Siga-nos nas redes sociais

Walking Dead Brasil

Coluna Z #3 – Séries-zumbi: The Walking Dead não foi a primeira e felizmente não será a última

Rafael Façanha

Publicado há

em

Coluna Z é um quadro semanal lançado toda terça-feira que aborda a temática zumbi em geral. Seja curiosidades, filmes, livros ou jogos que envolve o universo zumbi, estaremos sempre trazendo uma análise detalhada sobre o assunto para vocês. A coluna é escrita pela nossa tradutora Nathalia Price, uma aficionada pelo universo zumbi e seus inúmeros desdobramentos.

Tema da semana: Coluna Z #3 – Séries-zumbi: The Walking Dead não foi a primeira e felizmente não será a última

Não é nada difícil de entender o enorme sucesso de The Walking Dead, mas ao mesmo tempo também não é difícil imaginar alguns motivos para que a série fosse rejeitada pela AMC logo de cara.

Como muitos dos fãs devem lembrar, na primeira temporada de The Walking Dead ainda víamos muitas críticas negativas, e muita gente não colocava fé que a série iria emplacar como emplacou. Mas imaginem se o episódio piloto sequer tivesse ido ao ar? Imaginem se a AMC (possivelmente representada pelas pessoas erradas), não tivesse nem mesmo esperado a opinião do público para decidir não filmar a série?
twd

Parece impossível? Mas foi exatamente isso que aconteceu com a série Babylon Fields, rejeitada pela CBS em 2007. Mostrando os zumbis sob uma perspectiva bem diferente da comum, Babylon Fields prometia uma inovação no gênero, pretendendo ser uma série dramática com esse pano de fundo bem interessante: as pessoas retornam à vida, mas não para se alimentar de carne humana; elas simplesmente voltam (ou tentam voltar) às suas vidas normais. E o mais legal é que a história não perde em nada no quesito horror, pois mesmo não atacando e rosnando e rastejando, o zumbi continua sendo extremamente assustador em essência! Sem dúvida alguma é uma abordagem inusitada que, cá entre nós, teve o azar de cair nas mãos de gente sem peito para colocar no ar e ver no que dá. Felizmente TWD não teve esse problema.

babylon_fields

Falando em séries que não emplacaram – e talvez essa seja uma colocação errônea – quem aí já ouviu falar de Dead Set? Como eu disse, talvez seja um equívoco chamá-la de “série que não emplacou”, já que a mesma teve início, meio e fim (em apenas cinco episódios, mas teve). Claro que o fato de muita gente nunca sequer ter ouvido falar dela já depõe contra, mas convenhamos que nem tudo que é bom passa pelo crivo da crítica e do grande público. Dead Set, de 2008, conta a história de um apocalipse zumbi que acontece bem no meio de uma temporada do Big Brother – sim, e mostra até a casa dos participantes, que se não é a própria, é bem parecida. Em cinco episódios os participantes do BBB – oops, não tem esse último B, porque se passa na Inglaterra – terão que passar por cima das desavenças pessoais para sobreviver a esse novo mundo apocalíptico. Pra quem gosta de Big Brother e de zumbis, não precisa mais sofrer pra escolher entre Band e Globo.

dead_set

Dizem por aí que o sucesso de The Walking Dead incentivou a filmagem de mais mil e um projetos sobre zumbis. Verdade ou não, fato é que 2013 promete ser um ano glorioso para os amantes do gênero. São pelo menos quatro filmes que merecem destaque: “Meu Namorado é um Zumbi”, primeiro tema da Coluna Z, um com o Brad Pitt, um com o mago dos efeitos especiais Tom Savini, e outro com o super-na-moda (porém realmente) badass Danny Trejo (e é claro que os filmes ganharão um post especial só para eles).

machete

Mas voltando às séries, parece que finalmente tomaram coragem para investir nos nossos queridos zumbis. Duas séries ainda não estrearam mas já estão dando o que falar. Uma delas é Zombieland, que promete contar a história do carismático quarteto formado por Columbus, Tallahassee, Wichita e Little Rock. A série foi encomendada pela Fox em parceria com a Sony, e está sendo filmada nos estúdios da Amazon. O piloto ainda não foi aprovado, mas pela reação mais que positiva dos fãs do filme de 2009, acho que já podemos esperar mais uma série de zumbis na Fox muito em breve. Algumas fotos da filmagem do episódio piloto vazaram essa semana; a foto a seguir é uma delas:

zombieland

Os ingleses não ficaram para trás. O canal BBC 3 já preparou três episódios de 60 minutos cada, da série In The Flesh. O roteirista Dominic Mitchell foi descoberto numa competição de escritores da própria BBC, e esse será o seu primeiro trabalho pago na televisão.

In The Flesh conta a história de um adolescente zumbi reabilitado. Como não poderia deixar de ser, após a epidemia zumbi, o famoso NHS (pra quem não sabe/ viu/ lembra, o NHS é o sistema de saúde da Inglaterra, tão típico que apareceu na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos!) com sua já esperada eficiência se responsabiliza por “curar” os zumbis. Assistindo às animações do site da BBC (uma delas com o tema “Keep Calm and Avoid the Undead”), temos a impressão de que a série é voltada mais para o humor do que para o horror – bem como “Meu Namorado é um Zumbi”. Mas assistindo ao trailer, essa sensação vai embora. Parece que a série segue o ritmo de TWD e do que seria o Babylon Fields, no sentido de trabalhar muito mais com o drama por trás do apocalipse.

in_the_flesh2

A história é centrada no personagem Kieren Walker – pára tudo, WALKER? Pois é, que nome mais a calhar. Claro que não vamos acusar ninguém de plágio, já que a palavra “walker” é usada para se referir ao zumbi há muitas décadas. Mas que ficou estranho, ficou.

Enfim, Kieren Walker morreu há quatro anos, e logo depois disso os mortos começaram a voltar à vida. Pelo que os vídeos sugerem, os zumbis dessa série são/eram tão perigosos quanto os de TWD, o que nos dá uma esperança de que teremos algumas cenas de ação com os zumbis que ainda não foram reabilitados – mas esse definitivamente não é o foco da série.

Após serem capturados, aparentemente pelas forças armadas ou algum grupo especial desenvolvido para este fim, os zumbis são enviados à NHS, que finalmente desenvolveu uma espécie de cura (apesar de não ter conseguido descobrir as causas). Kieren, então, passa por meses de reabilitação para poder voltar a viver em sociedade, e é finalmente liberado para morar com seus pais novamente. A série, então, está focada neste processo de aceitação, quase que como se fosse um ex-usuário de drogas voltando a viver com sua família. Sendo que neste caso, Kieren convive com a culpa pelo que fez enquanto era zumbi. Há também uma questão filosófica sobre o que é estar vivo e o que é estar morto, que a série pretende abordar.

in_the_flesh3

Claro que opinião é igual a nariz, cada um tem o seu e nem é tão legal ficar colocando o dedo no dos outros. Na minha opinião, essa série tem potencial, mas só posso saber se vou gostar ou não quando ela estrear.

E na sua opinião, In The Flesh consegue passar de uma temporada ou vai ser apenas mais um projeto-zumbi apodrecendo antes mesmo de seu final? Confira o trailer abaixo e deixe suas impressões e opiniões nos comentários!

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Walking Dead Brasil

The Walking Dead revela quem está por trás do vandalismo “Silencie os Sussurradores”

A campanha contra os Sussurradores que acontece em Alexandria também aconteceu nos quadrinhos de The Walking Dead.

Avatar

Publicado há

em

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do quarto episódio, S10E04 – “Silence the Whisperers”, da décima temporada de The Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

Alguém em The Walking Dead pretende “Silenciar os Sussurradores”. No episódio desta semana de The Walking Dead, Daryl (Norman Reedus) e Lydia (Cassady McClincy) descobrem que sua casa foi vandalizada por grafites pedindo que Alexandria “Silencie os Sussurradores”. A ex-sussurradora, Lydia, emancipou-se da mãe abusiva, Alpha (Samantha Morton), mas está lutando para se afirmar dentro das paredes de Alexandria. Lydia é intimidada por Alfred (David Shae), Margo (Jerri Tubbs) – que exige justiça para os ladrões de estrada Ozzy (Angus Sampson) e Alek (Jason Kirkpatrick) – e Gage (Jackson Pace), em busca de sangue para vingar os amigos Rodney (Joe Ando Hirsh), Addy (Kelley Mack) e Henry (Matt Lintz).

Em certo momento, Lydia intencionalmente incomoda os três agressores cortando um esquilo. “Foi por isso que Ozzy e Alek morreram? Para que ela pudesse nos fazer de bobo?”, diz Alfred. Margo responde: “Não aqui.” Lydia provoca novamente, segurando o dedo ensanguentado nos lábios: Shh.

Mais tarde, Daryl diz a ela que “não pode fazer coisas assim” se ela espera morar em Alexandria. Ela responde: “Mas eles podem escrever o que quiserem em nossa porta?”

LEIA TAMBÉM:
Quem morreu no 4º Episódio da 10ª Temporada de The Walking Dead?
Alpha acredita no fim das comunidades no trailer do próximo episódio de The Walking Dead

“Um dos grandes momentos da história em quadrinhos que nos entusiasma muito e que há essa ideia de propaganda e paranoia, é essa de ‘silenciar os sussurradores’, que Robert Kirkman usou muito bem”, disse a showrunner Angela Kang anteriormente a EW. “Então, definitivamente, há um sentimento de que nosso grupo está entrando nesse conflito que continua crescendo contra os Sussurradores, muito diferente de como ocorreu a guerra contra os Salvadores, onde não havia apenas elementos de paranoia, mas meio que uma sensação de Guerra Fria.”

O vandalismo dos agressores e seu violento ataque a Lydia ocorrem quando os Sussurradores invadem ainda mais as comunidades: Alpha reivindicou ainda mais território das comunidades e Michonne (Danai Gurira) suspeita que os Sussurradores estejam por trás de ataques coordenados em Alexandria, Hilltop e Oceanside.

“Descobrimos que há pessoas que estão tendo uma resposta mais comedida. Você vê pessoas que são muito mais rigorosas, vê pessoas que estão confusas sobre o que fazer”, disse Kang. “E acho que isso faz parte do interessante cenário humano que está rolando quando tudo começa a acontecer, a paranoia começa a dominar essas comunidades, e há movimentos de guerra sendo feitos de ambos os lados”.

Nos quadrinhos, foi o líder de Alexandria, Rick Grimes, que se uniu a Alexandria dizendo a seus sobreviventes que eles precisavam “silenciar os sussurros”. Na edição 152 de The Walking Dead, Rick lançou uma campanha de propaganda completa, admitindo que Michonne precisava direcionar a raiva dos alexandrinos para longe deles e em direção ao inimigo.

Essa campanha foi lançada quando alguém tentava “silenciar os sussurros” à sua maneira. Resultado: Negan que escapou.

Na série, apesar de não ter sido revelado, presumimos que os responsáveis pelo vandalismo sejam Alfred, Margo e Gage. Vamos ter que aguardar os próximos episódios para descobrir se teremos ou não a revelação oficial do(s) envolvido(s) nessa campanha.

O que você achou do episódio desta semana de The Walking Dead? Acredita que Lydia está certa e que os culpados pela frase/campanha são Alfred, Margo e Gage? Deixe sua opinião nos comentários abaixo!

Continue lendo

Walking Dead Brasil

Produtora de The Walking Dead revela o voto de Gabriel sobre o destino de Negan

Angela Kang, a showrunner de The Walking Dead, comentou sobre a decisão que Gabriel estava pensando em tomar no episódio desta semana.

Marcela Aquino

Publicado há

em

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do quarto episódio, S10E04 – “Silence the Whisperers”, da décima temporada de The Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

Negan (Jeffrey Dean Morgan) é um homem procurado. No episódio desta semana de The Walking Dead, “Silence the Whisperers”, Margo (Jerri Tubbs) foi morta quando Negan salvou Lydia (Cassady McClincy) de uma surra violenta cometida por Margo e pelos cúmplices Alfred (David Shae) e Gage (Jackson Pace). O conselho de Alexandria se reuniu para determinar o destino de Negan, com Aaron (Ross Marquand) argumentando que Negan não merece viver em sua civilização, apesar de uma sentença de oito anos de prisão. Negan foi defendido por Siddiq (Avi Nash) e relutantemente por Daryl (Norman Reedus), deixando o padre Gabriel (Seth Gilliam) como o desempate. Depois de tomar a noite para considerar sua resposta, Gabriel visitou a cela de Negan, apenas para encontrá-la vazia. Com uma vida em jogo, Gabriel teria votado a favor ou contra Negan?

“Eu acho que Gabriel teria votado para não matá-lo”, disse a showrunner Angela Kang à EW. Apesar da formação de uma multidão sedenta de sangue exigindo que Negan seja levado à justiça, Kang diz que Gabriel teria sido influenciado por suas sessões de terapia com Negan. O padre atua como guardião de Negan há anos, desempenhando um papel fundamental em sua reforma.

LEIA TAMBÉM:
The Walking Dead S10E04: Para onde Negan foi?
Quem morreu no 4º Episódio da 10ª Temporada de The Walking Dead?

“Acho que porque ele conheceu Negan ao longo do tempo e que, no final das contas, ele acreditava no fato de Lydia estar dizendo: ‘Ele me salvou e foi um acidente’, e o fato de Daryl acreditar nela, e o fato de que ele sabe que Negan está tentando”, explicou Kang. “Acho que ele teria pensado sobre isso e orado por ele, e acordado na manhã seguinte, e as pessoas com suas forquilhas foram para a cama ou sei lá, e acho que ele teria pensado: ‘Sabe do que mais? Isso tudo é demais. As pessoas são muito paranoicas.’ É o que acho que ele pensaria no momento.”

Questionada se Gabriel visitou a cela de Negan para ajudar a solidificar sua decisão, Kang disse: “Acho que sim. E então ele vê que Negan se foi, e então eu acho que ele pensa: ‘Ah, foda-se. Tipo, eu estava errado em pensar que iria cair nessa e ter essa conversa com ele?’ Ele está duvidando quando descobre que ele se foi.”

