Sobre o Autor

Rafael Façanha

Rafael Façanha

Zumbi Chefe no Walking Dead Brasil. Blogueiro, viciado em Magic, conectado 24 horas por dia e até já fui reconhecido como Wikipédia-Viva de The Walking Dead. Meu mundo é dividido em assistir muitas séries e filmes.

Artigos Relacionados

  • Éverton Gazola

    ” Isso deu ao Tyresse uma saída única e memorável , e essa sempre foi nossa intenção”,
    “Não queríamos apenas arrancar seus orações”, ”
    Queríamos que importasse, e a morte do Tyresse importou”

    Essas palavras de Denise Huth me preocupam demais!

    O episódio pode ter sido sensacional, magnifico, eu concordo plenamente com isso, considero um dos melhores produzidos ate hoje, mas fazer a morte de um personagem importar tanto, não é algo que sempre deve ser feito.
    Quando ela fala “E essa sempre foi nossa intenção”, deixou claro que a intenção deles sempre será e sempre foi dar uma saída única e memorável aos personagens, mas nem sempre as coisas precisam ser assim, nem todas as mortes precisam importar, nem todas precisam ser únicas, nem todas precisam ser desenvolvidas, basta apenas matar, como na HQ, não precisamos fazer um baita de um roteiro apenas matar um personagem, simplesmente o mate.
    Ficar focando em um personagem só toda vez que o mesmo for morrer, é cansativo e repetitivo, por que simplesmente os personagens não podem ter um pequeno destaque e simplesmente morrer? Não há necessidade disso acontecer sempre, mas isso tem que acontecer as vezes, por que os personagens não podem morrer e simplesmente isso, sem fazer tudo girar ao seu redor?!
    Na queda da prisão na HQ, todos que morreram, não ganharam tanto destaque assim antes de morrer, e alguns deles, nem todos tiveram uma saída memorável ou única, o mesmo foi com Abrahan, Holly, Douglas, Aleen, Carol,, todos tiveram mortes não muito, quase nada significativas, mas tiveram um grande impacto, as mortes precisam ser assim, e não todas do modo que o Gimple faz, algumas sim, mas não todas.

    Pelo menos, Mazzara, dava mortes pouco significativas mas que causam muito impacto, o que realmente representava a HQ, e foi o mesmo na 2 e 1 temporada, Gimple só soube criar drama e mais drama encima de drama, faz cenas de ação que não representam a serie como Mazzara e Darabont faziam, e aposto que ele estivesse desde o inicio, todas as mortes que aconteceram, teriam esse circo todo que ele faz em volta das mortes!
    Gimple pode criar uma história melhor, arcos melhores, que prendem as pessoas cada vez mais, histórias mirabolantes, mas não chega aos pés do que Mazzara fazia com as cenas de ação e morte!


2010-2017 | Walking Dead Brasil - Sua maior e melhor fonte brasileira sobre The Walking Dead.