Siga-nos nas redes sociais

3ª Temporada

Glen Mazzara fala sobre como é ser o showrunner de The Walking Dead e sobre a terceira temporada

Rafael Façanha

Publicado há

em

O TWD News conversou recentemente com Glen Mazzara, showrunner de The Walking Dead, a respeito de como é ser o showrunner de um seriado que faz tanto sucesso, a terceira temporada, os quadrinhos, o futuro e muito mais. A entrevista foi realizada antes do anúncio oficial da quarta temporada da série e da demissão do Glen. Confira:

Lilja: Nós conversamos anteriormente em Fevereiro, e então você era novo no trabalho de showrunner em The Walking Dead e, nos dias de hoje, você já trabalhou por mais de uma temporada. O que está diferente agora, comparado com quando conversamos em Fevereiro?

Glen Mazzara: O que mudou? Tem sido uma grande, grande jornada para mim. Estou tão feliz em trabalhar em um show que eu realmente amo. Eu trabalho com pessoas realmente ótimas, um elenco maravilhoso, uma equipe fabulosa e sou capaz de contar histórias que não são contadas na TV. Tem sido realmente excitante e compensador e eu estou tendo o melhor momento da minha vida.

Lilja: E está sendo um grande sucesso. Você algum dia chegou a sonhar que o show teria tamanho sucesso quando aceitou o emprego como showrunner?

Glen Mazzara: Não, eu estava apenas tentando não fracassar. O fato de que o público vem aumentando em tão larga escala a cada semana, e o fato de termos uma base de fãs tão apaixonada e que se importa tanto com os personagens e com nossa história realmente é lisonjeiro e esmagador, mas realmente não era algo que eu realmente havia pensado. Eu apenas queria estar focado em concluir este trabalho e me assegurar de que estávamos fazendo o melhor programa de TV que podíamos.

Lilja: E eu li que a mid season finale foi vista por mais de 10,5 milhões de telespectadores.

Glen Mazzara: Sim, eu acredito que esteja certo.

Lilja: Isso é incrível. Dez milhões e meio de pessoas é mais do que a população da Suécia (risos)

Glen Mazzara: (risos) Sim, foi um episódio divertido e eu posso garantir que a próxima metade dessa temporada, que irá ao ar em Fevereiro, é tão excitante, tão interessante, e agora que temos todos os personagens e cenários apresentados, agora que todos estão em cena e tudo está em andamento, nós podemos nos divertir, então eu espero que as pessoas respondam tão bem quanto o fizeram na primeira metade da temporada.

Lilja: Sim, eu acho que elas irão. E deve ser divertido ver que todos respondam tão positivamente ao show. Todos gostam, tanto os fãs e os críticos, todos.

Glen Mazzara: Sim. Tentamos fazer deste show uma jornada divertida para nossos fãs, o máximo que podemos, mas eu acho que os críticos respondem positivamente por termos dilemas interessantes para nossos personagens, eles tem que fazer escolhas desesperadas, e eu acho que o show acabou acontecendo de uma maneira muito boa. É divertido e um bom entretenimento, e o que é mais excitante a respeito disso é que as pessoas costumam sentar e assistir juntas. É uma experiência de comunidade. As pessoas assistem com a sua família, eles assistem com seus amigos, com seus colegas e as pessoas falam a respeito. Isso é divertido. Todos tem uma opinião a respeito e isso é excitante.

Lilja: Da última vez que nos falamos, você disse que gostaria de aproximar o show de TV dos quadrinhos. Você sente que conseguiu fazer isso?

Glen Mazzara: Certamente. Apresentamos a Michonne, O Governador e Woodbury. Nós certamente levamos essa história essencial e esses personagens e trabalhamos com eles no show. Recentemente apresentamos Tyreese, favorito dos fãs, e eu acho que isso tem sido responsável por grande parte do sucesso do show, trazer estes elementos dos quadrinhos que o público realmente gostaria de ver.

Lilja: Sim, e eu acho muito legal como você os leva, apesar de eu ler os quadrinhos, me surpreende. Basicamente as histórias acabam sendo nos mesmos lugares mas o show cursa um outro caminho, diferente dos quadrinhos. Isso é algo que você planeja, manter os fãs dos quadrinhos em suspense? Ou é algo que simplesmente acontece quando você escreve os roteiros?

Glen Mazzara: Isso é interessante. Nunca ninguém me perguntou desta maneira antes. Nós começamos a contar uma história, e tem certas coisas que nós queremos dizer sobre os personagens, e a história simplesmente se desenvolve por si. Se há algo nos quadrinhos e que funciona no ponto onde estamos, nós usaremos isso. Se a história diverge, tomamos certas liberdades e somos suficientemente livres para isso, na verdade isso é algo que Robert Kirkman nos encoraja, mas nós nunca escolhemos seguir através dos quadrinhos. Nós apenas vamos para onde a história nos leva. É mais trabalhar de dentro para fora ao invés de tentar adivinhar como o público vai reagir. Não queremos fazer isso; queremos apenas contar a melhor história que pudermos.

Lilja: O quanto de pressão você sentiu quando apresentou Michonne e o Governador? Eles são ambos personagens extremamente amados pelos fãs dos quadrinhos. Você teve medo de que o público tivesse grandes expectativas em relação a eles e que você não seria capaz de satisfazer?

Glen Mazzara: Na verdade, não. Levamos muito tempo desenvolvendo estes personagens com os atores Danai e David, e tivemos alguns pensamentos próprios a respeito de quem eram estes personagens, mas também sempre tivemos os seus arcos em mente. Então, a única pressão que foi sentida foi que se fosse para desenvolver alguém ao longo do tempo, leia-se o Governador, queríamos estabelecer rapidamente que ele era um personagem capaz de ser mau, então era importante que ele atacasse a Guarda Nacional no primeiro episódio, massacrá-los, e então depois nós vemos os aquários. Dois episódios depois nós vemos sua filha Penny, então era importante que estabelecêssemos: sim, esta é a nossa versão do personagem. Não é um personagem completamente irreconhecível quando comparado aos quadrinhos. Nos sentimos na obrigação de dizer que estas são marcas que o personagem dos quadrinhos possui, mas esta é a maneira como contamos isso, como fazemos isso, é como isso se encaixa na nossa história. Então Michonne estabelece-se rapidamente como uma badass, uma guerreira muito forte e que agora, na próxima metade da temporada, começaremos a mostrar em todas as suas camadas. E nós já começamos a fazer isso na mid season finale, episódio 8. Nós veremos um pouco mais de sentimento, um pouco mais de vulnerabilidade, outras facetas dela, mas precisávamos estabelecer as características que o público estava esperando primeiramente, e depois usar isso como um trampolim.

Lilja: Nós também conversamos na última vez de que ninguém estaria a salvo na série de TV. Que qualquer um poderia morrer e você certamente provou isso durante a terceira temporada, matando tanto personagens regulares como alguns dos prisioneiros, que provavelmente poderiam ter vivido por mais tempo. Você vê como um problema ter um elenco tão grande e que muda tanto? Está um tanto quanto diferente do elenco original.

Glen Mazzara: Não, este é o nosso show, esta é a nossa história. Eu acho que estamos sendo honestos conosco. Eu não acho que apenas estamos matando nossos personagens. Nós os matamos por causa da história. E à medida em que estamos contando a história e sendo honestos com o personagem, acredito que isso seja importante. É uma temporada bastante ambiciosa, há personagens novos, há o contexto, mas é apenas como estamos contando-a. Eu olho para este show como uma novela de época, e há tantos, mas tantos personagens chegando e partindo, vivendo e morrendo, e eu acho que o público está reagindo totalmente a isso.

Lilja: Sim, pessoalmente eu adoro o fato de que você nunca poderá saber se alguém está a salvo na série.

Lilja: Eu gostaria de perguntar a você a respeito de T-Dog. Eu e muitos fãs pensávamos que ele foi quase anônimo na segunda temporada e que ele poderia ter algum grande objetivo durante a terceira temporada, e eu fiquei bastante surpresa de que ele simplesmente foi morto da maneira como foi. Este era o plano o tempo todo ou foi algo que aconteceu ao longo do tempo?

Glen Mazzara: Foi algo que decidimos nesta temporada. Todo o material que você vê nesta temporada foi desenvolvido nesta temporada. Então tínhamos este personagem, T-Dog, que, quando eu assumi, realmente não estava sendo desenvolvido. O show focou-se em outras dinâmicas, então aquele personagem teve pouca movimentação. Então, à medida em que trazíamos personagens novos, desenvolvendo novos personagens, nós paramos para dar uma olhada: é essa a história que queremos contar? E infelizmente, não queríamos continuar a ter um personagem ao fundo, que não estava sendo explorado, e temos estes novos personagens que queremos explorar. Então tivemos longas discussões sobre aquele personagem e sua fé, e foi dada a ideia de que ele deveria morrer heroicamente, e uma vez que fizemos isso, nos pareceu certo. Eu senti como se fosse uma história boa e sentimental para aquele personagem. Você sempre busca boas histórias para seus personagens. Infelizmente, acabou resultando em sua morte. Mas eu acho que era algo importante para ser contado, e eu acho que foi o final correto para aquele personagem.

Lilja: Eu li em várias entrevistas com o elenco que eles ficam apavorados cada vez que recebem um telefonema seu…

Glen Mazzara: Tenho certeza que sim (risos)

Lilja: …seria o telefonema da morte. Como isso funciona, você planeja isso tudo no começo da temporada ou vai acontecendo ao longo das filmagens?

Glen Mazzara: Nós planejamos a temporada inteira. Planejamos até o final e vamos retrocedendo e planejando a primeira metade em detalhes, e temos marcadores e um conceito para a segunda metade. Então, à medida que filmamos nós voltamos atrás e preenchemos a segunda metade. Mas estamos sempre abertos às surpresas; estamos sempre abertos às mudanças. O show que eu imagino é uma forma de arte viva, no sentido que você tem que ir para onde a energia está fluindo. Você tem que ir para onde a energia te leva. Não necessariamente traçar tudo e não ser capaz de usar uma grande ideia que subitamente alguém tem. Porque temos tantas pessoas talentosas trabalhando, semeando ideias e eu quero ter a liberdade de discordar do plano e tomar uma direção mais surpreendente. Então as mortes principais são normalmente planejadas prospectivamente e levamos isso muito a sério, e muitas vezes eu telefono para as pessoas antes da hora de contar a eles, e se eu não estou muito seguro se a morte deles é adequada eu vou esperar até que o roteiro esteja escrito para telefonar, pois houve algumas vezes em que eu telefonei para as pessoas avisando-as sobre suas mortes e isso acabou não acontecendo. E é sempre uma conversa desagradável. É um elenco fantástico e as pessoas adoram trabalhar no show, a maior parte do elenco está no auge de sua carreira, então é difícil, e eu sou o único que telefona para as pessoas; como você pode ver, eu tenho alguns telefonemas difíceis de fazer. Mas é minha função enquanto showrunner fazer isso.

Lilja: Sei que você planejou matar Hershel na segunda temporada e mudou de ideia. Houve outros personagens que estiveram perto de morrer e que você salvou?

Glen Mazzara: Sim, na primeira metade da temporada, falei para Melissa McBride que Carol morreria. Eu falei a ela e então surgiu um plano melhor: se T-Dog a salvasse, se T-Dog sacrificasse sua vida, seu sacrifício apenas valeria a pena se Carol sobrevivesse. Mas não queríamos revelar que Carol estava viva no final do episódio porque nós estávamos envolvidos com a devastadora morte de Lori. E nós estávamos justamente abraçando o aspecto de luto da última cena, onde Rick desaba, e não queríamos cortá-la com uma boa notícia, “oh, aqui está Carol”. Então levou algum tempo até que surgiu o “e que tal se ela tivesse se trancado em uma cela e não conseguisse sair, e estivesse desidratada e rouca de tanto gritar”, e então ela seria salva por Daryl dois episódios após. Mas eu falei à Melissa McBride que ela seria morta, e quando eu liguei de volta contando que ela não morreria mais, ela ficou muito, muito feliz.

Lilja: Eu posso imaginar…

Glen Mazzara: Eu quero dizer que eu acho que ela fez um grande trabalho com a Carol nesta temporada, o personagem virou um favorito dos fãs, o personagem realmente acompanhou, correu vários riscos e o trabalho de Carol quando ela vê o bebê e então se dá por conta de que Lori não sobreviveu é uma da melhores cenas que fizemos ao longo do ano, e eu dou os créditos à Melissa, ela é uma atriz simplesmente fantástica.

Lilja: O quanto você escuta os fãs? Quando você planeja matar um dos favoritos dos fãs e você vê online que os fãs realmente gostam dele ou dela, você leva isso em consideração?

Glen Mazzara: Não, nós não escutamos isso. Não podemos dar ouvidos a isso. Todos estes personagens agora são favoritos dos fãs. Lori não era uma favorita dos fãs e as pessoas choraram quando ela morreu. Então nós contamos a nossa história, corremos o risco e eu ouço o que os fãs dizem, mas sigo fiel ao que penso ser melhor para o show. Este é o meu trabalho. Meu trabalho também é contar a melhor história possível e isso significa correr riscos, mas eu certamente quero que os fãs fiquem felizes. Eu me importo com o que os fãs dizem, mas não posso permitir que pessoas anônimas na Internet escrevam o show, isso não daria certo.

Lilja: Sim, e eu acho que uma das razões pelas quais o show faz tanto sucesso é que você está na verdade matando os personagens que os fãs gostam, e eles então reagem a isso.

Glen Mazzara: Concordo.

Lilja: Você já terminou de filmar a terceira temporada?

Glen Mazzara: Sim, terminamos de filmar há duas semanas e terminamos de editar os episódios 14 e 15 e, na próxima semana, eu começo a editar o episódio 16, o season finale. E estou feliz em dizer que a segunda parte da temporada é tão excitante e possui tantos riscos como a primeira parte, e eu espero que os fãs continuem a gostar do show.

Lilja: Você sabe por que há uma pausa no meio da temporada?

Glen Mazzara: Eu acho que é por causa da programação da emissora. E então há a temporada e os playoffs do football. É tão somente uma razão da AMC e de sua programação, então você tem que perguntar à AMC.

Lilja: Você tem alguma ideia sobre a quarta temporada? Não posso imaginar que não haja uma quarta temporada, apesar de ainda não ter sido anunciada.

Glen Mazzara: Bem, eu suponho que haverá uma quarta temporada, mas, como você diz, nada ainda foi anunciado.

Lilja: Quando você pensa no futuro, quantas temporadas você vê para o show? Ele vai prosseguindo indefinidamente ou há um limite?

Glen Mazzara: Eu não sei. Temos estado muito focados em fazer a terceira temporada, mas eu posso ver o show seguindo por muito tempo, 7 ou 8 temporadas, mas a última coisa que você quer fazer é permanecer além do tempo conveniente… Mas a história dita muito do que nós fazemos em The Wlaking Dead, se em algum momento for sentido que estamos nos repetindo, que não estamos aproveitando as chances ou contarmos uma história que não valha a pena, eu acho que será hora de encerrar, mas neste momento eu sinto como se recém estivéssemos começando, que estamos em pé e correndo, e que temos um show que possui um acelerador, enredo, muitos personagens e que parece realmente um mundo apocalíptico. E há uma grande quantidade de material nos quadrinhos de Robert Kirkman para ser aproveitado, então eu acredito que temos várias temporadas à nossa frente.

Lilja: Você lê as novas edições dos quadrinhos ou você sente que isso o influenciaria e onde você está com a história nesse momento?

Glen Mazzara: Eu leio os quadrinhos todos os meses. Robert é um grande contador de histórias e eu fiquei muito impressionado com a edição 100, e feliz por termos novas edições entregues no escritório todos os meses, e eu os leio em dez minutos.

Lilja: Você se sente tentado a trazer algum personagem atual dos quadrinhos para a série? É muito difícil você se manter onde está na série de TV?

Glen Mazzara: Há um novo personagem nos quadrinhos chamado Negan, e ele é simplesmente excelente e assustador, e eu não sei o que Robert irá fazer com ele, então estou de olho. Mas nós temos o governador, então tudo está muito interessante, mas eu jamais traria um outro personagem para dividir os holofotes com o Governador nesse momento. O Governador, nesse momento. Eu acho que o Governador recém está começando…

Lilja: Você é muito ativo no Twitter. Você nunca ficou preocupado em largar spoiler? O show vai ao ar no mundo todo e sempre há alguém que ainda não viu o episódio mais recente.

Glen Mazzara: Não, não, eu não irei responder nenhuma pergunta que esteja relacionada ao episódio antes que ele tenha ido ao ar na Fox do Reino Unido. Quando eu comecei a usar o Twitter eu não entendia como funcionava, mas agora eu sou muito cuidadoso para não soltar spoilers. Eu falo a todos no Twitter para não me seguir se não tiverem visto o episódio, no caso de sair algum spoiler. Então sou muito cuidadoso. Aprendi da maneira mais difícil, mas agora eu sou muito cuidadoso por que não quero estragar o show.

Lilja: Você fecha o set para filmar os episódios?