O cúmplice de Negan foi revelado no vídeo promocional do próximo episódio, “What It Always Is”, e para responder sobre aonde Negan está indo… “Vamos descobrir muito em breve onde ele foi”, brincou Kang.

Você acha que Negan merece viver depois de tudo que ele fez? Você conseguiu perdoá-lo? Deixe todos os seus pensamentos nos comentários abaixo!

Continue lendo

Walking Dead Brasil

The Walking Dead lidera as indicações ao Saturn Awards 2018

Vinícius Castro

Publicado há

em

Seguindo o padrão dos anos anteriores, The Walking Dead está liderando a lista de indicados ao Saturn Awards, a maior premiação para cinema e TV de gênero do mundo. Revelados no mês passado, os indicados, que serão escolhidos a dedo pela Academia de Ficção Científica, Fantasia e Horror, receberão o resultado final em junho de 2018.

O drama zumbi está liderando os competidores da televisão, com 7 indicações ao total, fazendo jus ao material apresentado durante a oitava temporada. Entre as novidades em relação aos últimos anos, o único novato é Khary Payton, o Rei Ezekiel. Confira abaixo:

MELHOR ATOR EM SÉRIE DE TV

  • JON BERNTHAL (THE PUNISHER)
  • BRUCE CAMPBELL (ASH VS EVIL DEAD)
  • SAM HEUGHAN (OUTLANDER)
  • JASON ISAACS (STAR TREK: DISCOVERY)
  • ANDREW LINCOLN (THE WALKING DEAD)
  • SETH MACFARLANE (THE ORVILLE)
  • KYLE MACLACHLAN (TWIN PEAKS: THE RETURN)
  • RICKY WHITTLE (AMERICAN GODS)

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE DE TV

  • NIKOLAJ COSTER-WALDAU (GAME OF THRONES)
  • MIGUEL FERRER (TWIN PEAKS: THE RETURN)
  • KIT HARINGTON (GAME OF THRONES)
  • DOUG JONES (STAR TREK: DISCOVERY)
  • CHRISTIAN KANE (THE LIBRARIANS)
  • MICHAEL MCKEAN (BETTER CALL SAUL)
  • KHARY PAYTON (THE WALKING DEAD) 
  • EVAN PETERS (AMERICAN HORROR STORY: CULT)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE DE TV

  • ODETTE ANNABLE (SUPERGIRL)
  • DAKOTA FANNING (THE ALIENIST)
  • DANAI GURIRA (THE WALKING DEAD)
  • MELISSA MCBRIDE (THE WALKING DEAD)
  • CANDICE PATTON (THE FLASH)
  • ADINA PORTER (AMERICAN HORROR STORY: CULT)
  • KRYSTEN RITTER (MARVEL’S THE DEFENDERS)
  • RHEA SEEHORN (BETTER CALL SAUL)

MELHOR PERFORMANCE DE UM ATOR JUVENIL EM SÉRIE DE TV

  • KJ APA (RIVERDALE)
  • MILLIE BOBBY BROWN (STRANGER THINGS)
  • MAX CHARLES (THE STRAIN)
  • ALYCIA DEBNAM-CAREY (FEAR THE WALKING DEAD)
  • DAVID MAZOUZ (GOTHAM)
  • LILI REINHART (RIVERDALE)
  • CHANDLER RIGGS (THE WALKING DEAD)
  • COLE SPROUSE (RIVERDALE)

MELHOR ATOR CONVIDADO EM SÉRIE DE TV

  • BRYAN CRANSTON (PHILIP K. DICK’S ELECTRIC DREAMS)
  • MICHAEL GREYEYES (FEAR THE WALKING DEAD)
  • DAVID LYNCH (TWIN PEAKS: THE RETURN)
  • JEFFREY DEAN MORGAN (THE WALKING DEAD)
  • RACHEL NICHOLS (THE LIBRARIANS)
  • JESSE PLEMONS (BLACK MIRROR)
  • HARTLEY SAWYER (THE FLASH)
  • MICHELLE YEOH (STAR TREK: DISCOVERY)

MELHOR SÉRIE DE HORROR 

  • AMERICAN HORROR STORY: CULT
  • ASH VS EVIL DEAD
  • FEAR THE WALKING DEAD
  • PREACHER
  • THE STRAIN
  • TEEN WOLF
  • THE WALKING DEAD

Vale lembrar, The Walking Dead vem sendo o maior campeão da premiação desde 2013. Entre os já campeões dos últimos anos estão Andrew Lincoln, Melissa McBride, Chandler Riggs, Danai Gurira e a própria série.

A boa recepção da série na premiação pode trazer uma nova luz a série, que andou sofrendo alguns boicotes da crítica especializada na última temporada e meia.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.

Continue lendo

EM ALTA