Siga-nos nas redes sociais

4ª Temporada

Melissa McBride fala sobre o episódio “The Grove” e a chocante decisão de Carol

Publicado há

em

É o episódio de The Walking Dead que todo mundo tem falado, e agora a mulher que é o centro de tudo – Melissa McBride, que interpreta Carol – dá sua opinião sobre os acontecimentos do episódio do último domingo, “The Grove”.

Carol tomou uma decisão polêmica, atirando em sua filha “adotada” Lizzie que esfaqueou e matou sua irmã Mika, para provar que ela voltaria a vida. “Nós não podemos dormir com ela e Judith sob o mesmo teto”, disse Carol a Tyreese. “Ela não pode estar perto de outras pessoas”. E foi isso. O Entertainment Weekly conversou com McBride para saber sua opinião sobre a controversa decisão de Carol. Ela acha que Carol fez a decisão certa? Como foi filmar essas cenas terríveis com as meninas? E o que dizer sobre a aparição super secreta de Sophia no episódio? A mulher que interpreta Carol revela tudo aqui.

EW: Então, você sabia que eu nunca mais vou olhar para as flores por causa de você, certo?

MELISSA McBRIDE: Awwwww. Mas é para isso que elas estão lá, para lhe dar algo bonito de se ver. Está tudo bem! Sim, estou ouvindo muito isso. Olhar para as flores nunca mais será o mesmo para mim.

EW: Qual foi a sua reação quando o showrunner Scott Gimple lhe contou sobre o que aconteceria nesse episódio?

MELISSA McBRIDE: Bem, teve um pouco de mistério quando ele mencionou. Ele disse que Carol seria obrigada a fazer algo muito difícil e eu estava pensando, oh querida, talvez seja uma briga entre ela e Tyreese. Eu não tinha ideia. E então, quando eu li o episódio e vi o quão desestruturada Lizzie estava… para responder sua pergunta, foi apenas devastador e desolador. Fim.

EW: Quando eu falei com Andrew Lincoln recentemente, ele me disse que não acreditou quando leu o script e que vocês iriam em frente e iam fazer esse episódio e ele mesmo foi até Scott e disse: “Será que estamos realmente indo fazer isso?” Em algum momento você achou que isso seria demais?

McBRIDE: Não, porque eu acho que eles sabem o que estão fazendo. Isso era obviamente muito pesado e eu tinha apenas que pensar no material original – o material de Robert Kirkman – e que eles estão nos colocando em frente ao que o show realmente é. E é uma história que precisa ser contada. É um elemento que não tinha sido examinado ainda a partir da perspectiva do nosso grupo – apenas a fragilidade mental e a mentalidade e diferentes perspectivas das crianças. Isso era algo que realmente precisava ser explorado neste mundo. E o arco de Carol tem lidado com crianças nesse grupo que era o melhor lugar para essa história ser contada. Só tinha que ser dito.

the-walking-dead-s04e14-the-grove-004

EW: Você mencionou o material original. Você quis voltar e ler essa parte da HQ dos dois irmãos, Ben e Billy, que se assemelha o que aconteceu na TV, apesar de sequer envolver seu personagem?

MELISSA McBRIDE: Eu não costumo remeter as HQs. Eu tenho quase todas elas e consegui uma boa parcela delas quando começamos a filmar, mas eu sei a história e eu sei que pertencia a um casal de outros personagens. Eu sei que foi diferente na HQ, mas se eles estão tentando trazer a história para a televisão, sabemos que eles divergem e dão as coisas para outros personagens e é ótimo para mante-los frescos. Mas eu acho que foi brilhante a forma de como a história se desenrolou a partir dos quadrinhos para a Carol e seu grupo de crianças.

EW: Fale-me sobre o quebra cabeça que vocês estavam fazendo durante o episódio, porque eu entendi que houve um quebra cabeça comum.

McBRIDE: Não, não tínhamos ideia do que era até filmarmos a cena da confissão. Não tínhamos ideia de qual era o enigma e nós estávamos tentando dar palpites e eles iriam receber certas partes dele entre as gravações onde eles continuariam montando. E então as cenas começaram a vir e estragar tudo, de modo que o quebra cabeça nunca foi realmente terminado. E em seguida, (o diretor) Mike (Satrazemis) disse: “A propósito, você sabia que o quebra cabeça sobre essa mesa, quando você conclui-lo, aparecerá isso?”. Me tirou o fôlego ao pensar que durante esse tempo todo Sophia estava ali com a gente. Foi bem interessante. É uma daquelas pequenas coisas que só diretores sabem fazer. Foi muito legal.

EW: Você acha que Carol fez a coisa certa?

McBride: Eu acho que não existe maneira de dizer que foi certo ou errado. É lamentável, mas ela fez o que tinha que ser feito em sua mente. E Tyreese concordou. Ela entendia que essas decisões difíceis precisam ser feitas e não havia escolha, se fossemos continuar com Judith. É tão trágico, e não é culpa dela. E isso que é tão terrível. Ela apenas não faria bem neste mundo, e isso iria tornar impossível sobreviver com ela por muito tempo. Isso não é vida para ela, e é perigoso para outras pessoas. Eu acho que ela só fez o que precisava ser feito.

the-walking-dead-s04e14-the-grove-003

EW: Vamos falar sobre a cena final onde você confessou a Tyreese que você matou sua namorada. Vocês tem certa de 10.000 emoções diferentes acontecendo ali mesmo, como vocês conseguem equilibrar cada uma delas?

McBRIDE: Eles passaram por tanta coisa. Eu amei essa cena, como ela foi tranquila. Apenas eles dois e Judith no berço. Foi cansativo, foi uma cena desgastante. Inacreditável o que os dois tinham acabado de passar. Inacreditável para eles. E dentre todas as coisas que passaram pela mente de Carol houve uma grande quantidade de “Eu tenho que dizer a ele. Eu tenho que dizer a ele agora”. Por um lado, se vamos continuar juntos, é preciso haver confiança. Ainda mais importante que isso, ele precisa saber o que aconteceu porque Carol não lembra o que aconteceu com Sophia. Ela diz: “Essa foi a pior parte. A pior parte é não saber.” Ela só podia imaginar o que se passava na cabeça de Tyreese, imaginando quem poderia ter matado Karen e como aconteceu. E com isso acontecendo em sua mente, ela sabe que pode seguir em frente, se ele irá pensar continuamente nisso. Isso precisava ser feito. Ela também precisa entregar-lhe a verdade, porque até mesmo em sua própria mente, é como se eu precisasse de alguém para me dizer que estou fazendo o certo aqui. Eu tenho feito coisas horríveis e eu preciso que ele me diga que está tudo bem, de alguma forma. E também, isso o coloca na mesma posição em que ela estava – fazer uma decisão muito difícil. Ela dá isso a ele, e eu acho isso bonito, por isso há uma série de razões do porque ela está confessando e tudo está agrupado em uma coisa: aceitar que as coisas precisam ser feitas, você tem uma escolha, a confiança e seguir em frente. Se ele é o cara que eu acho que ele é depois de ver tudo o que passamos juntos, ele irá fazer. Ele vai entender. Mas ela não esperava seu perdão. Essa cena é carregada.

EW: O assunto desses episódios com os grupos menores é que muitos de vocês estão começando a trabalhar com pessoas que vocês não tinham muito contato antes. Como foi fazer todas essas cenas com Chad Coleman?

McBRIDE: Eu achei ótimo. Eu acho que é ótimo para as pessoas do grupo da prisão estar interagindo com outras pessoas. Certas partes mudam você e desafia os aspectos de um e do outro, assim como na vida real, como nós evitamos as pessoas. Então é muito importante para eles interagirem uns com os outros e se conhecerem e ver como isso muda a visão do mundo e as experiências que eles estão passando.

EW: Eu sei que você teve que dizer adeus a vários membros do elenco ao longo do caminho e eu sei que é sempre difícil, mas, geralmente os membros são adultos. Como foi para vocês terem duas jovens atrizes como Brighton Sharbino (Lizzie) e Kyla Kennedy (Mika) saindo para filmar seus últimos dias no set de The Walking Dead?

McBRIDE: Foi muito sombrio e amargo, porque todos nós sabíamos que a história era importante e todos nós sabíamos que era difícil. Todos nós sabíamos que estávamos fazendo o nosso melhor trabalho e essas crianças são tão incríveis que você quer te-las por perto. Elas rapidamente se tornaram parte dessa família de The Walking Dead. Elas são uma alegria para trabalhar e são brilhantes. O que nós realmente tentamos fazer é celebrar quem são e o trabalho que elas fizeram e o tempo que pudemos passar juntos. Nós celebramos quem elas são, mas é doloroso perde-las. Eu sei que essas crianças estão no caminho para fazer coisas maiores. Mas nunca é fácil.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Entertainment Weekly
Tradução: @LuanaSieb / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA