Siga-nos nas redes sociais

5ª Temporada

The Walking Dead 5ª Temporada: Perguntas e Respostas com Sonequa Martin-Green (Sasha)

Publicado há

em

Sonequa Martin-Green, que interpreta Sasha em The Walking Dead, fala sobre sua arma preferida para o apocalipse zumbi e a despedida de Bob. Confira:

P: O quão preocupada você está com o destino de sua personagem? Você achou que sairia quando Sasha pegou o vírus?

Sonequa Martin-Green: [Risos] Isso é bem interessante e é uma experiência de aprendizado para todos nós. Isso nos faz melhores como atores, artistas, pessoas e profissionais em geral porque você é forçado a apenas viver o momento. Você não pode pensar muito à frente. É uma bênção muito grande e você tem que levar um dia e um roteiro de cada vez. Isso se torna parte de você e você encara bem com o que pode acontecer porque você simplesmente se sente grato pelo que acontece. Foi engraçado lidar com os fãs no Twitter que pensavam que eu iria morrer. Se eu dissesse, “Estou saindo em uma tarde preguiçosa de domingo,” eles diziam, “Ohh, é porque você não precisa trabalhar amanhã?”

P: Sasha precisa se despedir de Bob no episódio 503. Foi um episódio difícil de filmar?

Sonequa Martin-Green: Foi o episódio mais desafiador que já filmei, tanto fisicamente quanto emocionalmente. Foi uma montanha russa, mas foi muito rico. Mesmo sendo muito difícil, também foi maravilhoso. Fico feliz por ter passado por isso.

P: Você e Lawrence (Gilliard Jr.) ficaram mais próximos com o aprofundamento da relação de Sasha e Bob?

Sonequa Martin-Green: Lawrence e eu ficamos muito amigos já de início. Ele é muito legal e um ator bem experiente. Ele tem muito a oferecer. Você nunca precisa tentar [com ele]. Trabalhando juntos, organicamente, as pessoas se aproximam. Todos nós ficamos próximos tentando ou não. Acho sim que nossa amizade se aprofundou com o passar dos três primeiros episódios.

sasha-bob-tara-the-walking-dead-5-temporada-four-walls-and-a-roof

P: Vocês encontram um novo tipo de zumbi já no início da temporada: os zumbis do esgoto no armazém. Que aparecimento de zumbi foi mais assustador para você até agora?

Sonequa Martin-Green: Sempre disse que era o zumbi do poço da segunda temporada em termos de nojeira, mas não mais. Ah Deus, esses zumbis do esgoto! Eles são muito nojentos. Tipo, os rostos deles estão caindo aos pedaços. Nós ficávamos nos perguntando sobre o que os departamentos de maquiagem e vídeo eram capazes de fazer com esses caras. Meu zumbi favorito é na verdade o zumbi torso [Hannah – moça da bicicleta] do piloto porque é muito simbólico.

P: Você usou diversas armas para matar zumbis, incluindo uma vareta pontiaguda. Qual foi a sua preferida até agora?

Sonequa Martin-Green: Adoro armas de golpear, mas diria que foi a metralhadora. Como não se ama uma metralhadora? É Sasha baby.

P: Essa é arma que você buscaria em um apocalipse zumbi?

Sonequa Martin-Green: É minha arma escolhida. É a escolha de Sasha. Uma metralhadora, por favor. Obrigada.

P: Bob e Sasha jogam o jogo dos positivos. Você pode listar algum aspecto positivo em um apocalipse zumbi? Qual o positivo para Sasha na morte de Bob, na sua opinião?

Sonequa Martin-Green: Acho que você pode tirar o melhor de qualquer situação. Ao menos, você pode tentar. Por isso, eu diria que a coisa boa do apocalipse zumbi seria provavelmente a simplificação da vida. De repente, o que conta é a necessidade básica e as pessoas não estão preocupadas com twitter e correr para o trabalho. Agora, é buscar comida, água, abrigo e família. Sasha não vê um positivo, ao menos ainda não. A morte de Bob foi um grande trauma emocional para Sasha, especialmente porque ela era tão resistente em se abrir. No meio de sua tristeza e sofrimento está a humilhação, apenas por ter se deixado fazer isso e por não poder ter sido quem o apagou.

rick-sasha-tyreese-daryl-the-walking-dead-5-temporada-crossed

P: Você acha que traumas sentimentais são ainda mais doloridos em um apocalipse?

Sonequa Martin-Green: Com certeza sim. É a coisa mais triste porque tudo o que se tem é um ao outro nesse momento. Sua segurança é sempre muito desafiada. Quando as pessoas perdem as outras, o que resta? Sasha aprendeu muito com o Bob. Ela aprendeu como manter a esperança e como se conectar com as pessoas. Algo que o Bob sempre ensinava é que não se pode apenas sobreviver. Talvez se existir algum positivo, isso seja o que ela perceberá mais tarde.

P: Sasha é provavelmente a mais cética sobre o Terminus entre todos os personagens. Foi bom descobrir que ela estava certa?

Sonequa Martin-Green: [Risos] Bem, eu sei que não é necessariamente algo para comemorar, mas isso a encorajou no seu modo de pensar. Isso apenas via movê-la para a frente no modo como ela faz as coisas com seu comportamento prático e a tornará mais confiante. Ela estava insegura com o Governador também e acabou se mostrando certa. Não se pode culpa-la.

P: Em referência a Sasha, Gareth diz, “Pessoas bonitas tem gosto melhor”. Qual foi o elogio mais estranho que você já recebeu? Esse leva o prêmio?

Sonequa Martin-Green: Já ouvi alguns bem doidos, mas eu ri muito quando li isso no roteiro. Com certeza não ficaria lisonjeada com isso.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: AMC
Tradução: @Felipe Tolentino / Staff Walking Dead Brasil

Publicidade
Comentários

EM ALTA