Siga-nos nas redes sociais

3ª Temporada

Andrew Lincoln fala sobre o final da terceira temporada: “tudo se acaba”

Rafael Façanha

Publicado há

em

O homem que interpreta Rick Grimes também chama “This Sorrowful Life” um “emocional, heroico e brilhante” episódio.

O novo episódio deste domingo de The Walking Dead promete ser violento, fundamental e chocante.O homem central de “Walking Dead” confirma: “é de partir o coração”. Nós deixaremos os telespectadores decidir o que isso pode significar para os destinos de alguns dos nossos favoritos sobreviventes do apocalipse zumbi.

Mas quando Andrew Lincoln, o ator que interpreta o líder Rick Grimes, lhe diz que é um episódio devastador – isso vem em sequencia de episódios onde já perdeu seu melhor amigo e esposa (ambos mortos por seu filho, aliás) – você tende a pensar que algumas grandes perdas podem estar a caminho.

Lincoln, que está indicado como o melhor ator na televisão no June’s Saturn Awards, falou com o Yahoo! TV de sua casa na Inglaterra essa semana, e ele adiantou que os dois últimos episódios da terceira temporada não vão decepcionar os telespectadores. Apesar de que, mais uma vez, podem partir nossos corações.

Yahoo! TV: Você disse recentemente à Rolling Stone que 27 pessoas morrem no fim da terceira temporada. As pessoas estão realmente levando esse número a sério?

Andrew Lincoln: (Rindo) Isso saiu na impressão?

Yahoo: Saiu. E algumas pessoas estão considerando isso um número exato.

Andrew: Então eu tenho que ser cuidadoso com as coisas que eu digo. É seguro dizer que nós terminamos no estilo em que estão acostumados (os telespectadores). Não penso que as pessoas vão se decepcionar. Nós estamos indo para o episódio 15 nesta semana?

Yahoo: Sim, 15, “ThisSorrowful Life”, o penúltimo episódio desta temporada, vai ao ar dia 24 de março (nos EUA).

Andrew: É um episódio extraordinário porque as duas principais histórias, eu acho, são magníficas, e as atuações… É, realmente é um ótimo episódio em vários aspectos. É bastante emocional, heroico e brilhante episódio. Em grande parte porque um casal de atores está fazendo um trabalho incrível. Então, a season finale… Tudo se acaba. É grandioso, é isso que vou dizer. Tudo condiz com o que aconteceu nesta temporada, eu diria.

Yahoo: Da última vez que realmente vimos Rick, ele conheceu o Governador e soube que ele é louco. Ele soube de algumas coisas loucas que ele fez, que ele gosta de brincar com as pessoas. Mas ele se sente como se ainda não pudesse entender quão mau o Governador é. Que ele não entende que é alguém que tem um grande prazer em programar meticulosamente uma câmara de tortura…

Andrew: Eu não acho que ele está ciente da extensão das atrocidades que esse cara está planejando. Não acho que ele pode. Não penso que ele tenha conhecido alguém como ele ainda. Absolutamente não acho que ele está plenamente consciente. Ele sabe que é um homem muito perigoso. Ele sabe que, a partir de que se reuniram… que ele está pegando remanescentes. Mas a única coisa sobre Rick é que, até que ele conheça um homem, ele é uma dessas pessoas que fazem um julgamento ele mesmo.

O Governador é incrivelmente manipulador. Ele é um verdadeiro psicopata ou sociopata. Ele é muito manipulador, muito charmoso. Ele é brilhante. Ele é determinado. Ele é auto obcecado. Ele é tudo isso… Não penso que Rick desconheça isso. Mas algo que eu amei (nesse encontro) é o fato de que ele dá uma opção. Ele dá uma opção que poderia ser verdadeira. A questão é: você pode confiar em alguém que você não confia? Você confia em um homem que já torturou pessoas de seu grupo o suficiente para negociar com ele? Essa é a grande coisa por trás de tudo isso, por trás destas decisões.

Yahoo: Diante a tudo isso, por que Rick está mesmo entretido com esse acordo que o Governador ofereceu de entregar Michonne em troca de não haver outro ataque à prisão? Ele não está confiando em seu julgamento porque ele ainda não se recuperou totalmente de sua queda? Ou ele está apenas temeroso de não dar uma chance do Governador manter sua palavra e deixar todos a salvo?

Andrew: Ele é exatamente isso! É outra decisão impossível de tomar. Ele é experiente o suficiente, é inteligente o suficiente, pra perceber que esse poderia ser o instrumento de negociação que permita que as duas civilizações parem o conflito. Mas, ao mesmo tempo, a que custo para o grupo? Ele ainda não é o homem que era. Não acredito que ele possa voltar a ser este homem. Há um pragmatismo nele. Mas há algo brutal nele que o faz considerar qualquer opção. Para defender e certamente servir seu filho. É tudo sobre o menino, agora. É tudo sobre o garoto.

Yahoo: Ele também sentiu como, nesse encontro com o Governador, houvesse a menor ligação, ou pelo menos de reconhecimento por ambos, um ao outro, de que ser um líder é difícil. Obviamente, o Governador tomou a responsabilidade e a pressão numa direção diferente…

Andrew: Sim, você está absolutamente certo. Nós quisemos interpretar isso. Nós quisemos realizar isso de forma que é a única vez que estes homens compartilham um laço comum de liderança, pra ser sincero.É a coisa do desarme… Você tem essas duas dinâmicas incríveis. Homens perigosos com as vidas de muitas pessoas em jogo, e ainda assim eles são capazes de quase ter essa conversa íntima. Havia uma espécie de reconhecimento do que eles fizeram, do que são e do que esse mundo tem os pressionado a ser.

É o que eu sempre amei nos quadrinhos. Você começa em um lugar e então torce pelas pessoas. Mas você percebe, caramba! Eles estão fazendo coisas terríveis, coisas moralmente ambíguas. Porém, você permanece ao lado deles. Você tem isso. Que remonta o motivo pelo qual as pessoas gostam tanto da série, do porque eles se colocam nesta posição. Eles fazem essas perguntas impossíveis.

Yahoo: Ele se sente como um eufemismo, mas Rick tem passado por muita coisa. Especialmente nesta temporada com a morte de Lori, o nascimento do bebê, a discriminação, o Governador… O que o motiva a continuar?

Andrew: É o menino. Tem que ser o menino. (Carl) e Lori foram o fator principal que o fez sair do hospital e que o levou a encontrar Morgan e, consequentemente, encontrá-los. Essa foi uma das grandes atrações de interpretar essa parte, o fato dele não ser um estranho. Ele era um policial, ele é um cara comum. Ele é seu próprio Average Joe (uma série de tv). Mas ele foi um pai e um marido num casamento problemático. Eu amo todas essas coisas, porque eu penso, “sim, isso é um castigo. Isso é autêntico.” Eu acredito que as pessoas fazem coisas extraordinárias, coisas sobre-humanas nessas situações. Você ouve sobre mães em carros em movimento pra salvar seus bebês. Feitos extraordinários! Quase que em nível primitivo, de ir a lugares que você nunca se imaginou indo para proteger seus entes queridos.

É engraçado, porque eu estou sempre… Sabe, quando você recebe algo e sintoniza este algo na sua cabeça? Eu sou um magpie (um tipo de pássaro) quando eu faço um trabalho, eu pego as coisas e tudo parece estar contido no trabalho. Eu começo a ler sobre sobreviventes ou heróis… Minhas antenas estão muito ligadas, elas pegam tudo. Eu estava lendo um livro sobre Ernet Shackleton, um aventureiro inglês extraordinário na virada do século. Século passado, e não neste. Tentou ir três vezes para a Antártida para fazer três desafios diferentes, e ele falhou em cada uma. Mas ele manteve 27 homens vivos num iceberg por dois anos e meio.

É a maior história de sobrevivência que eu já li. É um sopro da mente. Você simplesmente continua… Só pesquisar no Google e ler o que ele conseguiu. Todas essas pessoas, ele manteve vivo todos aqueles que estavam na viagem. Ninguém morreu e foi surpreendente! Todos os outros 26 homens, obviamente, disseram que ele é o maior líder. Ele foi exaltado… (as pessoas) lhe perguntaram: “Como você conseguiu fazer essa coisa extraordinária? Como você fez isso?” E ele disse: “Foram os homens.” Ele tinha que fazer isso pelos outros caras. Se fosse sozinho, ele não teria feito. É simples assim com o Rick. Ele é um desse tipo que as outras pessoas só ficam atrás. O que eu amo sobre ele é o fato dele estar certo. Ele é uma dessas pessoas que está certo, ele toma sua decisão. Pode ser uma má decisão. Pode ser uma decisão moralmente corrupta, mas resiste. Há algo incrivelmente poderoso nisso, e incrivelmente perigoso. Eu penso também que ele é um cara moral, mas ele reconhece o perigo da liderança neste novo mundo. Ele meio que entende o efeito inebriante que o poder tem na liderança. Eu só acho que ele é um homem complicado e com razão. Ele é Jó, foi testado de todas as formas. Ele sempre volta. Ele esta em seu luto pela a morte de Lori. Mas eu acredito que Morgan foi algo que aconteceu num momento crucial pra ele, reconhecendo que, se ele continuar se isolando, terminará como o próprio Morgan.

Yahoo: Esse episódio “Clear” foi simplesmente brilhante! Você pode dizer que é um dos seus favoritos nesta temporada?

Andrew: Sim. Esse eu li e adorei. Fiquei emocionado que eles decidiram quase completar o círculo com algo da história de Morgan. Essa sempre é a coisa quando eu assisto a programas de tv de longa duração, que é essa sua captura e pedir para o público para realmente investir nos personagens. Existe algo tão bonito em plantar algo no piloto, em seguida, ir pra algum lugar para resolver a história três anos depois. Isso quase recompensa o público. Isso certamente me recompensa como ator. E há algo surpreendente sobre como trabalhar com um ator que você não vê há três anos, e a última vez que viu (seu personagem) era alguém totalmente diferente.

Eu também achei que “Prey” foi um episódio totalmente diferente, e ele passou muitas coisas tranquilas de forma sutil. Eu realmente estou animado para a quarta temporada por causa disso. Porque eu acho que temos o peso coletivo de três anos das pessoas conhecerem esses personagens. Você não precisa fazer o que os filmes tem de fazer, que é ter de explicar quem são aquelas pessoas na primeira hora, e em seguida, contar uma história para a próxima hora e resolver tudo na última meia-hora. As pessoas vêm com três anos, 30 episódios ímpares, 30 horas impares estando com estas pessoas… O mais interessante é quando você simplesmente pode colocar um episódio como “Clear”, ou só empurrar pra lá, ou aparar completamente a narrativa e torná-la sobre um menino que vai encontrar uma foto de sua mãe para mostrar a sua irmã que não tem mais mãe. Isso é de tirar o fôlego!

Essa é a coisa que, quando as pessoas vão e “Oh, zumbis. Isso é uma série sobre zumbis”. Eu estou pensando… Não é realmente sobre zumbis. (Risos) Mas, claro, ela é e isso é a coisa legal que temos a fazer, o material brilhante. Não seria capaz de dizer coisas tão grandiosas ou tais histórias simples, sem as coisas excitantes e emocionantes. Mas, é claro que sim, é um episódio que eu adorei.

Volte para a segunda parte do bate-papo com Andrew Lincoln na próxima semana, quando ele discute com seus companheiros e equipe de The Walking Dead, como é filmar fora de Hollywood, a dificuldade de licitação, o adeus a membros do elenco e amigos, e suas esperanças para o futuro da série, incluindo o seu apelo para os produtores e escritores: “Me deixem viver por muito tempo, por favor!”.

The Walking Dead vai ao ar nos domingos às 9 PM (22h no horário de Brasília), e a season finale vai ao ar dia 31 de março. Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil para mais novidades!


Fonte: Yahoo
Tradução: @alexiacmendes / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo
Publicidade
Comentários

3ª Temporada

The Walking Dead volta a ser exibida pela Band

Vinícius Castro

Publicado há

em

Após um longo tempo fora da programação da TV aberta brasileira, The Walking Dead finalmente voltou à programação da Band. Desde segunda-feira, dia 06 de junho de 2016, o drama zumbi voltou a ser reexibido para o público que não tem a chance de acompanhar por serviços de streaming ou TV a cabo.

De acordo com afirmações da emissora, a exibição trará inicialmente apenas reprises da terceira temporada (definitivamente a mais controversa da série, que sofreu sob o comando do showrunner Glen Mazzara), e o horário é bastante curioso: serão exibições semanais (exceto fins de semana), sem um horário definido – basicamente na faixa entre meia-noite e 2h da manhã.

Exibida originalmente entre 2013 e 2014, a terceira temporada retorna com Rick (Andrew Lincoln) e seu grupo encontrando a prisão. Também introduz o Governador (David Morrissey) e sua cidade, Woodbury. A temporada destacou a introdução de Philip Blake e Michonne (Danai Gurira), e também o retorno de Merle (Michael Rooker), o irmão de Daryl (Norman Reedus).

carls3

Ainda não há informações se a emissora exibirá a quarta e quinta temporadas em sequência, então fiquem ligados para qualquer nova atualização aqui no site.

E então, o que achou desta iniciativa da Band? Irá acompanhar a reprise do terceiro ano? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.

The Walking Dead, a história de drama mais assistida da TV a cabo, irá retornar com a sétima temporada em Outubro de 2016 na AMC e na FOX Brasil. O trailer da temporada, bem como a data oficial de lançamento, será divulgada durante a Comic Con de San Diego em Julho.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.

Continue lendo

3ª Temporada

Prédios da 3ª temporada de The Walking Dead estão a venda

Rafael Façanha

Publicado há

em

Não foi exatamente a volta ao lar que Rick e Carl esperavam. Ao retornar a King County, Georgia, juntamente com Michonne, pai e filho lembraram-se de como a vida era antes do apocalipse, e por mais agridoces que fossem aquelas memórias, nada se comparou ao reencontro de alguém do passado, vivo e respirando: um enlutado e enlouquecido Morgan.

O decimo segundo episodio da terceira temporada, “Clear”, é considerado um dos mais pungentes e poderosos episódios em The Walking Dead, mostrando uma performance comovente de Lennie James e uma atmosfera de cidade fantasma. A rua principal cercada por armadilhas se transformou em um set inesquecível, e agora você pode viver neste local onde tantos walkers foram mortos, uma vez que nove prédios do centro de Grantville, Georgia, e que serviram de locação para “Clear”, estão à venda no eBay.

Com um lance inicial de $680.000 – ou mais de 2 milhões de reais, na conversão feita pelo site de leilões – os prédios rústicos de Grantville estão sendo leiloados no eBay e serão vendido a quem fizer a maior oferta até o prazo final do leilão, em 26 de março. A CNN relata que, de acordo com o prefeito de Grantville quatro filmes serão rodados na cidade em um futuro próximo. O espaço ainda foi utilizado na gravação de outras produções, como “Os Infratores” e “Debi e Lóide 2″. Para saber mais informações, visite a conta do ebay ou a página oficial dos tours, que são oferecidos pela região.

FOTOS DE GRANTVILLE:

grantville-the-walking-dead-001

grantville-the-walking-dead-002

grantville-the-walking-dead-003

grantville-the-walking-dead-004

FOTOS DO EPISÓDIO “CLEAR”:

Você também pode comparar a aparência real de Grantville com a sua aparência durante as filmagens de “Clear” nas fotos abaixo:

the-walking-dead-clear-001

the-walking-dead-clear-002

the-walking-dead-clear-003

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Daily Dead
Tradução: @Binapic / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo

3ª Temporada

Os 3 momentos mais frustrantes de The Walking Dead em 2013

Rafael Façanha

Publicado há

em

The Walking Dead é o maior e melhor seriado de TV na atualidade, mas, às vezes, ele nos enlouquece. Agora que 2013 se perdeu nas brumas, é um bom momento para relembrarmos os altos e baixos do ano. Já compartilhamos cinco dos melhores momentos de 2013 – que incluiu a segunda metade da terceira temporada e a primeira metade da quarta temporada. Temos apenas três “piores momentos”, já que The Walking Dead definitivamente tem mais altos do que baixos. E mesmo os “piores” momentos não passam de amor bruto – não abandonaremos o show nunca. Então aqui enumeramos três candidatos ao mais frustrante momento de 2013. Confira a lista e deixe sua opinião nos comentários abaixo.

1. Andrea morre, o Governador sobrevive

Andrea-Governador-The-Walking-Dead

Toda a história de Andrea para a terceira temporada é questionável. Por que eles a transformaram na garota ingênua que se apaixona pelo cara errado e fica com o estranho bonitão, e não com sua amiga? O fato de Andrea ser a última a saber de tudo apenas a tornou uma idiota aos olhos do público. É uma vergonha, já que ela é uma excelente personagem nos quadrinhos e sobrevive por muito mais tempo (Na verdade, ela ainda está viva na HQ neste momento).

A pior parte foi vê-la naquela cadeira, durante o season finale da terceira temporada, apenas olhando para Milton e conversando com ele, enquanto o mesmo se preparava para morrer. Ela simplesmente disse “Eu tentei”, e teve sua partida melancólica.

Laurie Holden mais tarde disse que, se ela fosse um dos roteiristas, as coisas teriam sido muito diferentes. O Governador teria morrido – preferivelmente antes de massacrar seu próprio povo – e Andrea seria mais como a equivalente da HQ. Pena… sem dúvidas teríamos uma grande personagem se ela tivesse sido desenvolvida adequadamente.

2. Os novos amigos do Governador concordam com a guerra

governador-grupo-the-walking-dead-4-temporada

Veja, o Governador é sedutor, carismático, manipulador. Entendemos. Andrea certamente concorda! Mas vamos lá! Ele faz um discursinho aos seus novos amigos no velho acampamento de Martinez e, de repente, eles estão todos concordando que é válido atacar a prisão e tomar para eles? Mesmo que isso signifique matar a todos? Eles sequer estavam em perigo imediato.

Lilly disse que eles poderiam simplesmente ficar lá, uma vez que o acampamento era o novo “lar”, o que parecia ser uma opção justa. Poderia ser diferente se eles tivessem sob constante ataque, ou passando fome, mas eles estavam jogando golfe, se reunindo para beber cerveja e passando o tempo. Não havia nenhum ímpeto para a guerra. Por que essas pessoas desejariam arriscar suas vidas pela palavra de um cara que eles sequer conhecem, para tomar um lugar que eles sequer precisavam?

3. A morte aleatória de Meghan

lilly-meghan-the-walking-dead-4-temporada

Realmente, foi muito legal ver um walker literalmente sair de sua tumba daquela maneira. Legal. Mas que final aleatório para Meghan. Primeiro, sua mãe Lilly simplesmente está contemplando o rio, enquanto um walker leeeeeeeeeeeeeeeentamente anda pelas águas, então Meghan acidentalmente ajuda a desenterrar um walker, e acaba mordida. Boom. Simples assim, sua história terminou. De volta à guerra na prisão!

Durante o midseason finale Lilly aparece carregando o corpo morto de Meghan. O Governador atira em sua cabeça, matando-a novamente, e retorna à briga. Sim, entendemos que Meghan morreria em algum momento, mas pareceu uma saída apressada e sem qualquer outro significado, além de mostrar como o Governador está perdendo tudo o que conseguiu. Esta doce menina que aprendemos a conhecer em dois episódios simplesmente morreu em segundos! Não deveria haver mais impacto? Pelo menos a morte de Hershel teve um contexto e um significado.

Você discorda? Estamos sendo excessivamente críticos? Você sugere outros momentos de frustração ou pensam que todos os momentos foram perfeitos até esse ponto? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.

The Walking Dead, a história de drama mais assistida da TV a cabo, irá retornar com os oito últimos episódios da quarta temporada no dia 09 de Fevereiro de 2014 na AMC e 11 de Fevereiro de 2014 na FOX Brasil.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Wetpaint
Tradução: @BinaPic / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo

EM ALTA