínio de Negan. E agora, neste episódio, há em Gregory um certo aspecto de desprezo que você quase se pergunta se ele está fazendo isso para provocá-los, porque ele realmente está sendo um babaca. E então, temos Ezekiel e Jerry. Todos entraram no teatro, e Ezekiel disse: “Jesus, me agrada ver você”, e Jerry diz “Agrada-o”, e Ezekiel retruca: “Jerry!”. Eu amo isso. Há muito humor neste episódio, e há muita diversão lá dentro, e eu acho que muito disso se dá porque os atores tiveram a chance de fazer algo novamente e não precisaram ficar sentados pensando em quem seria o próximo a morrer.

Sei que Andy falou com você, e Norman também, sobre todos estarem juntos novamente. A química que há quando esses caras estão em cenas juntos é incomparável, e eu realmente acredito que você pode ver isso na tela. Eu acho que você pode ver quando Morgan está lá, ou Maggie está lá, ou Rick está lá, ou qualquer um deles. Quero dizer, eles são todos incríveis, mas acho que a força de The Walking Dead sempre foi o conjunto da primeira temporada em diante. Sabe, Shane, Lori, Dale, Andrea, e a força do conjunto.

E o que é ótimo nesse episódio é que todos conseguem brilhar. Todos tem seus motivos para querer acertar as contas com Negan. Então, todos irão expressar isso à sua maneira, seja com raiva, com culpa, ou deixando isso para trás. Vemos o que Rosita fez no episódio oito, vemos Maggie perdida, Sasha perdendo também, vemos Daryl sendo parcialmente responsável [pela morte de Glenn], há tantos motivos. Tudo foi alinhado na primeira metade da temporada para que tudo isso pudesse explodir nos próximos oito episódios.

Vocês fizeram algo muito interessante com Ezekiel, quando Rick pede a ele que se junte à luta contra os Salvadores. Ezekiel hesita e não quer aceitar, mas seus dois assessores mais próximos convidam-no a participar da luta. E eu acho que muitos de nós estavam esperando que até o final do episódio, Ezekiel fosse de fato aceitar. Mas ele não faz isso. Ele oferece morada a Daryl, mas não aceita entrar na guerra. E isso foi algo que eu não pensei que fosse acontecer.

Greg Nicotero: Nós já sabemos que Richard não é o tipo de cara que aceita uma vida como a que os Salvadores proporcionam às comunidades. Entretanto, Ezekiel tem um relacionamento muito diferente com Benjamin. Então, eu acho que o ponto de virada acontece quando Benjamin diz a Ezekiel que o Reino deve ajudar na luta. Ele vê as coisas de um ponto de vista diferente ao de Ezekiel.

Ezequiel tem um segredo – muitas das outras pessoas que vivem no Reino não sabem sobre os Salvadores. Eles não sabem sobre Negan. Então eu acho que ele está mais interessado em proteger seu próprio povo do que colocar seu pescoço na linha. Eu não acho que ele é o tipo de cara que não iria colocar o pescoço na linha, porque ele trouxe Morgan e Carol para dentro de sua comunidade. Ele está fascinado com eles, mas a idéia de que as pessoas vão morrer o incomoda. O que define a vida? Claramente, não perder as pessoas é parte dela, mas, se as coisas piorarem, eles iriam acabar numa péssima situação.

Sobre a cena de ação do episódio. Na estrada, o grupo encontra vários explosivos. Eles os removem da corda na qual estavam presos, e, em seguida, Rick e Michonne dirigem os carros pela estrada com o fio entre eles, basicamente, cortando uma horda de zumbis ao meio a 50 quilômetros por hora. De onde diabos veio essa ideia?

Greg Nicotero: Quando eu peguei o script original para este episódio, esta foi a nossa grande cena. A cena que fizemos para todos se animarem e pularem de seus sofás. Foi incrivelmente bem escrita. A ideia é que eles encontram este cabo que está esticado através da estrada com uma placa de pressão para deter essa horda de zumbis que vem vindo em seu caminho. Obviamente, os Salvadores nunca pensaram realmente no fato de que alguém poderia vir e roubar todas essas armas, mas Rick olha para eles como uma tremenda oportunidade. Então ele pega todos os explosivos.

Quando eu li o primeiro rascunho do roteiro, liguei para Scott e disse “Conseguimos fazer isso! Nós só precisamos de um pouco de trabalho, e podemos levar isso adiante. E se há dois carros, da maneira como você descreveu, podemos fazer com que os dois carros arrastem o fio pela estrada, e elimine a horda instantaneamente. E Scott estava tipo, “Isso é perfeito, porque agora dá Rick e Michonne uma oportunidade de ter uma vitória juntos, porque eles têm estado muito distantes durante a primeira metade da temporada”.

Nós nunca fizemos nada tão audacioso nesse nível, mas eu e Scott sentimos que foi uma ótima maneira de começar a segunda metade da temporada. Estamos sendo audaciosos.

Temos grandes momentos emocionais, alguns aterrorizantes, alguns sustos e outras coisas, mas vamos relembrar ao público que há vários zumbis lá fora. Eles ainda estão habitando esse mundo, e nós não estamos nem perto de esgotar as diferentes maneiras que podemos matá-los. Então, filmamos essa seqüência em dois dias. Eu tinha um drone, tínhamos carros elétricos, estávamos dirigindo para cima e para baixo na parte interditada da estrada filmando os carros dirigindo.

Eu acho que nós tivemos cem zumbis na maquiagem naquele dia, e então os efeitos visuais colocaram todo o resto, mas eu acabei quebrando a sequência do storyboard em alguns takes. Então, mesmo quando estávamos no set, já sabíamos onde o drone estaria, como usaríamos o carro elétrico para pegar a cena como pegamos. E nós tínhamos cem zumbis, e como os carros foram para cima deles, eles se ajoelharam e caíram, e aí entram os efeitos especiais, adicionando partes de corpos voando e muito sangue. Foi ótimo. Adorei cada segundo. Meu único arrependimento é que eu gostaria que pudesse continuar por mais três minutos, porque acho que poderia ter sido mais divertido ainda.

Futuramente, Daryl será capaz de fazer Ezekiel ceder?

Greg Nicotero: Não sei. Acho que o Daryl está um pouco fascinado com o tigre. E todos nós sabemos que Norman está querendo um animal de estimação desde a segunda temporada. Ele sempre quis um cão, então eu acho que há grandes oportunidades para Daryl em relação a Shiva. Eu não sei se ele está tentando convencer Ezekiel, acho que todos tem suas agendas, e é claro que todos eles precisam fazer suas coisas, mas acho que eles teriam menos trabalho se conseguissem convencer Ezekiel a se juntar ao grupo.

Para finalizar, eu adoro pedir a você uma palhinha sobre o próximo episódio. O que você pode nos dizer?

Greg Nicotero: Bem, o episódio dez foi dirigido por Jeff January, e tem um zumbi que provavelmente é um dos mais legais que já fizemos em sete anos. Também teremos a chance de conhecer vários novos personagens interessantes e outra comunidade. Isso é o que é ótimo sobre a série. Temos Oceanside, Hilltop, o Reino, Alexandria – estamos povoando o mundo com vários locais realmente únicos, civilizações únicas, as esperanças são de que todos se unam em apenas um grupo, mas nada acontece da maneira que queremos. Então, posso dizer que há muita coisa boa chegando.

The Walking Dead, a história de drama mais assistida da TV a cabo, vai ao ar nas noites de domingo no AMC Internacional, às 23h, e no FOX Action (canal do pacote premium FOX+) e FOX Brasil, às 23h30. Confira todas as notícias sobre a sétima temporada.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Entertainment Weekly

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA