Siga-nos nas redes sociais

Outros Projetos

Primeira imagem de Norman Reedus em ‘AIR’, filme de Robert Kirkman

Publicado há

em

E lá vão eles novamente. O criador de Walking Dead, Robert Kirkman e o astro Norman Reedus estão unindo forças novamente no filme “AIR”, que conta a história de dois trabalhadores (interpretados por Reedus e Djimon Hounsou) que tem a tarefa de manter um dos bunkers subterrâneos destinados a preservar a raça humana, após o ar do lado de fora ter se tornado tóxico. Os bunkers estão repletos de pessoas dormindo em tanques, pessoas com as melhores chances de reconstruir a civilização.

AIR será dirigido por Christian Cantamessa e lançado na primavera de 2015, mas temos uma primeira imagem exclusiva do filme aqui. Nela, vemos Hounsou (como Cartwright) e Reedus (como Bauer), que se acordaram de seus tanques para cumprir seu turno de duas horas – o que ocorre a cada seis meses – naquele silo.

A Entertainment Weekly pediu a Norman Reedus para contar mais sobre o filme, então ele telefonou do set na primavera passada e atendeu o pedido. Confira:

EW: Okay, Norman, como você descreveria AIR?

Norman Reedus: É um thriller psicológico. É a história de duas pessoas dentre as poucas que sobraram no planeta. Eles trabalham em um lugar que tem os melhores entre os melhores dormindo em tanques e que serão despertados para repovoar a Terra; um deles encara seu trabalho como se fosse um cientista e o outro o encara como se fosse um zelador. E a verdade está a meio caminho de ambos. Mas um deles descobre que o outro tem um segredo, ele está apegado a este segredo e que esse segredo refere-se a alguém que ele está tentando manter vivo. E este personagem que interpreto, ele tem um passado bastante sombrio, e a culpa do que ele fez pesa tanto sobre ele que acaba por fazê-lo substituir sua família verdadeira por essa outra pessoa em sua mente, a quem ele encara como um irmão, como uma maneira de se reconfortar. E o que acontece é que ele acaba precipitando toda a ação que ocorre contra a vontade de outra pessoa. Então se torna esse thriller, esse filme de ferrar com a mente, ao tentar convencer outro cara a fazer o que ele não quer fazer.

EW: Então o seu personagem tem segredos, é assombrado pelo passado?

Norman Reedus: Sim, basicamente. A história acontece em um silo de mísseis abandonado. É uma mistura de alta e baixa tecnologia, uma boa mistura entre ambos. Há equipamentos altamente sofisticados, como os tanques de dormir e assim por diante, e há também coisas sendo consertadas com fita adesiva. Não é uma operação planejada, é algo de última hora, e então obviamente os tanques de dormir são como um Four Seasons, enquanto estamos em pleno Ramada Inn.

EW: Há a sensação de isolamento ou claustrofobia? Qual a energia?

Norman Reedus: É muito isolado, muito claustrofóbico. Até mesmo a filmagem é claustrofóbica. Eu lembro de ler o roteiro e conversar com minha empresária, e perguntei a ela “o que você acha?”, e ela disse “Eu amo como parece claustrofóbico, eu espero que eles mantenham lá esse elemento.” Após conversar varias vezes com Christian antes de vir para cá, esta foi uma das principais coisas que fiquei perguntando – “poderemos manter tudo tão claustrofóbico assim?” Tão terrível e tão ‘fim do mundo’ como está no roteiro, tudo foi mantido. É claustrofóbico até mesmo filmar. Há momentos que são… são assustadores, e você se sente muito só e ferrado em tão diferentes níveis por outras pessoas e, sabe, pelo mundo todo, pelas pessoas que nos puseram lá. Tem este elemento de tristeza também, mas há histórias revigorantes também. Uma metade é a descida ao fundo do poço, e a outra é a subida de volta.

EW: Eu imagino que muito disso depende de seu relacionamento com Djimon. Como foi trabalhar com ele?

Norman Reedus: Ele é ótimo. Estamos juntos desde o começo. Eu vi o trabalho dele antes e sabia o quão bom ele era, e fui assistir Diamantes de Sangue logo antes de vir para cá, e ele estava perfeito naquele filme. É interessante, sabe, por que ele é esse cara bonitão, enorme, porém bastante suave e gentil, e uma certa esperança transparece em seu rosto. Ele irradia este tipo de esperança e eu estou basicamente tentando arrancá-la de seu rosto.

Para saber mais sobre Air, verifique na edição especial de Comic Con da Entertainment Weekly ou fique ligado aqui no Walking Dead Brasil.

Air_02520r.JPG


Fonte: Entertainment Weekly
Tradução: @Binapic / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA