Robert Kirkman Fala sobre a Essência de The Walking Dead

Rafael Façanha
08 de fevereiro de 2012

Robert Kirkman falou ao UOL sobre as diferenças entre os…

Robert Kirkman falou ao UOL sobre as diferenças entre os quadrinhos e a série e sobre a essência da história. Confira:

UOL – O seriado se afastou dos quadrinhos?

Robert Kirkman – Não acho que os quadrinhos são perfeitos, seria uma visão muito estreita. A televisão é uma mídia colaborativa. Estar numa sala de roteiristas com vários escritores colaborando é muito excitante para mim. É muito legal ver as mudanças. Eu apoio todas as mudanças que estão acontecendo.

UOL – Vamos saber quem é o pai da criança?

Kirkman – Bem, tentando deixar a história tão realista quanto possível, teste de paternidade não é algo que vai estar na floresta, certo? É interessante para mim explorar que há certas coisas que nunca descobriremos, que esses personagens não vão saber, como a origem dos zumbis.

UOL – Gosta de ver os zumbis que criou tornarem-se reais?

Kirkman – Não, não gosto. Vou ser honesto: quando estou no set, não aguento os zumbis porque eles são aterrorizantes! Eu sou molenga! Muita gente acha que, porque fiz esses quadrinhos e trabalho na série, vou adorar os zumbis. Quando eles estão no papel, posso lidar com eles. No set, é horrível.

UOL – A questão da humanidade dos zumbis, se eles devem ou não ser mortos, vai continuar sendo importante?

Kirkman – É a essência do que é o seriado. Eles não são apenas os monstros que querem te comer, são seus amigos e seus vizinhos, e há uma tremenda tragédia nisso. Acho que o sucesso tem a ver com esse fator: uma coisa é você sentir medo de um monstro, outra é sentir pena dele. Nos momentos em que você sente simpatia por aquele que está atacando os personagens, é quando realmente sinto que acertamos.


Fonte: Uol / Dica da @ihatehorror