Siga-nos nas redes sociais

3ª Temporada

Danai Gurira se inspira em mulheres guerreiras do mundo real para interpretar Michonne

Publicado há

em

Danai Gurira nunca tinha visto nem um único episódio de The Walking Dead antes de ter sido convidada para a audição para o papel da guerreira manejadora de espada, Michonne.

“Eu sou medrosa, honestamente, eu não assisto coisas assustadoras,” ela admitiu com uma risada.

“Mas eu presto atenção aos negócios e ao que os críticos estão dizendo sobre as novidades, e eu estava consciente de que era considerado um trabalho maravilhoso – e que era uma revelação em termos de como contar uma história com zumbis”.

Favorita dos fãs na HQ em que a série se baseia, Michonne foi introduzida nas telas no final da segunda temporada com uma atriz não identificada, dando um vislumbre sombrio ao personagem.

Danai viu a série pela primeira vez antes de sua primeira audição, recordando: “É um trabalho bem cinematográfico. Eu realmente queria fazer parte disso.” Seu desejo foi concedido depois que ela foi convidada a entrar e conhecer os produtores.

Então, como ela trouxe o personagem para a vida? Ela explica: “Eu sou do Zimbábue e eu fiz muita pesquisa sobre a Libéria, sobre a guerra, que é muito recente, e isso é o que estava em minha mente”.

“Há mulheres lá sob trauma extremo que se tornam membros formidáveis do exército rebelde. Isso ressoou como a Michonne, e eu a conectei com as mulheres que ganham a sua própria ferocidade, como resultado desses momentos de faça-ou-morra”.

E os quadrinhos também se mostraram uma inspiração para o jeito como ela queria interpretar o papel: “A forma como Charlie Adlard desenha Michonne, seus olhos e sua expressão em si, foi muito reveladora para mim sobre quem ela é e sobre sua dor, tristeza e raiva”.

A atriz fez questão de manter os dreads no cabelo e a capa da obra de arte em quadrinhos, e também aprendeu a usar uma katana, em vez de contar com dublês.

Mas é o mundo real que ela mostra na maior parte do papel: “Eu tenho pesquisado diferentes aspectos de violações dos direitos humanos, pessoas em profunda aflição, e a guerra de libertação que aconteceu no meu país”.

“Nós nunca aproveitamos essas histórias de mulheres em zonas de guerra. São histórias fortes e surpreendentes, e que são reais. Eu gostaria de ver mais histórias como essa – é hora de vermos mais personagens como Michonne”.


Fonte: Coventry Telegraph
Tradução: @PotatoThoughts / Staff Walking Dead Brasil

 

Publicidade
Comentários

EM ALTA