Siga-nos nas redes sociais

5ª Temporada

The Walking Dead 5ª Temporada: Andrew Lincoln adianta o que esperar de Alexandria

Publicado há

em

[ATENÇÃO!! ESTE CONTEÚDO CONTÉM SPOILERS DO EPISÓDIO S05E11 – “THE DISTANCE“!]

The Walking Dead chegou aos portões de um local chave dos quadrinhos durante o episódio do último domingo, mas o caminho até lá não foi fácil, como Rick e companhia já esperavam.

Depois que Aaron (interpretado pelo novo ator regular, Ross Marquand) é introduzido ao grupo, o recrutador de Alexandria tem uma bela recepção da parte de Rick – que o nocauteia e insiste que o grupo deve rejeitar o forasteiro, depois dos horrores que eles encontraram em Woodbury e Terminus.

No final, a ideia de um santuário oferecida por Aaron para o grupo derrotado se torna algo que quase todos querem ver por si mesmos – criando um conflito entre um Rick cada vez mais cauteloso (Andrew Lincoln) e Michonne (Danai Gurira), a mais falante do grupo.

Eles acabam entrando em um acordo que, depois de um drive-through brutal de walkers, os leva a um reencontro de Aaron com seu namorado Eric (interpretado pelo recém chegado Jordan Woods-Robinson) e aos portões de Alexandria, o local onde os quadrinhos passaram mais tempo. Lá, Rick parece suavizar um pouco a postura quando ouve o som de crianças brincando em segurança pela primeira vez em anos.

O Hollywood Reporter conversou com Lincoln para saber o que se passa na cabeça de Rick, saber o que esperar de Alexandria e dos personagens que podemos encontrar daqui pra frente.

the-walking-dead-the-distance-001

Por que Rick estava tão hesitante em confiar em Aaron? Qual era seu pior medo depois do que viveu em Woodbury e Terminus?

Andrew Lincoln: Eu acho que você encontra um homem que acabou de perder dois amigos próximos por causa de decisões que não foram tomadas por ele. Ele está hiper alerta e hiper vigilante neste momento por causa de Terminus, e todas as pessoas que ele conheceu desde a prisão eram perigosas, organizadas ou brutais, ou uma combinação disso. Depois das mortes de Tyreese (Chad L. Coleman) e Beth (Emily Kinney), Rick está praticamente neurótico e um maníaco controlador como resultado. Ele está absolutamente decidido a não deixar que o grupo perca mais ninguém. Eles estão contando com ele, mas Carol diz “você estava errado, mas você estava certo”, e é isso que é necessário hoje em dia neste novo mundo.

E isso significa muita coisa vindo de Carol (Melissa McBride), que se tornou muito durona.

Andrew Lincoln: De todas as pessoas, Carol provavelmente chegou neste ponto (perceber quão perigosos os sobreviventes são) antes de Rick, mas Rick com certeza a alcançou. Esses dois parecem ser os elementos centrais do grupo, esperando que os outros os alcancem.

Rick e Michonne – que normalmente estão na mesma página – discordaram sobre Aaron. Como isso vai mudar o relacionamento deles de agora em diante?

Andrew Lincoln: O que você verá nos últimos episódios é que estamos entrando em águas muito difíceis e inexploradas, e é bem desconfortável para alguns dos personagens. Veja a jornada de Michonne desde a segunda temporada: ela era o lobo solitário e estava perdida, e agora ela é a pessoa pedindo que nós paremos e confiemos. Todos eles apanharam tanto depois dos últimos seis ou sete episódios que cada um tem sua própria agenda e perspectivas do que quer. Rick não ouvia uma oposição verbal assim há muito tempo. Ele não é como o Governador – ele ainda tem restrições. Provavelmente ainda há espaço para ele chegar em um lugar onde não está ancorado por seu relacionamento com sua família – seus mais próximos e mais queridos – mas neste momento, ele ainda está. A jornada que Rick e Michonne seguem é muito tocante – depois que eles se reúnem como um grupo, ela está sempre verificando como ele está, porque ela percebe que ele está aterrorizado. Ele é um homem que está mortificado com a ideia de que está entrando em outro Terminus.

Quem não estaria?!

Andrew Lincoln: Sim! O coda deste episódio é a fala de Carol.

the-walking-dead-the-distance-002

O grupo chegou a Alexandria. Depois de tanta espera para confiar em Aaron, como Rick responderá ao que está atrás dos portões? Nós vemos o close-up da expressão de Rick suavizando, como um suspiro de alívio quando ele ouve crianças brincando do lado de dentro.

Andrew Lincoln: É muito eloquente que nada precise ser dito quando você ouve o barulho de crianças brincando. Aquele som é algo que nenhum deles ouviu nos últimos dois anos, e um som que Rick achava que nunca ouviria novamente. Mesmo quando Rick está se aproximando do portão, todos estão tensos, porque acham que Rick vai desistir. Então ele sente um cutucão de Michonne, e é muito simples e tocante. É uma mudança na história, o que acontece agora. Nós estamos nos mudando para um espaço completamente novo que levará a uma nova série. Eles foram tão machucados e destruídos ultimamente que você verá pessoas que estão voltando da guerra e os desdobramentos disso em todos os sentidos.

Rick é um macho alfa. Como ele vai se adaptar a uma nova comunidade – especialmente uma onde ele não é o líder?

Andrew Lincoln: Eu acho que vai ser desconfortável por um tempo (risos) – para todos! Isso cria um drama bem interessante. Você vai conhecer muitos personagens novos nos próximos episódios e aprender muito sobre o que tem acontecido em D.C.

Rick não criou uma boa impressão em Aaron depois de tê-lo nocauteado. Que desafios ele vai enfrentar chegando a Alexandria quando ele é meio que um cara mau?

Andrew Lincoln: Eu não sei, mas eu não acho que eles se importem necessariamente. Unir pessoas ou ser gostado pelas pessoas não é uma prioridade na agenda de Rick; o essencial é se manterem vivos. A coisa toda com o soco não foi pessoal. Foi uma péssima decisão levar um estranho para onde eles estavam ficando, foi um mau protocolo; tudo que Rick está fazendo é dizer para esperar, começar de novo, interrogar o cara e ver quem ele é. Eu não acho que seja importante para Rick fazer amigos; ele tem tudo que precisa à sua volta. Mas você está certo, o que quer que esteja atrás daqueles muros precisa nos aceitar, e nós talvez precisemos nos encaixar em uma nova maneira de pensar e viver.

the-walking-dead-the-distance-003

Como o grupo de Rick vai se encaixar entre os residentes de Alexandria, que talvez não tenham vivido o horror e a matança que os nossos sobreviventes viveram? Será que eles conseguirão se integrar? Existe um momento em que eles conseguem relaxar?

Andrew Lincoln: Este é certamente o drama central do restante da temporada. Esse é o cenário que estamos investigando: se essas pessoas ainda são capazes de se integrar. Se eles são animais sociais; se eles ainda podem ser reconhecidos como humanos sociais. Essa temporada foi muito divertida, muito disso porque é psicologicamente intrigante e você consegue ver o estrago. Mas você também vai se surpreender com o humor e outras coisas no resto da temporada. Vira a cabeça em um instante. Mas você vai conhecer pessoas intrigantes.

O que você achou da jornada do grupo até Alexandria? Que tipo de personagens você acha que Rick e companhia vão encontrar na comunidade? Deixe sua opinião nos comentários.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Hollywood Reporter
Tradução: @Ivyleca / Staff Walking Dead Brasil

Publicidade
Comentários

EM ALTA