Glen Mazzara: Sim, nós temos todo um processo de segurança e somos muito cuidadosos para ter certeza que as pessoas nele ou ao redor do set não estraguem as coisas para nós.

Lilja: Isso parece muito bom. Agradeço por tirar um tempo para falar comigo. Eu gostei muito.


Fonte: TWD News
Tradução: @BinaPic / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo
Publicidade
Comentários

3ª Temporada

The Walking Dead volta a ser exibida pela Band

Vinícius Castro

Publicado há

em

Após um longo tempo fora da programação da TV aberta brasileira, The Walking Dead finalmente voltou à programação da Band. Desde segunda-feira, dia 06 de junho de 2016, o drama zumbi voltou a ser reexibido para o público que não tem a chance de acompanhar por serviços de streaming ou TV a cabo.

De acordo com afirmações da emissora, a exibição trará inicialmente apenas reprises da terceira temporada (definitivamente a mais controversa da série, que sofreu sob o comando do showrunner Glen Mazzara), e o horário é bastante curioso: serão exibições semanais (exceto fins de semana), sem um horário definido – basicamente na faixa entre meia-noite e 2h da manhã.

Exibida originalmente entre 2013 e 2014, a terceira temporada retorna com Rick (Andrew Lincoln) e seu grupo encontrando a prisão. Também introduz o Governador (David Morrissey) e sua cidade, Woodbury. A temporada destacou a introdução de Philip Blake e Michonne (Danai Gurira), e também o retorno de Merle (Michael Rooker), o irmão de Daryl (Norman Reedus).

carls3

Ainda não há informações se a emissora exibirá a quarta e quinta temporadas em sequência, então fiquem ligados para qualquer nova atualização aqui no site.

E então, o que achou desta iniciativa da Band? Irá acompanhar a reprise do terceiro ano? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.

The Walking Dead, a história de drama mais assistida da TV a cabo, irá retornar com a sétima temporada em Outubro de 2016 na AMC e na FOX Brasil. O trailer da temporada, bem como a data oficial de lançamento, será divulgada durante a Comic Con de San Diego em Julho.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.

Continue lendo

3ª Temporada

Prédios da 3ª temporada de The Walking Dead estão a venda

Rafael Façanha

Publicado há

em

Não foi exatamente a volta ao lar que Rick e Carl esperavam. Ao retornar a King County, Georgia, juntamente com Michonne, pai e filho lembraram-se de como a vida era antes do apocalipse, e por mais agridoces que fossem aquelas memórias, nada se comparou ao reencontro de alguém do passado, vivo e respirando: um enlutado e enlouquecido Morgan.

O decimo segundo episodio da terceira temporada, “Clear”, é considerado um dos mais pungentes e poderosos episódios em The Walking Dead, mostrando uma performance comovente de Lennie James e uma atmosfera de cidade fantasma. A rua principal cercada por armadilhas se transformou em um set inesquecível, e agora você pode viver neste local onde tantos walkers foram mortos, uma vez que nove prédios do centro de Grantville, Georgia, e que serviram de locação para “Clear”, estão à venda no eBay.

Com um lance inicial de $680.000 – ou mais de 2 milhões de reais, na conversão feita pelo site de leilões – os prédios rústicos de Grantville estão sendo leiloados no eBay e serão vendido a quem fizer a maior oferta até o prazo final do leilão, em 26 de março. A CNN relata que, de acordo com o prefeito de Grantville quatro filmes serão rodados na cidade em um futuro próximo. O espaço ainda foi utilizado na gravação de outras produções, como “Os Infratores” e “Debi e Lóide 2″. Para saber mais informações, visite a conta do ebay ou a página oficial dos tours, que são oferecidos pela região.

FOTOS DE GRANTVILLE:

grantville-the-walking-dead-001

grantville-the-walking-dead-002

grantville-the-walking-dead-003

grantville-the-walking-dead-004

FOTOS DO EPISÓDIO “CLEAR”:

Você também pode comparar a aparência real de Grantville com a sua aparência durante as filmagens de “Clear” nas fotos abaixo:

the-walking-dead-clear-001

the-walking-dead-clear-002

the-walking-dead-clear-003

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Daily Dead
Tradução: @Binapic / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo

3ª Temporada

Os 3 momentos mais frustrantes de The Walking Dead em 2013

Rafael Façanha

Publicado há

em

The Walking Dead é o maior e melhor seriado de TV na atualidade, mas, às vezes, ele nos enlouquece. Agora que 2013 se perdeu nas brumas, é um bom momento para relembrarmos os altos e baixos do ano. Já compartilhamos cinco dos melhores momentos de 2013 – que incluiu a segunda metade da terceira temporada e a primeira metade da quarta temporada. Temos apenas três “piores momentos”, já que The Walking Dead definitivamente tem mais altos do que baixos. E mesmo os “piores” momentos não passam de amor bruto – não abandonaremos o show nunca. Então aqui enumeramos três candidatos ao mais frustrante momento de 2013. Confira a lista e deixe sua opinião nos comentários abaixo.

1. Andrea morre, o Governador sobrevive

Andrea-Governador-The-Walking-Dead

Toda a história de Andrea para a terceira temporada é questionável. Por que eles a transformaram na garota ingênua que se apaixona pelo cara errado e fica com o estranho bonitão, e não com sua amiga? O fato de Andrea ser a última a saber de tudo apenas a tornou uma idiota aos olhos do público. É uma vergonha, já que ela é uma excelente personagem nos quadrinhos e sobrevive por muito mais tempo (Na verdade, ela ainda está viva na HQ neste momento).

A pior parte foi vê-la naquela cadeira, durante o season finale da terceira temporada, apenas olhando para Milton e conversando com ele, enquanto o mesmo se preparava para morrer. Ela simplesmente disse “Eu tentei”, e teve sua partida melancólica.

Laurie Holden mais tarde disse que, se ela fosse um dos roteiristas, as coisas teriam sido muito diferentes. O Governador teria morrido – preferivelmente antes de massacrar seu próprio povo – e Andrea seria mais como a equivalente da HQ. Pena… sem dúvidas teríamos uma grande personagem se ela tivesse sido desenvolvida adequadamente.

2. Os novos amigos do Governador concordam com a guerra

governador-grupo-the-walking-dead-4-temporada

Veja, o Governador é sedutor, carismático, manipulador. Entendemos. Andrea certamente concorda! Mas vamos lá! Ele faz um discursinho aos seus novos amigos no velho acampamento de Martinez e, de repente, eles estão todos concordando que é válido atacar a prisão e tomar para eles? Mesmo que isso signifique matar a todos? Eles sequer estavam em perigo imediato.

Lilly disse que eles poderiam simplesmente ficar lá, uma vez que o acampamento era o novo “lar”, o que parecia ser uma opção justa. Poderia ser diferente se eles tivessem sob constante ataque, ou passando fome, mas eles estavam jogando golfe, se reunindo para beber cerveja e passando o tempo. Não havia nenhum ímpeto para a guerra. Por que essas pessoas desejariam arriscar suas vidas pela palavra de um cara que eles sequer conhecem, para tomar um lugar que eles sequer precisavam?

3. A morte aleatória de Meghan

lilly-meghan-the-walking-dead-4-temporada

Realmente, foi muito legal ver um walker literalmente sair de sua tumba daquela maneira. Legal. Mas que final aleatório para Meghan. Primeiro, sua mãe Lilly simplesmente está contemplando o rio, enquanto um walker leeeeeeeeeeeeeeeentamente anda pelas águas, então Meghan acidentalmente ajuda a desenterrar um walker, e acaba mordida. Boom. Simples assim, sua história terminou. De volta à guerra na prisão!

Durante o midseason finale Lilly aparece carregando o corpo morto de Meghan. O Governador atira em sua cabeça, matando-a novamente, e retorna à briga. Sim, entendemos que Meghan morreria em algum momento, mas pareceu uma saída apressada e sem qualquer outro significado, além de mostrar como o Governador está perdendo tudo o que conseguiu. Esta doce menina que aprendemos a conhecer em dois episódios simplesmente morreu em segundos! Não deveria haver mais impacto? Pelo menos a morte de Hershel teve um contexto e um significado.

Você discorda? Estamos sendo excessivamente críticos? Você sugere outros momentos de frustração ou pensam que todos os momentos foram perfeitos até esse ponto? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.

The Walking Dead, a história de drama mais assistida da TV a cabo, irá retornar com os oito últimos episódios da quarta temporada no dia 09 de Fevereiro de 2014 na AMC e 11 de Fevereiro de 2014 na FOX Brasil.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Wetpaint
Tradução: @BinaPic / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo

EM ALTA